15 janeiro, 2009

tem horas...







Motherwell, R.
the irregular heart
(1974)










Atravesso a rua proibida.
Desejo feito, quero medir-me
às passadas ...
... hesitações.

A que chão me apego? Não sei.

Há muralhas,
pastoras dos passos,
muros dormentes
dos horizontes sonhados.

Há paredes,
biombos de outras paisagens
onde não chego,
mesmo em dias santos de luz.

Restam-me imagens, presentes soltos.
Janelas indiscretas de momentos,
feitos a salto,
para uma terra com sabor a prometida.

18 comentários:

Osvaldo disse...

Olá Mdsol;
Claro que na vida "tem horas" p'ra tudo...
Gostei imenso do poema e quando acabei de o ler ficou-me na retina e no pensamento a Palestina !!!.
Porquê ?... não sei.
bjs

cristal disse...

Muito bonito... Também tu tens que nos dar mais escrita :)! BJ

António Torres disse...

Muito sentido.
Muito bonito.
Muito bem.
Muito, muito.

Carminda Pinho disse...

Gostei...MUITO!!!
:)
Beijos

o que me vier à real gana disse...

Boa noite!

Fantástico!

Este é outro blog k vale a pena. Parabéns!

Dois Rios disse...

Olá, querida Sol,

Ando em falta com os meus amigos blogueiros tanto do lado de cá qto do lado de lá.
Falta-me tempo para coordenar obras e mudança de casa até o fim do mes. Enquanto isso vou aparecendo aqui e acolá em doses homeopáticas,rsrs..
Não sabia que vc tinha um lado poeta escondido. Pelo menos eu não conhecia.
Lindos e significativos versos. Tão a ver com os tristes e sangrentos conflitos que ora presenciamos. Foi assim que os li.

Beijos, minha querida,
Inês

mena m. disse...

Gosto da subtileza deste teu poema!

Lindo!

Beijinho

Arabica disse...

Resta-te o salto,


a ousadia,


a imaginação :)


Beijinho

poetaeusou . . . disse...

*
são horas
de aplaudir,
o teu poema,
,
conchinhas,
,
*

um Ar de disse...

Eu... que tenho andado afastada... venho aqui e tenho a surpresa deste poema!...
.
Há horas providenciais!
.
[Beijo...@]

Duarte disse...

Caminhar com decisão e firmeza, nem sempre é possível. Cada obstáculo é um degrau que nos leva ao êxito, àquilo que desejas. Sê tu! mas actua com precaução. Não posso deixar de pensar em Rachel Corrie.
Vi em ti uma mulher decidida e com capacidade para coisas importantes.
Bonito o que transmites.

:)))

Um grande abraço

Maria disse...

Excelente o teu poema...

um beijo

sombra e luz disse...

julguei ter visto aqui um post sobre a excelencia...;) vinha atrás dele... vai voltar?...;)
era interessante.

sobre este texto, ocorre-me dizer que na sua melancolia ainda há muita rebeldia... e que nos dias santos de luz tudo pode acontecer... e ser...;)

bettips disse...

Cá por mim, vou na promessa a cumprir...a da terra prometida e sempre adiada. A do poema.
A excelência pode ser sorte, pode ser trabalho: acho!
Reconhecidos aqui?... não que haja muitos...
Bjinho

Juani lopes disse...

tus palabras dan que pensar
saluditos :))

Aqueduto Livre disse...

A arte da poesia cinge-se em torno de duas alfaias maiores:a metáfora e a prosódia.
Este seu poemar (feito de poesia e mar...)tem-no o suficiente para ser uma GRANDE poema.
Li-o em voz alta (toda a grande poesia só pode ser órfica!)e ainda mais gostei dele.

Abraço grande,
Zé Albergaria

Sofia Loureiro dos Santos disse...

De facto!

Zélia Guardiano disse...

Incrivel, querida mdsol
Já não lhe disse que vibramos na mesma frequência?
Lindo poema!!!
Grande abraço, minha amiga!!!