30 janeiro, 2009

a primeira vez, tão tarde!

são quase duas da manhã. vinha eu para casa depois de um daqueles dias em que não há tempo sequer para almoçar ou jantar normalmente. passava da uma da manhã. quase a chegar a casa, já estava ali ao lado, uma operação stop. a minha primeira operação stop. o guarda simpático e delicado. mal parei, abri o vidro: que grande azar o meu. estou tão cansada. mas sossegue que tenho tudo. que quer que lhe mostre? primeiro o B.I. ok. mas, vem agora de trabalhar? a estas horas? sim, e nem jantei. estou cansada. calma que eu tenho tudo. está mesmo cansada. pois estou, eu bem lhe disse. que quer mais? só falta o papel da inspecção. ah sim. eu tenho-o, deve estar aqui. está, faça favor. está mesmo cansada. claro que estou. nota-se assim tanto, é? nota. ah, mas olhe que eu já tenho quase 55 anos. e o BI? já lho dei. ah sim (vi que ele foi confirmar qualquer coisa). vai soprar no balão. okay, até vai ter piada, nunca soprei. vai ter que sair do carro. o quê? preciso de fazer o quatro? (risos...) entretanto, chegam outros colegas do senhor simpático que, entretanto também, me tinha passado a papelada toda para as mãos e que eu arrumava nos sítios certos. e mostrava pressa para eu sair do carro. por favor deixe-me arrumar tudo bem senão, quando me voltar a aparecer um colega seu, tenho problemas. saio do carro. digo meio sem jeito: vai ter piada. não bebo. um colega do senhor simpático que me mandou parar pergunta: toma medicamentos? tomo. olhe que acusa. que acuse. letter não deve acusar. estava a brincar. ah! tudo bem. chega o aparelho para eu soprar. isso está limpinho? claro. repare que estou a retirar "isto" do plástico, está a ver? sim. tem de soprar até esta luzinha apagar. okay. bfffffffffffffffffffffffffffffff. parei mesmo no limiar da luzinha apagar. ah! não vai dar. está mesmo cansada. pois estou. foi a primeira coisa que eu lhe disse, que estava cansada. calma. não estou nervosa, só estou cansada. entretanto juntaram-se todos à minha volta. chefe incluído. deu erro. à segunda enchi-me de brio e bffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffffff. agora deu. olhe: 0,000. eu não disse? limpinha! andamos mais à procura de droga. pois. quer ficar com "isto" de recordação para mostar às suas amigas? pode ser. faça favor. obrigada. os polícias dirigem-se para a carrinha. tenha uma boa noite. obrigada e continuação de bom trabalho. só um continuava ao pé de mim. não me diga que fui a última. foi sim. azar o meu, que já podia estar em casa. ou sorte, diz-me o senhor que ficou a dizer-me acenda as luzes, cuidado, vem lá um carro. cuidado vem outro. pode seguir. arranquei. "ultrapassei" a carrinha cheiinha de polícias que só esperavam pelo que ficou a ajudar-me a retomar a marcha. disse-lhes adeus. cheguei a casa e disse ao meu filho... e, além de tudo, apanhei ali uma operação stop.

12 comentários:

Carminda Pinho disse...

Ou... nunca é tarde para uma primeira vez...:)

Beijos

António Torres disse...

Isto foi uma maneira aborrecida de fechar um dia impssivel.
Tem dias...
Tambem nao se escolhe, nem se pode evitar parar no stop. Se virmos bem, em certo sentido, eh como dizia o antepenultimo post. A familia tambem pode ser um genero de operacao stop. Rsrsrs
:))

meus instantes e momentos disse...

a primeira que não deixa saudades, que seja a última..
Maurizio
beijos.

Justine disse...

Até eu já me sinto um pouquinho derreada, com o cansaço que tu tão bem descreves - mas apesar disso felizmente não te faltou o humor e a salutar pontinha de ironia!

(E muitas novidades vim encontrar aqui, só com uma semana de ausência:"pintaste" a casa toda de novo,já a pensar na primavera?)

Claro que já tinha saudades:))

Carla disse...

...há sempre uma primeira vez...e ainda bem que foram simpáticos!
beijos e bom fds

WOLKENGEDANKEN disse...

:))) Há dias de sorte e ........outros.

Donnola disse...

adorei o texto, senti a tensão, a escrita, a ideia, à flor da pele

Donnola disse...

(n falemos de auto-stop pq comigo é cada tiro cada melro, mas ainda n soprei no balão :P)

jrd disse...

Excelente texto. Valeu a pena (para quem leu) esse percalço.
Será a última vez, "tão cedo"!
Digo eu...
bfs

Duarte disse...

MAGNIFICO!!!
Que descrição tão pormenorizada, qualidade na narração, quase sem tomar ar, estavas cansada mas nem isso deu para chegar a casa um pouco mais cedo.
Uma experiência mais!

Há dias passou-me um caso idêntico. Assustei-me! Iam duas furgonetas da policia numa zona de a 50 muito devagar e eu respeitoso a aguentar aquela marcha, enquanto outra malta passava a mais velocidade sem que lhes dissessem nada. Param e começam a sair policias por todas as portas com metralhadora e espingardas nas mão apontando para os carros que os seguíamos. Em poucos minutos montaram uma operação STOP. Tinha pressa, ia a uma reunião. Lá fomos indo um a um, a mim não me fizeram parar. Impressiona!!!

Um grande abraço

Donnola disse...

"copiei" a tua ideia :P

PreDatado disse...

Se você não fosse uma senhora não seria tão simpáticamente tratada ou sou eu que estou a ser preconceituoso.