27 janeiro, 2009

gê pê esse do séc. XVII





D. Francisco Manuel de Melo
carta de guia de casados
(o meu livrinho não tem data)
[1ª ed. 1651]













(pág. 48)








Ok. A que propósito? (suspiro fundo, fundo). Mas, que faço eu além de juntar "coisas" descontextualizadas e... propor (tacitamente) a cada um que as leia como entender?

11 comentários:

anamar disse...

Mas nós contextualizamos sempre!
Porque as palavras, porque são palavras.... são como as carapuças! Servem quase sempre!
E obrigada pelo comentário.

virita disse...

Além das carapuças ,também existem as bolsas...!

Duarte disse...

Pero ¿se entiende algo? ¡Bueno! debe ser cosa de los siglos...

Descobres cada coisa!

Um abraço amigo

mariab disse...

e assim (nos) exercitas a arte de pensar? ou não será? :) beijos

Multiolhares disse...

Penso que um livro desses cada vez faz mais sentido
beijos

António Torres disse...

O livrinho é curioso e deve ser divertido, mas o título do post é genial.
Parabéns.

Maria disse...

Estes livros fazem-me sorrir. Tenho por aqui alguns da época, que encontrei por aí...
Afinal é uma questão de mentalidades...

Um abraço

jrd disse...

E mesmo assim "perdiam-se"...

Donnola disse...

é isso mdsol that's all fake

vbm disse...

Dom Francisco Manuel de Mello
era solteiro!

Lol

vbm disse...

gê pê!
O que é?