26 junho, 2008

fotografia do Porto & filme de Lisboa

José Luís Peixoto, gaveta de papéis, ed. quasi, 15 (2008)



THE LOVEBIRDS - Filme de Bruno de Almeida
[THE LOVEBIRDS intertwines six stories in the course of one night in Lisbon. An artist pursues a girl through the old cobblestone streets bewitched by the resemblance she has to his dead wife; two small-time crooks break into an apartment as they argue about a lover that tries to divide them; an aging director shooting a boxing film struggles with a movie star and a boxer who has too much pride to be knocked out; an alienated taxi driver brutally kills a prostitute but when he picks up a pregnant woman he may unexpectedly find redemption; a pilot's weekend affair with a fashion designer goes haywire when her overprotective dog exposes certain trivialities in their relationship; an archaeologist refuses to come out of a work pit where his obsessions may be a cover up for something deeper. The film stars a cast of international actors that create a mix of lovable off-beat characters dealing with love, friendship, passion, solitude and hope.] Fonte you-tube

10 comentários:

Duarte disse...

Não os conhecia.
Problemas da ausência.
Quero-te um pouco mais... P O R T O.

Duarte disse...

Os cartazes de Mucha, sempre magníficos, como desenha e pinta, que cores!
"Me encantan"

heretico disse...

meu Deus, o Porto! tenho um sentimento de amor/ódio com a cidade. antigo.

(ainda existe o cinema Vale Formoso?)

talvez um dia fale disso. em público. rsss

Manco do Arco disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Tinta Azul disse...

Coincidências.
Hoje fui às pontes do Porto.
Porque as pontes têm muito que se lhes diga...ou melhor que se lhes atravesse.
:)

Manco do Arco disse...

Cheguei, estou aqui: www.arcodomanco.blogspot.com
Cá virei...

Anónimo disse...

porto ...de abrigo, não é!

silvino, cap

mdsol disse...

Parece que removi um comentário sem querer. Se assim aconteceu peço desculpa pela minha "nabice"! E que seja novamente enviado!
:)

duarte:
Biba o Porto! Pois então

herético:
venha de lá a história do Vale Formoso. Não sei se ainda existe. A última vez que lá fui foi "há canos" ver o Sérgio Godinho!
:)

Tinta:
mas a das pontes não era a Isaura? Cada vez percebo menos... "A ponte é uma passagem para a outra margem" (Jáfumega)gosto deste entendimento...

manco do arco
Bem vindo. E cá iremos andando...
:)

cap. Silvino:
Resta o Porto sentido?
:)

Pulsante disse...

O Porto tornou-se uma espécie de “Ilha de um dia antes”. Um eterno há-de ser.
Perdido num imenso e chato lamento, julgando ser o que não é, esquecido do que já foi.
O Porto está um bêbedo. Um burguês vinhateiro, snob de fraque roto.
O Porto teima em ser deserto e fazer do seu povo peças de vitrine em loja de bric-a-brac.
O Porto está parolo. Quer fazer do Bolhão um “Dolce Vita” e da vendedeira de fruta uma rapariguinha do shoping.
O Porto precisa de Almadas e desta vez a vacatio necessária não é a da Sé.
Porto que se julga pavão está um pinto.
Porto um rio que se julga de ouro mas não passa de lata red bull.

PS o Vale Formoso é templo da IURD.

mdsol disse...

Ok.
Então e o filme de Lisboa? Querem ver que nem os alfacinhas...
:)