06 junho, 2008

decisões confidenciais


Granter, E
goldfinch on branch


já vos aconteceu ter um assunto muito chato [sim chato! é calão mas diz melhor o que eu quero dizer do que o comedido e bem comportado aborrecido] para resolver... adiarem o tempo suficiente para ganharem algum distanciamento, [mas não tanto que pareça que desistiram] aproveitarem a saída do local de gestação do assunto e, no recolhimento aconchegado pela distância, em três tempos tomarem uma decisão radical e comunicarem-na logo por email para não se darem hipótese de titubearem? foi o que acabei de fazer há meia hora atrás. comecei por sentir alívio. agora, que já tive a resposta à minha decisão e houve um recuo absoluto de quem deu origem ao assunto, em vez de me apetecer lançar confetis e serpentinas, fogo de artifício seja ele solto ou preso e sei lá, dar vivas ao que quer que seja, até à vida... estou aqui com uma sensação de vazio imenso que não comporta mais do que uma frase feita do tipo: não havia necessidade de gastar energias com problemas perfeitamente evitáveis se...

11 comentários:

VEU DE MAYA disse...

POIS, Maria do SOL! Mas a vida continua...
Divirta-se e bom fds.

Beijinhos

scaramouche disse...

não sei de que falas mas de facto essa decisão confidencial deixou-te uma grande leveza na alma.

scaramouche

Vieira Calado disse...

Pois não...
Não sei de que se trata, mas há coisas que não há nexessidade...
Bom fim de semana

Rui Caetano disse...

Não há como enfrentar os problemas d frente e não adiá-los.

herético disse...

na próxima é melhor fazeres "ouvidos de mercador". e não dares hipótese sequer. ao assunto...

(digo eu, sei lá...)

Duarte disse...

... todos pensássemos igual: ou, se não quiséssemos levar as coisas além do limite. Assim é. O muito esticar da corda quase nunca é positivo. Os corpos tem um ponto de saturação ao alcançar o ponto limite da sua elasticidade! Os sindicatos são muito partidários disso, o que acontece muitas vezes, e acabam, em algumas delas, por não conseguir nada. Estou a viver na actualidade uma situação dessas.
Ainda deves de estar um pouco excitada, pelos momentos tensos que viveste, noto-te exaltada.
Muitas vezes é necessária valentia, capacidade para tomar certas decisões e, assim, conseguir determinados fins.
Satisfaz-me saber que tudo acabou bem, para ti, que neste caso é o que mais importa. Respira fundo e compassivamente.
Bom fim de semana. Está bem merecido.

Rosi Gouvea disse...

Procuro dizer o que sinto
Sem pensar em que o sinto.
Procuro encostar as palavras à idéia
E não precisar dum corredor
Do pensamento para as palavras...

...Alberto Caeiro...

Fico muito feliz com sua visita!
Espero ver-te sempre por lá...
Sempre me encontrarás por aqui!

E deixo pra ti, meu desejo de um ótimo final de semana!!

Doces beijos

Anónimo disse...

Mas havia necessidade de gastar energias. Talvez náo houvesse era de ter adiado, E se houve recuo absoluto, tudo bem para si...Espaireça!
:))))
Zé-Carlos

Carminda Pinho disse...

Pois, o problema é que só nos lembramos disso, quando já não é possível voltar atrás...:)))
Bom fim de semana.
Beijos

um Ar de disse...

Já, pois já me aconteceu...
Mas, nem sempre o desfecho foi a meu contento.
E, quando foi, esse vazio da perda de tempo, também foi inevitável.
Logo eu, que prezo o tempo como o maior dos tesouros e dos venenos!...
No entanto, há que gastá-lo, assim, pois que remédio! De contrário, há espinhas entaladas na garganta que nem nos deixam engolir a própria saliva.
Bom regresso da distância inspiradora!...

[Beijo de sábado de manhã]

mdsol disse...

A todos:
Fiz bem ter dado um tempo. Fiz bem ter sido directa, mas delicada. Mas estas coisas não me fazem bem. Acho-as evitáveis, não lhe vejo utilidade de natureza nenhuma e, mesmo resolvendo-as do modo que julgo correcto, não consigo ter uma sensação de vitória "tout court"!

:))