26 abril, 2008

história também é memória... de curto prazo

Não sei números sobre a avaliação do ensino nas várias áreas em Portugal, mas agora... toca tudo a estudar História. Estou mesmo a ver a discussão que por aí se vai fazer, a dar um salto de tesoura das questões da disciplina na sala de aula para a questão de falta de História na mesma sala.
Entendo que a História é muito importante e acho grave o seu (quase) abandono nos currícula dos ensinos básico e secundário. Mas, vindo o aviso de quem vem, convém recordar que sancionou um dos maus períodos da política educativa do pós 25 de Abril de 1974.
Se mais vale tarde do que nunca e o dito andando e aprendendo valem, também é verdade que, como diz o Miguel Torga, quanto mais profundamente se dorme, mais estremunhado se acorda. E aqui, quem dormia profundamente era um senhor muito dado a contas e coisas ditas "eficazes" e "pragmáticas" [coloquei as duas palavras entre aspas porque nada tenho contra a cultura do homem eficaz nem contra a contextualização das acções, muito pelo contrário].
Quando até os praticantes da "religião" do "bota e vira sem perder tempo com grandes discussões e enquadramentos e o que interessa é o que ajuda a funcionar no imediato e a universidade tem de preparar para ... e quanto ao resto os líricos que se amanhem e se coloquem no seu tempo" se arrependem e fazem actos de contricção, ainda que mitigados, ao mais alto nível, então será tempo das ideias de quem não pratica esta "religião", por convicção e conhecimento, serem mais escutadas e tidas em conta na tomada de decisões.

imagem: Dali, S., A persistência da memória, 1931

8 comentários:

Rosi Gouvea disse...

Assim lindo infante, que dorme tranqüilo,
Desperta a chorar;
E mudo e sisudo, cismando mil coisas,
Não pensa — a pensar.

*Gonçalves Dias*

E mais uma vez venho me encantar...

Bejos doces!

Justine disse...

Estás zangadita com este país pequenino, não estás? Não és só tu, desconfio que estás muito bem acompanhada!!

P.S.:E porque razão não ouves a música na minha casa? Espera só uns momentos, que o Paredes aparece-te, fulgurante :))

O Profeta disse...

Porque sonhas com o outro lado
Enches o vazio da eterna espera
Amas quem não podes ter
Pintas de realidade a quimera


A liberdade do pensamento vive entre dois mundos…


Convido-te a conhece-la…


Bom fim de semana


Mágico beijo

Anónimo disse...

É isso : serem mais escutados e tidos em conta. Sobretudo porque o panorama é realmente assustador -- para o que basta ver a televisão.
(Quanto à escolha da imagem, como
sempre excelente.)

Transdisciplinar

herético disse...

pois ... pois! estamos (bem) sintonizados!

Duarte disse...

Esquecendo o passado, dificilmente construiremos o futuro.
Por aqui, passou-se por uma época idêntica, mas já se começou a rectificar: é que rectificar é de sábios.

Tenho que fazer uma referência às imagens que embelezam a prosa deste blog, sempre cuidadosamente logradas. Consegues criar um ambiente placidamente motivador: causa, efeito.

Anónimo disse...

Pois a História é indispensável. Mas qual História? Não há apenas uma e não estou certo que a "verdadeira", a construída com as visões dos diversos olhares, seja a que alguém pensará em integrar no processo de amadurecimento dos nossos jovens na escola.

Tinta Azul disse...

Faz falta a História, assim como faz uma enorme falta a Arte. Dimensão imprescindível da educação. É a minha luta de momento.