05 abril, 2008

...química física...

Regressar ao corpo, entrar nele
sem receio da insurreição da carne.
Nenhuma boca é fria,
mesmo quando atravessou

o inverno. Um boca é imortal
sobre outra boca: diamente
aceso, estrela aberta
quando a luz irrompe, invade

ombros, peitos, coxas, nádegas, falos.

Despertos, puros no seu pulsar,
aí os tens:esplendorosos,
duros.

Eugénio de Andrade, XVII, Branco no Branco, 37
imagem: Alfred Eisenstaedt,
Kissing on VJ Day - Times Square - May 8th, 1945

6 comentários:

GP disse...

Vou pedir a minha reforma antecipada porque a ministra da deseducação também não se tolera mas já vi que a tinta_azul e a mariadosol andam a treinar nas químicas... Será que estão interessadas no meu horário? eheh Ofereço-o de bom grado embora não gabe o gosto...

Beijinho

mariadosol disse...

linda gp:

Eu escrevi "telora" de propósito rsrsr
quanto às químicas...longe de mim...mas devo confessar que, quando era aluna e a disciplina se chamava "físico-química", eu gostava mais da química...mas não fui longe na coisa, fiquei-me pelo antigo 5º ano dos Liceus quanto a essas matérias...
Quanto a antecipações, embora as minhas tutelas sejam outras...tomara eu acompanhar-te...
Nem tu imaginas como!!!
beijinho

Justine disse...

Também gosto desta química :))
E do Eugénio, então! Eugénio de manhã, à tarde e à noite, Eugénio e o seu erotismo explícito mas sempre elegante.
Beijo e bom fim de semana

um Ar de disse...

Como sabes, a Filosofia fez-me abdicar da Física e da Química...

Tenho pena, mas não as esqueci. O que eu mais gosto, nestas duas disciplinas, lá mais para a frente, é quando a sua separação se mostra, meramente, artificial.

Quando nos "acercamos" da infima parte da matéria [e vice-versa!], é quase impossível traçar os limites de uma e de outra...

É nesses limites instáveis, de quase pura abstracção, que o conhecimento se torna um verdadeiro prazer [pelo menos, para mim...].

Respondendo à GP, talvez fosse tão frustrante "ensinar" tais matérias quanto as que eu "ensino"... mas isso, já é outra história, não é?

[Vou ver o que a Tinta_Azul andou a escrever sobre o assunto...]

[BEIJO]

mariadosol disse...

justine:
Eugénio de A. sempre...poemas sem gordura nenhuma nenhuma
beijinho
:)

um ar de:
ai este teu comentário (obrigada especial)... realmente a "história" do conhecimento é mesmo uma grande história que eu não tenho capacidade para comentar...mas fascinam-me esses aspectos que referes...e as artificialidades assumidas que resultam da incapacidade humana para entender tudo ao mesmo tempo... olha, cada vez mais acho que as hard sciendes tentam responder aos soft problems e as ditas soft sciences tentam responder aos hard problems...
Beijo
[finalmente aprendi a fazer estes parêntesis rectos neste pc...apre, que sou lerda]

Tinta Azul disse...

e há alguma coisa que se possa separar da outra? talvez só nas soluções saturadíssimas...
.
Olha que leque de meninas bonitas por aqui anda...que por aqui se entendem...cada uma de sua área de formação...afinal a mesma...
Aposto que a poesia!