26 abril, 2008

o PSD é (ou está) uma crase*... e a continuar assim passa-se de síncope

O mais confrangedor é o Pedro Santana Lopes (PSL) não entender nada. Por isso não aprende. Lamentável. Não lhe desse para se atirar ao país e seria figura interessante para animar a malta. Assim, ser risível como ele é, e sem sentido das coisas, é triste, preocupante e desanimador. Ora bolas...
Quem se andou a demitir (literalmente e não só) devia assumir a sua quota-parte de responsabilidade. É que estes tipos, áridos, incultos, sem uma única ideia própria, que vivem a política como um jogo de esconde esconde não chegaram sozinhos ao topo dos partidos.
Agora, apesar do magote, são todos parecidos. Vêm todos de trás. Uns não assumiram quando deveriam ter assumido, outros assumiram com sofreguidão o que lhe foi dado por incúria cívica (para ser meiga e eufemística). A excepção, o Pedro Passos Coelho confirma a regra e, pelo seu discurso, não parece muito mais novo.


lembrete: crase* - (gramática) contracção de sílabas ou de vogais numa só.

2 comentários:

wicca disse...

E falando de politica, não é isso mesmo. Há muito que foi esquecido e dever civico e o pudor.
Acho melhor, falarmos de tachos, claro que sempre que tenham algo interessante para rapar. É uma crase...

mariadosol disse...

wicca bem vinda.
:)