26 março, 2008

...reviver o coração... com o coração...por causa do coração... o livro da primeira classe

estamos (?) num tempo (entre o) pós-contemporâneo e (o) pré-futuro...
entrementes, independentemente da qualidade do passado há que o ter presente...sob pena de sossobrarmos com o peso e a amplitude dos novos paradigmas... o povo, que não está com coisas, chama a isso ter os pés assentes na terra (o tal chão do aforismo ?) ou, ainda, não dar passos maiores que as pernas, numa sábia actualização da vida de cada um ao contexto geral da mudança...
medo? nã nã ... o povo não tem vagar para ser medroso...não tem é dinheiro (nem hábito) para pagar a "psis"ou substitutos ilegais e, a confissão (ao padre), caíu em desuso...
aqui fica o livro da minha primeira classe da instrução primária (obviamente...simbólico)

12 comentários:

um Ar de disse...

Fizeste-me lembrar a reunião de quinta-feira passada com os pais e mães da minha direcção de turma.

Provavelmente, ao contrário do que se diz, gente muito simples, que agradeceu as aulas de apoio, conseguidas com professores da turma, que fizeram subir aquelas negativas iniciais... que não tiveram que pagar e até nem pediram, mas foi muito bom...

Caras simpáticas e contentes pelas melhorias e pelo esforço dos professores. "Juntos, vamos conseguir que sejam, ainda, melhores"... Porque ainda acreditam que a escola vai trazer-lhes um futuro melhor que o presente dos seus desempregos e dos seus empregos, cada vez mais precários e tristes e pobres.

Os filhos são umas "crianças" agitadas e a crescerem na escola, mas os pais e as mães lá vêm, sempre que são convocados. E não querem saber só das notas... querem conhecer o outro lado da vida dos filhos e das filhas. Um lado que eles sabem que cada vez é maior...

Que pensar? Que fazer?
A verdade é que não são meus filhos!
Gosto deles. Mas não são.
Como alunos... deixam tanto a desejar, apesar de haver muito pior, sem sombra de dúvida!

Não sei o que pensar.
Venho sempre destas reuniões preocupada, comovida e com o coração nas mãos...
Mas continuo sem saber o que pensar.

[BEIJO]

Anónimo disse...

Que saudades ao ver o livro que tb foi o meu da 1ª classe!!!
As primeiras letras aprendi-as com o meu pai , em casa, ele professor, a minha mãe também, mas o livro , o livro único, era esse.Lembro-me que as ilustrações mostravam um país basicamente rural, as brincadeiras das meninas - as cozinhas, os bordados...Os meninos tinham o pião, o arco...Tudo tão distante neste séc. de tecnologias a que nós, meninas de bibe , nesse tempo, aderimos agora também, para que não nos chamem info-anallfabetas, a nós que tanto orgulho temos nos nossos saberes...
Com todo o coração,
Camélia

mariadosol disse...

um ar de
podes não acreditar mas o post saiu assim porque cruzou dois "motivos": um mais pessoal, o outro exactamente os "restos" daquele malfadado vídeo...e da turbulência que se vive no "sector" da educação...
Antes de mais: parece que acordou tudo muito estremunhado para a realidade das escolas.... Ora só acorda muito estremunhado quem está a dormir muito profundamente... Às vezes vou a Escolas em trabalho...nunca encaixei ver os profs a fumar numa sala esconsa, como se fossem leprosos ou pessoas de má conduta (antes da lei que proibe fumar)e cá fora os "putos" todos esparramados a fumar ostensivamente...sempre que fazia este desabafo me diziam ah... não vale a pena proibir... ãh, ãh, ãh.... eu respondia sempre...e aos professores pode (quase) proibir? E aguentam isso? (claro que é um exemplo....eventualmente pobre, mas representa bem a falta de norte relativamente a questões essenciais).
Este "entrementes" em que vivemos é "lixado"... aquela "cena" mostra como o ser humano é muito as suas circunstâncias...por isso, o incidente é preocupante, revela umas circunstâncias difíceis qualquer que seja o protagonista abordado(não fosse a sensação de que ele revela umas circusntâncias compliadas quer dos jovens, quer dos profs, quer ds escolas... poderíamos resumir aquilo a um ataque de histeria da aluna e a uma falta de presença da prof. que se deixa enredar... O que eu não entendo é o presidente da FENPROF dizer que a disciplina não é uma prioridade nas escolas...brada aos céus! e o ME a tentar desvalorizar o episódio não lendo um pouco além.

Quanto à tua turma e aos pais da tua turma ...eu sempre acreditei que o professor faz a diferença...um professor profisional, num tempo de alargamento do sistema que não facilita uma "verificação" ética da sua acção e que é o único garante da "boa" actuação. Porque se o conhecimento da matéria é a base o que impele a agir bem é a "competência ética". E, daqui de longe, abalanço-me a tua "ser fiadora" destes aspectos e muitos mais...
Um beijo

Camélia
Bem vinda...
exactamente como eu...
começamos a escrever com uma "pena" que se introduzia num tinteiro de louça (branco) onde havia uma espécie de tinta azul, em cadernos de duas linhas para "acadimar" as letras e depois em cadernos de uma linha, quase certificados de maioridade escolar... e aqui estamos nós, a comunicar via sei lá eu bem...sem nos conhecermos pessoalmente, mas a partilhar coisas boas.... bem vinda

mariadosol disse...

um ar de

é só gralhas... eu tenho amania de não corrigir o que escrevo...acho que sou ansiosa...
hoje á uma que tem mesmo de ser corrigida:
E, daqui de longe, abalanço-me a ser "tua fiadora" destes aspectos e muitos mais...

mariadosol disse...

AI BALHAMEDEUS

são gralhas de gralhas...
eu sou uma gralha e é só gralhas...

"Eu tenho a mania"
"Hoje há uma"

não escrevo mais...por hoje..ehehhe

herético disse...

andamos na mesma escola?!...
conheço esse livro. vê se tem dentro umas pétalas de "amor perfeito". ressequidas... eheheh

mariadosol disse...

herético:
gostei mesmo do comentário
A sério
:))

GP disse...

Há uns anos comprei todos menos o da quarta classe que não encontrei. Foi uma delícia voltar a ver e ler a minha infância. O meu original deve pratas de bombons muito alisadinhas com as unhas...
Tempos em que havia respeito pelos outros em todas as classes sociais...

Beijinho

mariadosol disse...

cara gp:

boa...as pratas dos chocolates alisadinhas com os dedos...exactamente assim...ainda me estou a ver a fazer isso...

:)

Justine disse...

Também foi o meu, há 50 anos, que horror! Nostalgia, mas também alívio, por já ter sido substituído :))

mariadosol disse...

Olá Justine
Que boa visita...bem vinda a esta casa sem pretensões especiais.
Quanto ao livro ... claro que o teo comentário vale...

:))
(estou a fazer um esforço para "ver" quem é a amiga e a prima...hummm
acho que não estou longe...havemos de ir a Viana outra vez? E o endereço deste blog hummmmm
certo?

Justine disse...

Certo, certíssimo!A prima acabou de passar aqui dois dias, a "ares".
E quando tu?
P.S.: ainda há gatos pelo teu jardim?