29 novembro, 2008

gostos do comum dos mortais (6)






Miguel Torga,
a criação do mundo
(1984)








Tem a capa suja, esta 1ª edição conjunta... devorei o livro completamente ... apaixonada.


Darius Milhaud, la création du monde


Richard Strauss, assim falava Zaratustra

ouvir esta segunda proposta musical a olhar a capa do livro, fez-me bem...(é um excerto muito pequenino...)

11 comentários:

Anónimo disse...

Caríssima Maria do Sol,
Estou de volta...
Belas escolhas, como sempre.
O trecho de Milhaud, não o conhecia. O de Strauss, mesmo curto, é sempre um prazer ouvi-lo, até pelas recordações que traz.
:))) Jose-Carlos

Multiolhares disse...

Existem musicas que nos fazem viajar
beijos

Pepita Freak disse...

Eu também gosto mais do comum dos mortais.

Mar Arável disse...

Assim se escuta melhor

no silêncio

intimidades disse...

quem criou o mundo nao devia ter ca posto as gripes :(


adorei o livro, fiquei completamente embrenhada na historia

Jokas

Paula

Véu de Maya disse...

Ainda não li o livro...mas já conheço as músicas...E o Assim Falava Zaratustra será sempre um livro eterno...Bem haja, Maria do Sol.

Abraços

Anónimo disse...

depois dos compromissos do dia do Senhor', como diz a Mdsol, chuva, enfim casa, horas de espera para poder usar computador (os outros utilizadores da casa abusaram da vez), lá pelas três, falta a luz.
obrigou-me à ir dormir que bem precisava.

não sem antes ter aquecido o coração com a passagem por aqui. e que bem que me fez! outra coisa de que precisava!

lembrei-me aqui, à propósito, de Nietzsche, mas vou brincar um pouco com as palavras (dele);

o nosso 'porquê' viver pode nos tomar com uma tal força, que tornamo-nos capazes de encontrar o 'como' em meio a muitas adversidades ...
e isso diz de criar novos mundos!

e diz do Sentido, da Liberdade, diz do Amor...

***

in_side (ate nu ar disse...

pois strauss e nietzche,

tanto que havia a dizer, mas não quando se morre,

( ficar assim, não mais acreditar receber um batismo maldito,

porquê alguém mergulha e sufoca alguém em linhas, em gelo e lhe chama outro nome, que alguém responda com rosto!

porque não se desfaz um engano de morte antes do pior acontecer, que é isto então, repito que é ISTO então,

com que direito,

porquê porquê porquê porquê

porquê porquê

porquê

Vieira Calado disse...

Está muito cuidado e atraente o seu blog!

Cumprimentos

~pi disse...

meu deus como todo o meu ser se abrira

a criar um novo mundo,

como toda eu respirava - há tantas horas,

um outro tempo, um outro lugar,

(des)aprendo tanto a revelar por aqui e por ali como tanto só sou uma pedrita

frágil e febril - pouco mais faço agora que tricotar cores,

(( e como o castigo da minha distracção não se faz esperar e é cruel,




~

observatory disse...

troco por outro