18 novembro, 2008

com versar



Itten, Johannes
a pair of burr walnut veneer armchairs
(c.1930)




COMUNHÃO

Nao páro nem sossego.
Nasci assim aflito.
Morro e ressuscito
Em cada hora.
A paz não mora
No meu coração.
Quando vem,
Traz também
Não sei que disfarçada inquietação.

E os versos o dizem.
Cada poema é sempre um desespero
Impaciente
Que de repente
Quebra o cadeado.
Um desespero tão desesperado
Que já nada limita.
Um grito de alma, que necessita
De ser ouvido e ser compartilhado.

Miguel Torga, diário XV, 61


Miriam Makeba, when I've passed on

13 comentários:

Anónimo disse...

Homenagem muito merecida à recém-falecida.
Torga não precisa que o comentem.
Quanto às cadeiras são bom design (mas que fazem elas aqui ?).

(Sans rancune, j'éspère...) :)))
José-Carlos

anamar disse...

Que bom ser levada até Itten!!! colour ,colour...
Mas... para o "seu "poema vai outro para a troca.... falam tao pouco dele...

Volta ás flores,poeta,
volta á alegria dos punhais
caídos das rosas
e dos gritos vãos.

E aquece o sol
com as tuas maos.
Jose´Gomes Ferreira
Santo dia....
Ana

Carminda Pinho disse...

Ora, deixa-me sentar aqui um bocadinho, a saborear este lindo (são todos) poema de Miguel Torga enquanto depois vou ficar a ouvir a voz da Miriam Makeba.

Com versar, de gente boa...

Beijos

Anónimo disse...

Como são belas (Miriam Makeba era!) as pessoas que põe sua alma naquilo que fazem!
Por falar em Belas Pessoas, por aqui passam muit@s, de alma sensível e bela...a começar pela Mdsol que cativa essa beleza toda!

Partilhem então, compartilhem..não deixem passar o tempo sobre o é essencial.

....

E eu, queria apenas ser Tua
Paz (à quem...ele sabe)
pois mesmo de longe,
vejo-te mil coisas atender.
Sem tempo para mais
viver;
deixa-me te ouvir, vem comigo
partilhar isso tudo que
carregas. Deixa-me ao teu lado
estar, quando cansado te deixares ficar...

http://www.youtube.com/watch?v=Us-TVg40ExM&eurl=http://www.playingforchange.com/content/home.swf

(Stand by me)

***

Anónimo disse...

http://www.youtube.com/watch?v=Us-TVg40ExM&eurl=
http://www.playingforchange.com/content/home.swf
(Stand by me)
Idéia roubada, mas é por boa causa. Vejamos se agora o endereço se lê.

***

Violeta disse...

Não conhecia este poema de Miguel Torga, é lindo.

Juani lopes disse...

pues a mi este fin de semana me dio por conversar con el mar el vieto
saluditos

8 disse...

“Cada poema é sempre um desespero
Impaciente
Que de repente
Quebra o cadeado”

Não sou poeta, se bem que mais ou menos fundo, sejamos todos uns “poetas”. Sou mais pela prosa das afirmações (provocações?) que se soltam e originam o despertar de atenções para realidades que andam escondidas.


É bom ler Torga, com uma doce Makeba ao fundo. Vá pensando que quando eu abrir a minha casa de chá, quero-a lá a projectar poesia e a escolher o som condizente.

bjs

Justine disse...

Tão belo, tudo: as palavras sábias e inquietantes do Torga, a voz incomparável da Miriam Makeba - e não desdenharia ter aqueles sofás aqui em casa...:))
beijo

~pi disse...

gosto do pre (in fixo

c o m



~

Véu de Maya disse...

perfeita a ligação do poema de Torga com a música...A beleza do Mundo assim não se perde e serve pra contrariar tudo o que no Mundo
já não é Mundo...

ares puros...

heretico disse...

critalino. como água à saida da rocha...

Duarte disse...

Convida a uma conversação amena, envolvidos em sons prazenteiros... gostei muito.

:)))

Um grande abraço