20 novembro, 2008

trabalhos capitais (2)




Maluda,
Lisboa L
(1996)



Mais uma vez ... trabalho capital...





Amália, Lisboa não sejas francesa

12 comentários:

Juani lopes disse...

me gusta mucho este tema, es uno de mis temas preferidos de ella
saluditos

Carminda Pinho disse...

A pintura de Maluda é inconfundível. Aqui Lisboa, ainda sem os "tais" contentores, a taparem a vista para a outra margem.:)

Beijos

Violeta disse...

Maluda, pois claro!

anamar disse...

Pois, pois... palavras brincalhonas... capital e coisa e tal, e vamos um bocadinho ao J.C.PIRES.
"Azul de azuis? Branco áspero de pérola e cinza? Ocres de pardacentos e vermelhos lilases?Bem pelos tons desta foto é verão de agosto, ia jurar. "
De,Lisboa Livro de Bordo
Atenta de si,
Ana, que com todo o descaramento
lhe vai pedir "um presente" de anos ... os quais gosto muito de fazer,e é já dia 21....

Justine disse...

Olha a coincidência - só que a minha Lisboa é menos artística, menos estilizada e mais naturalista...:))
Bom trabalho!

cristal disse...

Poizééééé :))

WOLKENGEDANKEN disse...

Hmmmm, Lisboa em cores quentes e o outro lado muito frio e distante. Tem ulgum significado para mim :))

E cada vez estou mais curiosa de saber qual a tua profissao. Mas nao pergunto, nao, nao pergunto.Pergunto ? Nao, nao faco!

beijinhos amistosos (e curiosos, mas nao pergunto !!nao, nao )

mena m. disse...

Lisboa lança-nos o feitiço da saudade eterna quando a deixamos!

Hoje dá mesmo para matar saudades, o teu e o post da justine!

Beijinho

Anónimo disse...

com largueza de compreensão, sem excluir o
coração...procurando a tal
comunhão, para enfrentarmos
juntos esses dias. contudo,
só aqui corre livre palavra e
expressão onde noutro lugar, assustei-me com a reacção..
agora temo, mas compreendo.
não sei que mais fazer. mas mantenho a(s)
Promessa(s).
(à quem... ele sabe).
Saudade sem fim!...

***

Véu de Maya disse...

a eterna dialética do senhor e do escravo tão bem idealizada por Hegel na fenomenologia do espírito...Amália...que vibração...
Maluda--uma fantástica tela...

abraços

~pi disse...

gosto da luz e da sombra nas montanhas, daquele dia-noite

que dão a mão

um ao

outro :)

aqui parece-me o largo das portas do sol, sim aquela branqueza toda azul, lisboa, é bonito, sim!


de manhã tentei dizer-te isto, mas o comment não ficou...

Anónimo disse...

A Maluda, bem...não era a minha pintora (nem pessoa, já agora...)do coração. Mas reconheço que nos deixou visões de Lisboa inconfundíveis.
Quanto à Amália nem comento...

:)))
José-Carlos
(transdisciplinar)