03 novembro, 2008

a ver vamos*





Limone, G.
elections americaines
(2000)


*...ó(se)bamos (desculpem a pronúncia à moda do Porto)

Bob Dylan, blowing in the wind (live)

16 comentários:

O Profeta disse...

A Lua sangra no celeste
Aprisionada está a razão
Olhos sem a virtude da luz
Uma fria pedra no coração

Um banco de jardim
É leito do rei da sarjeta
Almofada de encardido cartão
Acomoda esta carcaça inquieta


Boa semana


Mágico beijo

Mar Arável disse...

Obama pois claro

com o outro seria pior

Apenas

António disse...

Amiga
Obrigada pela visita, pelo comentário deixado e, também, pelo carinho.
A sua visita é um incentivo para continuar.
Um grande abraço. António

Violeta disse...

como sempre a selecção d amúsica vem tocar as minhas recordaçóes e faz eco neste velho e coração. "blowing in the wind"...

Carla disse...

que venham e tragam a mudança. Adoro esta música
beijos

cristal disse...

The answer my friend is blowing in the wind... Pois! Mas não querem ouvi-la, apesar de ser gritada em todas as direcções. Mas está muito bem lembrado. A propósito de O "bamos" a isto, já leste o anónimo?
Bjs

Tinta Azul disse...

só falta um dia...

O quadro é tão lindo!

:)

WOLKENGEDANKEN disse...

ahhhhhhh, o melhor Dylan de tooooooodos os tempos.

bettips disse...

Algum vento de mudança trará.
Apenas, como diz acima o "mar onde a terra tem ondas".
Um dia, havemos de saber de nós.
Bjinho

Duarte disse...

Boa música! A outra não interessa muito, o que querem é que falemos dela...

:))

Abraços

intimidades disse...

a ver vamos se o mundo americano ja esta preparado

Jokas

Paula

Carminda Pinho disse...

Que é como quem diz: Ó(se)Bamos!
Esperando...:)

Beijos

Anónimo disse...

Permanece intemporal e actuante, .. dá para compreender as razões desta canção mover, literalmente, tanta gente...

"How many roads must a man walk down
Before you can call him a man
Yes 'n how many seas must a white dove sail
Before she sleeps in the sand
Yes and how many times must the cannonballs fly
Before they're forever banned(...)How many years can some people exist,
before they're allowed to be free?
And how many times can a man turn his head,
and pretend that he just doesn't see?(...)
And how many ears must one man have,
before he can hear people cry?
And how many deaths will it take till we know,
that too many people have died?
The answer my friend is blowing in the wind"...

Diz da VIDA, da LIBERTAÇÃO (enquanto processo), da DIGNIDADE (que não nos é dada, é trabalho).
Cada mulher, cada homem parece ter essa tarefa pela frente; bonito mesmo é quando fazem coincidir essa libertação pessoal e construção da própria dignidade com a de outr@s.
Apesar do entusiasmo que a eleição de um Obama possa gerar, o que há de contar é a participação (não só nas eleições) de todos. O quadro (parece) transmitir essa idéia. Não estão todos envolvidos em alguma tarefa?

Mas bem, por falar em estradas e em vento..este sopra em nossos ouvidos a verdade,´mas é pura liberdade...nos escapa das mãos. A chave dessa liberdade/libertação somos nós, em comum_união com outros e outras.

Vou enviar uma mulher bonita e de voz aveludada (só por enquanto) para o MEU AMOR, de quem sinto MUITA, MUITA FALTA (não é a primeira vez que envio a Enya como minha emissária, mas espero deixar-me disso em breve.

"Pilgrim, how you journey
on the road you chose
to find out why the winds die
and where the stories go(...)Will you find the answer
in all you say and do?
Will you find the answer
In you? (...)
Each heart is a pilgrim,...Pilgrim, it's a long way
to find out who you
are"

...http://www.youtube.com/watch?v=86QykTK9rFI

Tarefa de tod@s pois, enquanto caminhamos e vamos contando nossas histórias..

***

Justine disse...

Vamos lá "combersar" amanhã...:))

Graça Pimentel disse...

Que engraçado. Acabo de dar uma saltada à tinta azul e o comentário que lé deixei foi "a ver vamos".

Um beijo amigo

Véu de Maya disse...

Sopram os ventos da Mudança...

:)