23 novembro, 2008

pois!






Picasso, P.
homme couchee et femme assise
(1979)







"O principal problema do velho feminismo foi, de facto, a falta de uma visão antropológica baseada no reconhecimento das diferenças entre os sexos. Enquanto que o feminismo "igualitário" pretendia uniformizar os sexos, levando as mulheres a imitar os homens, o feminismo "de género" dos nossos dias assenta na preposição ontológica de que a masculinidade e a feminilidade são construídas socialmente. Não se trata, portanto, de termos liberdade para sermos nós próprios, homens e mulheres autênticos, mas de negar a existência de uma tal autenticidade. Esta teoria está de tal forma afastada da experiência quotidiana de todos nós que não me merece mais nenhuma consideração."
Janne Haaland Matláry (2002).

36 comentários:

Tinta Azul disse...

Mais palavras para quê?
:)

intimidades disse...

concordo plenamente

devemos ter o direito de ser diferentes sem por iso er penalizadas

Jokas

Paula

WOLKENGEDANKEN disse...

Pois deste tema estive a discutir hoje num restaurante vegetariano indiano com um homem que gosto bastante e que me informou que existem segundo a estadistica mais homens que querem ser tansformados em mulheres do que mulheres que querem ser homens. Quem me dera saber o que queria dizer-me com esta informacao ??!!

:)) uma boa semana

Duarte disse...

Que bonito! Não conhecia este desenho de Dom Pablo.

Totalmente de acordo.

:))

Um grande abraço

anamar disse...

Que vivam as diferenças....
Quanto a Picasso recomendo uma visita aqui para os meus lados, Cascais, para ver a exposiçao de desenhos ,La Danza... Centro Cultural de Cascais, que tem sido generosa na mostra de desenhos do dito, graças ao intercambio com a fundaçao Bancaja, de Valencia.
Boa semana
Ana

Osvaldo disse...

Olá Mdsol;
Quando há respeito pelas diferenças sabendo-se que as capacidades são idênticas e todos têm o seu lugar na sociedade eliminando-se todas as discriminações e ao mesmo tempo "passar uma borracha" nas palavras machismo/feminismo..., então todos terão as mesmas oportunidades e aí, sim, dois farão um que poderão se transformar em muitos...

Belos "traços" de Picasso no "Homen deitado e mulher sentada".
bjs

Anónimo disse...

Sem pretender ofender sensibilidades pró ou contra quaisquer movimentos, femininos ou não, recordemos a constatação de Millôr Fernades, em toda a sua plenitude estética:
- "o melhor movimento feminino, ainda é o dos quadris".

Terá sido isso mesmo o que o poeta imortalizou quando viu passar - a Garota de Ipanema.

A dita garota

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

A discussão em volta do feminismo esbarra na realidade, não é verdade?

Justine disse...

Pois!...porque se fosse começar a discutir o tema, nem amanhã por esta hora!
Mas o desenho de Dom Pablo, como diz o Duarte, é um encanto:))

Delfim peixoto disse...

O feminismo, o machismo, o Humanismo.

Anónimo disse...

Volto aqui mais tarde, gostaria de partilhar o que sinto. Muito boa semana à tod@s!
Beijinho para ti, Mdsol. Garota de Ipanema, bom ouvir o que diz!

***

JPD disse...

A postura de cada um na sociedade não deve estar subordinada ao género nem às preoupações de pensar ou proceder desta ou daquela maneira por se ser homem ou mulher.

As metas, os propósitos, a sensibildade aos problemas, sobretudo a disponibilidade para intervir é que determinam um desígnio social.

Bjs

Anónimo disse...

da autenticidade, como sinto;
diz do ‘como’, da arte na construção – da feminilidade ou da masculinidade
diz então das escolhas, das opções éticas de alguém

é construção mas é também resgate (o que remete novamente à construção pois alguém pode ignorar o que há em si, além da realidade sensível)

remete à Integração: é processo, é trabalho – Individuação
através da substância ordinária da vida, do dia a dia, das experiências banais às mais dramáticas

é alquimia; transforma em ‘ouro’ o que começou por ser ‘trabalho sujo’,
pôr as mãos e pés no lodo, no lixo, no desprezível em nós para integrá-los no belo, nobre, meigo, compassivo, libertador que habita em nós também,

isso se não descuidamos dessa realidade outra, além do sensível (sob pena de perdermos o 'Sentido') noutro comentário falei de Eurídice e Orfeu e o sentido profundo....bem à propósito.

da densidade da matéria, à Liberdade do Espírito. É pois, bem mais complexo do que as feministas de primeira geração pensaram…

((solidária com quem empreende tal jornada, espero estar à fazê-lo também e estar à altura….))


http://paginas.terra.com.br/saude/oconsultorio1/ORFEU.htm


***

Anónimo disse...

http://paginas.terra.com.br/saude/oconsultorio1
/ORFEU.htm
***

Anónimo disse...

As discussões sobre o feminismo estão irremediavelmente datadas (digo-o com o valimento que me vem de, nos velhos tempos, as minhas amigas me chamarem o "feminista honorário"...).É a altura de lhes dar uma volta. Também aí é necessário mudar de paradigma. O drama está -- tal como para o socialismo ou a economia -- na grave falta, no pensamento actual, em encontrar os ditos paradigmas ! Pensadores criativos, precisam-se urgentemente !

Com este arrazoado nem comentei o Pablo. Mas ele nem precisa, não é ?

:)))))))) José-Carlos
(transdisciplinar)

~pi disse...

aqui prefiro ser l´homme couché,

( ? ser acalentada,

que alguém se me sente e me conte

uma história

de nada



~

Anónimo disse...

..."acalentada...uma história de nada" (?) tipo Scheherazade? ...hummm!!!

haja histórias, mas quando se está com quem se escolheu,
o caminho
encontramos (suponho), o 'como' construimos assim, desse jeitinho autêntico, caminhando junto...juntinho, enfim...

***

~pi disse...

anónimo,


posso perguntar 2 coisas peque-ninas (e mais 1 que é também resposta)? :)

1º és um menino, uma menina (ou não sabes bem

2º gostas de ~pi, quanto gostas de ~pi?

3º porque ~pi quer esperar que lhe venhas contar essa história de-assim-quase-nada
(esta sendo a pergunta-resposta)



talvez não quisesses que perguntasse, mas quero perguntar,
desculpa-me,



~

heretico disse...

"não se trata de termos liberdade para sermos nós próprios, homens e mulheres autênticos, mas de negar a existência de uma tal autenticidade..."

nem mais...

Anónimo disse...

~pi,

obrigada por oferecer assim
'passages', para uma história que
tarda acontecer (quantos mais cupidos para um encontro vir-a- ser?)

1º sou menina, isso sei bem

2º identifico-me muito com o que diz a ~pi (do contrário, não o diria) e é belo o modo como diz .

tento alcançar QUEM EU AMO, e todas as oportunidades são poucas. se assinalo empatia, é porque existiu (tenho também a mania, de por toda gente a falar, já viu?)

tento aqui expressar o que sinto (e sou?) para ALGUÉM ESPECIAL,
mas essa participação aqui, tornou-se mais que o inicial

3º transmites então esse recadinho para mim? EU QUERO contar essa história de-assim-quase-nada (o que estou a dizer? que sei eu de histórias de embalar!?)

que ELE não espere, que me alcançe. eu tenho a prerrogativa de esperar pois já fiz muito e me assutei...ele sabe.

se ele teme, também eu, que só aqui sou valente. noutro lugar nem cumprimentá-lo fui capaz! e nem sabia dos 'dados' todos quando cheguei!
ele que me liberte do 'virtual', que estou sempre a duvidar da minha sanidade com a falta que me faz SUA PRESENÇA REAL,
(nada mau para uma sonhadora)

que MEU AMOR não tema (muito mais tenho eu a temer). ele tem de mim DEZ MIL PALAVRAS há meses, cheias de AMOR E DESEJO que se derramam aos seus pés e diante do mundo (houve que visse, foram os cupidos, estão por todos os lados)
pelos seus olhos fui capaz de SENTI-LO

OBRIGADA CUPIDOS, não fossem voces, não sei como teria sido esse história (talvez não-sido?) eu os vi, ouvi, também li

mais uma coisinha ~pi, deixas que eu partilhe algo do teu blog com o MEU AMOR? (costumo espiar por aí)

parece que combina bem com o momento... (já ouvi umas dez vezes desde que estou aqui)
para o embalar, que bem precisa de miminhos e agora, lá não posso estar...

((av e~cor~ca sa~ven to~em
~balação~adorme c i
men
t
o
~
metamorphosis two- Philip Glass
http://pas-s-ages.blogspot.com/

MUITO OBRIGADA ~pi, um beijinho.

MUITO, MUITO OBRIGADA à Mdsol também.

***

~pi disse...

obrigada por responderes e por identificares ~pi,
(a que ~pia.

e sim, partilha, partilha!!

(que par-tes são coisas que se partilham,,

agora,

e depois a
questão fundamental que te sinto então é

onde esperas que ele te alcance -
- como dizes, expressas,

qual é o lugar onde queres ser alcançada pelo TEU AMOR?

talvez

possa eu ajudar-te, talvez, ( mais uma cupido nunca é demais, quem sabe me surja alguma revelação, mais a sul, mais a leste, sei lá,

podes tu partilhar as tuas expectativas, face a isso que TANTO e tão SEGURAMENTE desejas? :)




beijo

Anónimo disse...

há estações de comboios
belas pela confusão,
tanta emoção!

outras são belas
pela melancolia, tristes, vazias
um ar assim como se pedissem...

pessoas para lhes imprimir
qualquer memória,
uma história

as estações estão lá
a espera de mudança
em sua triste andança

a sul, a norte onde for
um dia, um destino
escolhidos e lá irei
ter com meu amor...

mas mistério e segredo
fazem parte dessa hora,
nada mais é preciso.

e partir da prisão das linhas
começando uma nova história
na liberdade do amor.

que o diga se assim
não convém ou se
alguma ‘revelação’, outro
lugar, também.

.................


Obs.cometi alguns erros acima. dahhh! para mim, não corrijo, fica assim. que ninguém leva a mal, num comentário tão especial.

beijo,

***

mdsol disse...

Alegra-me que este espaço, simplesmente branco, redundantemente branco, seja (também) retumbantemente um espaço de encontro. Falo a sério!
Que pena não poder colocar uma toalha de linho e servir um chá devidamente!
:))

~pi disse...

sim: estação:

exacta: onde o rio entra noutro rio, tu sabes,

não sei se tem comboio ou se é preciso ir a pé sobre a linha,

estação limpa, nua, deserta, a pedir história viva,

(estação inicial de início
integral de abrir luzes de linhas
reflexa de lua escrita

estação de ruínas
que se recupere, res~pire, estação de corvo, lobo e grito,

estação de pedras que se encontrem
(virgens

estação do pequeno rio afluente que corre para norte
e entra noutro leito,

(de grande rio - que te lembre o que te disse - que só amo e desejo o nascente sentido

aiiiiiiiiii estação de esperação -
- superaçãooooooooo ~

comboio apanhado por ti
e
do outro lado - por mim
por sim e porque te digo, porque te digo meu amor, aqui, por fim :)

(até lá, que pouco sendo,
e da traça do lugar,

sendo eu leve, flexível e sendo livre,
hora e dia ( é o que digas, é contigo,



beijo,

~pi disse...

sim, estação,

essa: onde o rio entra noutro rio, tu sabes,

não sei se tem comboio ou se é preciso ir a pé sobre a linha,

estação limpa, nua, deserta, a pedir história viva,

(estação inicial de início
integral de abrir luzes de linhas
reflexa de lua escrita

estação de ruínas
que se recupere, res~pire, estação de corvo, lobo e grito,

estação de pedras que se encontrem
(virgens

estação do pequeno rio afluente que corre para norte
e entra noutro leito,

(de grande rio - que te lembre o que te disse - que só amo e desejo o nascente sentido

aiiiiiiiiii estação de esperação -
- superaçãooooooooo ~

comboio apanhado por ti
e
do outro lado - por mim
por sim e porque te digo, porque te digo meu amor, aqui, por fim :)

(até lá, que pouco sendo,
e da traça do lugar,

sendo eu leve, flexível e sendo livre,
hora e dia ( é o que digas, é contigo,



beijo,

~pi disse...

maria do sol,

eu sempre acreditei em cupidos fadas

mary poppins e mesmo em piqueniques que se realizavam

em lugares especiais de florestas
e onde os animais falavam e se transformavam e depois regressavam aos estranhos chapéus que habitavam :)

(como acreditei no que está escrito em gordas letras na água muito funda dos poços redondos que já não há,

e gosto tanto de toalhas de linho -- de linho () que alimentam só com o cheiro a textura e a memória do olhar!

o chá estava maravilhoso, obrigada,



beijo

~pi disse...

eskeci-me da moderação, desculpa, devem ter ido vários comentários, apaga... obrig*

Anónimo disse...

sim, o chá estava acolhedor ...obrigada
pela delicadeza

ficou o enigma por decifrar, falo depois com certeza

Beijos (aos 3)

***

Anónimo disse...

Olá Mdsol!

Por favor faz chegar esse recado à quem precisa saber e depois
APAGA-O, por favor.

Estação Braço de Prata(?), dia 29, 15.15h.
Muito, muito obrigada por tudo!
Beijinho,

***

mdsol disse...

Oh minha cara Anónima dos ***
Eu ponho a toalha de linho (que vem a cheirar a alfazema) tiro a porcelana mais fina do armário e procuro um chá adequado para a hora e a circunstância. Tentarei até esmerar-me nuns scones com compota a condizer, e sei lá... Mas eu não sei a quem devo fazer chegar tal recado. Juro! A única coisa que eu faço é publicar os comentários que me enviam...

:((((

Anónimo disse...

Ouvi falar em chá.
Se for de manhã, proponho um Ceylão, talvez Nuwara Eliya, um príncipe. Se for de tarde, nada cairia melhor do que o perfume e subtileza de um Darjeeling.
Além do chá, levaria uns biscoitos.
Ah, a toalha de linho seria um must.

Garota de Ipanema

Anónimo disse...

Obrigada Mdsol, um bocado desconcertante mas obrigada. Parece que tenho de continuar a andar e a equilibrar-me, tipo assim como a menina do post de hoje. E um bocado 'às cegas' também (como o foi até aqui).

Conto se conseguir encontrar 'luz' (e calor já agora, que costuma vir acompanhado da luz e nesses dias, era bem bom!). Beijo para ti.

***

Anónimo disse...

Oh Garota (de Ipanema),
tens gostos muito refinados
para alguém que é 'desses lados'

(me desculpem os brasileros,
e não me levem a mal, que por lá também andei)

eu nem saberia onde encontrar
umas tais especiarias,
toalha sim, talvez não tão fina
como a que tem Mdsol no armário,
e iria ver dos tais bolinhos...

nossa! lidar com gente refinada
é qualquer coisa pra mim!
mas ouvir falar em príncipe, me aguçou a curiosidade (as tais florestas assim...)

***

~pi disse...

tanto chá tanto,

gosto de maçã cidreira canela ( gosto de sândalo, que não sendo chá é cheiro,

gosto de estações,

gosto de olhos fechados de estações
comboios de linhas certas, ecos,

comboios (de-vir), :)

Antropologia disse...

tal preocupação com o que é de requinte
tem lá sua explicação,
vivo em terra de 'touros e toureiros',
(nem bem ali, mais para os montes)
onde o que é fino não é opção
(terá já sido bem pior)

mas anotei a sugestão(es),
estando a compreender melhor.
ao descer, é estação
nada de linhas a atravessar

sobre ecos...há, não há?
do comboio ao abalar...
(15.11h, hora exacta)

***

Anónimo disse...

o comentário acima ficou com a identificação do meu filho, engano meu em não assinalar anônimo. sorry!

***