31 outubro, 2010

sem dolências







Thorpe, Mackenzie
found in the rain









Nesta tarde de domingo, chuvosa e temperamental, escura e a convidar a um sossego pouco compatível com os desafios destes tempos, é certo que:  mesmo as tardes magoadas, em tempos de escuridão, podem ser aconchegadas, se olharmos com atenção!
For all of  you, from the bottom of my heart!

[E ouçam a música do post abaixo, óbiram?]

há domingos assim (21) [bárbara fortuna]




Kemarre, Josie Petrick
bush berry after rain fall
(2008


Barbara Fortuna, Tchem

Um bom dia do senhor, com cor e música :))))

30 outubro, 2010

prodígio das rosas







Kinard, Kristy
rose tea






E agora rosas, meninas e meninos, porque quem lê desabafos merece. E, seguramente, há tanta, ou mais, metafísica numa rosa ... :))))


Gilbert Bécaud, l' important c' est la rose

desabafo desencanto desafio

 




Vignoli, Fernando
my last money
(2008) óleo sobre tela






Espanta-me que muitos se espantem com pormenores. Sejam eles (os pormenores) relativos a horários, a quem começou o quê, ou mesmo quem foi mais elástico ou menos plástico. Todos sabemos que isto não é um acordo mas um arranjo. Todos sabemos que isto não é um compromisso mas uma cumplicidade, para tentar resistir. Todos sabemos que os verdadeiros antagonistas não aparecem neste jogo. Todos sabemos que estes compadres se entendem porque outros padrinhos o exigem. Todos sentimos que o pior não é o que está, mas a falta de esperança no que vai ser. A falta de sentido que se sente nestas costuras forçadas entristece todo o tecido que somos nós, repartidos entre os que foram e os esboços dos que hão-de vir. Olhemos para os joelhos massacrados de tanto se trabalhar em cima deles, sem outro fito que não o momento e com o olhar na direcção dos pés aos tropeções. Alguém me ajuda a pensar no que posso fazer para contribuir para que arranjemos não só o devido troco, mas também algum pé-de-meia que refranja o olhar noutras direcções, mais construtoras de futuro?

sábado de manhã (132)





Bonnard, Pierre
indolence
(1899)

29 outubro, 2010

temos trato e, assim, passadio por mais uns tempos






Baechler, Donald
orange rose
(2010)







Jogo total: parecem em estado de vertigem tal o simulacro exibido para lutar pela sorte na competição contínua. Tiveram de descer à realidade, à vida corrente e acabar o jogo.

[Adenda já no dia 30, Sábado. Parece que anularam o momento simbólico que assinalaria o fim do jogo. A ser assim, ao recusarem o momento símbólico institucional, colocar-se-iam, claramente no terreno da marginalidade institucional. E eu que falava ironicamente de jogo! Afinal, tudo é mais da ordem de um segundo nível de "realidade" em que o que está em causa não tem nada a ver como nosso dia a dia, com a vida real do país, mas com as pulsões lúdicas agónicas dos que simulam publicamente, de forma vertiginosa]

torna





Leeuw, Alexis de
returning home
(1885)



Cansadita mas já em casa! A ver se agora arranjo algum tempo para visitar as meninas e os meninos. :))))


Pedro Barroso, canção para regressar

em português nos entendemos




Mejía-Guinand, Francisco
caligrafia
(2010)





Amália Rodrigues, fado português

Parece-me ser grave que governo e oposições não atremem. Contudo, esta falta de atino não me parece que resulte somente de estarem na política de forma vertiginosa, mas porque, pura e simplesmente, estão aganados. Entanguidos, mais precisamente. Os alcaricotes que dão dia a dia revelam a falta de solidez para ajoanarem o que dizem e prometem. Mais do que discutir apeguilham... e, entretanto, vamos ficando todos com um sorriso amarelo.

28 outubro, 2010

linha de costura, amarela







Mitchel, Joan
a linha da ruptura
(1970 - 1971)




O acordo ortográfico diz que agora é rotura. Prognose de monta a antecipar este momento que não é de mero rompimento, nem de uma interrupção, insuficiente. O corte delineia-se no perfil da necessidade. Preferia a ruptura à rotura, sem este desvario tautológico que é romper o que já está completamente roto.

[Post  a correr (a net melhorou um pouco, mas o tempo continua curto) depois de ter conseguido dar uma vista de olhos à imprensa portuguesa, on-line]

com kalimba


Luciana Souza canta Neruda, soneto 49

[fora, sem tempo, fica a música]

27 outubro, 2010

tapa sem cañas






LoCicero, Patrick
fall hydrangea
(2009)








Deixo flores, deste tempo. Com votos de um tempo bom!


[Adenda: Mal eu sabia que me havia de cruzar no hall do hotel com o don Manuel Fraga Iribarne. Um senador em cadeira de rodas e com um olhar de que não vos sei dizer, porque dividi o meu próprio olhar entre um senhor envelhecido e dependente e a memória de um dinâmico franquista.]

26 outubro, 2010

porque hoje é terça


Omara Portuondo Y Pablo Milanês  amame como soy

Otro dia mas que se desprende de mi cuerpo
una razon de amar
de campartir contigo mis sentidos al cantar
que entiendas que mi musica es para ti

Asi quiereme
asi como yo soy un loco que te ofrece amor
un despiadado amante de la vida y la pasion
un soñador que insiste ser tu religion

Te llevare en mi voz
Te robare el corazon
me contaminas sin saber
que tu eres parte de mi inspiracion

Amame tal como soy
sigueme hasta el final
de esta carrera que estoy cruzando
Subete a mi corazon
no puedo detener el vuelo
de mi vida cautiva

Yo te seguire en cada paso de tu vida
me recargare
para observar tus sentimientos cada anochecer
quiero cantar contigo siempre hasta el final

Asi quiereme
asi como yo soy un loco que te ofrece amor
un despiadado amante de la vida y la pasion
un soñador que insiste ser tu religion

Te llevare en mi voz
Te robare el corazon
me contaminas sin saber
que tu eres parte de mi inspiracion

Amame tal como soy
sigueme hasta el final
de esta carrera que estoy cruzando
Subete a mi corazon
no puedo detener el vuelo
de mi vida cautiva

25 outubro, 2010

e quando lá chegares manda saudades que é coisa que cá não deixas



Moses, Forrest
reflecting october
(2006)




A rede neste hotel parece que funciona a carbón ... Se estes galegos fixesen investimentos nas enerxías renovables, a cousa fluía mellor. :)))

[O google ten mellorado inmenso en linguas, vós non cres? :))]

manhã de segunda, mas uma boa semana (51)






Pugh, Anna
autumn leaf




Uma semana boa, recortadinha de mimos, que isso é assunto que não quer nada com ivas nem reduções salariais. Crise, crise, mimos à parte :)))


Stan Getz, autumn leaves


Chet Baker & Paul Desmond, autumn leaves


Winston Marsalis & Sarah Vaughan, autumn leaves


Nat King Cole, autumn leaves


Edith Piaf, autumn leaves 

[Não consigo escolher e decerto quem passa tem gostos variados. Por mim ficava-me logo na versão do Stan Getz, sem palavras, mas com o sentido todo.]

24 outubro, 2010

parabéns





Kisling, Moïse
les mains








MÃOS
 ...
E depois no fim dos tempos
uma floresta de acenos
uma floresta de mãos:
na plenitude dos corpos,
pela ressurreição a mão retomará
seu lugar e sua função: a mão.

Maria de Lourdes Belchior, gramática do mundo, IN-CM, biblioteca de autores portugueses, 16




[Quando se ouve happy birthday dear hummmm hummm deve "ouvir-se"  happy birthday dear João]

E para todos os outros, os que não são o meu amigo João, um bom dia do senhor! :)))

[Olhó aviso fresquinho no post aí em baixo]

23 outubro, 2010

ondinhas veñen e van





Twaddell, Susan Hardy
Galicia ridge hike
(2009)





 
Rianxeira

É simples: estou super ocupada e, para a semana, nem vou estar por cá. Ficam umas coisas programadas, para ver se o branquinho não implode de vez. Passem uns dias bons. Eu se tiver tempo mando notícias da Galiza. :))) Vou ter moitas saudades.  Espero que todas as nenas e todos os nenos queden ben por aquí

sábado de manhã (131)







Rembrandt, van Rijn
Hendrickje sleeping
(c. 1655)

22 outubro, 2010

a importância do jogo





Lack, Stephen
no one to play with
(1998)





Embora lhe tenham chamado tango!

não sei se havia necessidade (10)



Leonardo da Vinci
a última ceia
(1495-98)


Kostabi, Mark
a última ceia
(1986)

21 outubro, 2010

composição poética pouco extensa

E esta Europa senhores, porque nos dá tantas dores, porque nos prega ao banco assim?

utilidades privadas







Kaufman, Amy
daisies





Ontem jantei com um grupo de amigos, entre os quais três Margaridas.
Quanto maior for a crise mais necessárias serão as redes solidárias e o interesse por coisas bonitas. Digo eu ...

Besiktas 1 FCP 3






Poizé! Se todos, em todos os sectores da actividade, e apesar do ano passado não ter corrido nada bem, tivessem este desempenho, neste momento, de certezinha que a tia Ângela e o tio Nicolau batiam a bolinha mais baixo com os sobrinhos, em particular com os mais pequenitos. Ah pois!




Adenda: Adelino Maltez diz coisas ali na sic-n, coisas com as quais, no geral, me identifico e que, de forma rebuscada, tentei sugerir  aí em cima. É que esta Europa está mesmo uma treta...

vós aí e voz daqui


Galandum Galundaina, redodo, nós aqui e vós aí

[Sem tempo, fica música]

20 outubro, 2010

bálsamos






Thorpe, Mackenzie
a light in the dark








Há sempre alguém que insiste e chega a uma boa conclusão.

19 outubro, 2010

descasca







Motherwell, Robert
in orange with charcoal line
(1969)






A abertura está quase feita. Não tarda nada salta o coelho de cartola, agarradinho a um tabu de peluche.

porque hoje é terça


Dolores Duran, a noite do meu bem

Hoje eu quero a rosa mais linda que houver
E a primeira estrela que vier
Para enfeitar a noite do meu bem
Hoje eu quero paz de criança dormindo
E o abandono de flores se abrindo
Para enfeitar a noite do meu bem
Quero a alegria de um barco voltando
Quero ternura de mãos se encontrando
Para enfeitar a noite do meu bem
Ah! eu quero o amor, o amor mais profundo
Eu quero toda beleza do mundo
Para enfeitar a noite do meu bem
Ah! como este bem demorou a chegar
Eu já nem sei se terei no olhar
Toda ternura que eu quero lhe dar.

18 outubro, 2010

manhã de segunda, mas uma boa semana (50)





Anderson, Kathy
autumn pansies and cosmos





Uma boa semana para quem passa! E dias ainda melhores para quem ouvir a romaria da Elis! :)))

Elis Regina, romaria

É de sonho e de pó
O destino de um só
Feito eu perdido em pensamentos sobre o meu cavalo
É de laço e de nó
de gibeira, o giló
dessa vida comprida a solo

Sou caipira, pira, pora, Nossa Senhora de Aparecida
ilumina a mina escura e funda o trem da minha vida

Sou caipira, pira, pora, Nossa Senhora de Aparecida
ilumina a mina escura e funda o trem da minha vida

O meu pai foi peão, minha mãe solidao
Meus irmãos perderam-se na vida à custa de aventuras
Descasei, joguei,
Investi, desisti
Se há sorte, eu não sei, nunca vi

Sou caipira, pira, pora, Nossa Senhora de Aparecida
ilumina a mina escura e funda o trem da minha vida

Sou caipira, pira, pora, Nossa Senhora de Aparecida
ilumina a mina escura e funda o trem da minha vida

Me disseram porém que eu viesse aqui
Para pedir de romaria e prece paz nos desaventos
Como eu não sei rezar
Só queria mostar meu olhar, meu olhar, meu olhar

Sou caipira, pira, pora, Nossa Senhora de Aparecida
ilumina a mina escura e funda o trem da minha vida

Sou caipira, pira, pora, Nossa Senhora de Aparecida
ilumina a mina escura e funda o trem da minha vida

[Nota: vou estar muito ocupada. Não vou ter tempo para as visitas regulares por aí. Eu sei que quem perde sou eu. Por isso, mesmo que espreite, vai ser muito a correr, sem tempo para deixar rasto]

17 outubro, 2010

PEC - país em calhado






Botero, Fernando
presidente durmiendo
(1998)








PECado - pec por extenso, sinónimo de pec
PECabilidade - a grande marca do pec
PECadilho - pec asneirento mas simpático
PECador - todo aquele que contribui para a necessidade do pec
PECadoraço - pec sem salvação possível
PECaminosamente - modo do pec se processar.
PECaminoso - qualidade dos criadores da fatalidade do pec, qualidade intrínseca do pec
PECante - o que vive do e para o pec
PECável -  a condição de quem provoca o pec. Este conceito está na base da questão essencial: ora olhai os delírios do campo do capital financeiro que, por um lado é o mais pecável e, por outro, relaciona-se com o pec de forma impecável!
PECha - influência, geralmente pequena, de quem tenta contrariar o pec
PEChincha - consequência da aplicação do pec ao desgraçado do pec, para o senhor doutor engenheiro magistrado e arquitecto mercado, que lhe chama um figo (à pechincha)
PEChisbeque - resultado a médio e longo prazos, da aplicação do pec ao próprio pec.
PÉ-Cochinho - pec que além de pec é manco e desarticulado (necessita de travessões para fazer as ligações)
PECuliar- pec lusitano
PECuliaridade - pec virtual
PECúleo - a sua falta está, em parte, na génese do pec, o que é ilusório: o pecúleo só muda de poiso
PECuária - agremiação dos que conduzem ao pec
PÉCora - o mesmo que peca, feminino de pec, só podia ter má fama
PEÇonha - estado de quem, bem çentado na banca, cria condições para o pec
PEÇa - usa-çe com ironia. Exemplo: este pec é uma boa peça!

[Nota: aceitam-se melhorias, dentro do espírito da brincadeira. É que fiz isto correndo, antes de ir tomar café com as minhas amigas, como sempre faço no dia do senhor, ao fim da manhã. ]

[E não fiquem aqui esPECados, façam favor de, pelo menos, ouvir a música do post aí em baixo, enquanto olham as cores do outono, que não tardam aí, para meu contentamento].

há domingos assim (20)






Elliott, Ken
autumn dance II
(2008)







Um bom dia do senhor para todos, com cor e movimento q.b. :)))

Taraf De Haidouks - Rustem si suite (banda cigana da Roménia)

16 outubro, 2010

alçada da ministra






Muehl, Roger
paysage méditerranée
(1991)










José Barata Moura, Joana come a papa (ao vivo)

Não há muito tempo, referi aqui o meu desacordo com o conteúdo desta notícia que, a ser verdadeiro, entre outras coisas revelaria muita descordenação e decisões que contrariam entendimentos relativamente pacíficos, nomeadamente em relação à qualidade da dieta dos alunos na escola. Pois bem, numa cerimónia de promoção da dieta mediterrânica, ao responder a uma jornalista que associava a crise à dificuldade de seguir a dita dieta (a jornalista deveria saber que a dieta mediterrânica não é cara, devia, devia) a ministra da saúde Ana Jorge acaba a perguntar porque é que os pais dão dinheiro para os alunos irem às máquinas, quando as refeições na cantina eram muito mais equilibradas e baratas. O branco no branco, mesmo consciente da sua dimensão pititi, atreve-se a sugerir à ministra Ana Jorge que dê uma ligadela à colega ministra Isabel Alçada, a ver se ela tem alguma coisa a ver com a decisão da Parque Escolar ou se o negócio faz parte de uma aventura que ultrapassa o ministério sob sua alçada (sim aqui com letra minúscula).
E também não me comovo com títulos destes. Toda a gente sabe que leite é diferente de leite achocolatado e que este é um péssimo alimento que por aí se vende. [Bem isto não é uma defesa das medidas de austeridade tout court. O que quero dizer é que, a aumentar o iva, é preferível que o façam em alimentos que, de facto, não são essenciais e até são desaconselhados. 

notícia que não do mina






Rivera, Diego
mineiros
 (1935)








sábado de manhã (130)



Stevovich, Andrew
woman with autmn leaves
(1994)

15 outubro, 2010

pro vocação





Delaunay, R.
nature morte portugaise
(1916)





Portugal é um país ou um sítio?

criar é humano, andar com invencionices nem tanto



Se, porventura, acharem que a realidade anda pouco criativa, monótona, sem emoções suficientemente fortes para nos sacolejarem os dias, aqui fica a sugestão para criarem as vossas próprias histórias. Publico calmamente esta sugestão porque sei que o branco no branco  não chega a uns maduros que inventam p'ra caramba.

não fin(i)to







Stamos, Theodoros
infinity Field (Nemea Series 3)
(1973)











Charles Loyd, prayer 
...
3
Quero apostar ao infinito.
Ainda não preenchi a minha proposta.
Talvez nunca chegue a preenchê-la.
mas sei que é a única que interessa

E talvez isso baste:
a minha aposta far-se-á por si
se eu a não fizer.

Fá-la-á por mim
o sopro que ajudei a nascer.

Roberto Juarroz, tríptico vertical, poesia vertical, editora campo das letras, 59

14 outubro, 2010

...




Barbosa, Edivaldo
rede lotada de lambari
(2010)

13 outubro, 2010

a bem suados

Entre a lição de resistência e esperança que os mineiros nos dão e o trabalho de todos os envolvidos nos trabalhos do seu resgate, a minha comoção só aumenta. Abençoados: conhecimento, investigação, reflexão, tecnologia, destrezas, vontade, empenho, ... que permitem um trabalho tão competente.
Portanto, os que permitem (ou exige) que, hoje em dia, se trabalhe sem as condições de segurança  permitidas pelos: conhecimento, investigação, reflexão, tecnologia, destrezas, vontade, empenho ... desculpem-me a crueza da linguagem, mas são umas bestas com forma de gente.

uma comoção imensa com a lição de vida que nos chega do deserto de Atacama e desperta em nós o melhor que temos para dar e para ser



Vídeo regatado aqui. E ouçam, que faz bem!

recato regato






Aldrich, George Ames
autumn stream










Há um regato
sinuoso,
fio de água
cristalino,
sibilino,
correndo pelo dorso
de prado clandestino.
É segredo que guardo,
cioso,
só para mim.
Quero-o assim,
aos pássaros e aos corços.

Jorge Avidal, instantes lugares evasões, ed. campo das letras, 34


Elsiane, across the stream

12 outubro, 2010

sou mineira e estou nas entranhas do deserto de Atacama

O início do resgate dos mineiros presos desde Agosto numa mina de ouro, a quase 700 metros de profundidade, no deserto de Atacama, no Chile, previsto para as zero horas [hora de Lisboa] deste dia 13 de Outubro de 2010, mais do que um sinal, é a certeza de que, apesar das imperfeições, o ser humano é capaz de gestos extraordinários. Com o coração apertadinho espero que os 33 mineiros, resistentes exemplares, heróis de facto, cheguem todos bem. Penso, também, em todos os que se empenharam directamente na operação de salvamento. E espero que a comunicação social comunique só o necessário.

Atacama, desierto florido

às três foi de vez






Georgeson, Mikey
buuble
2009







Portugal foi escolhido. À terceira, após a desistência do concorrente directo, mas foi eleito com 150 votos.

porque hoje é terça


Gigliola Cinquetti, dio como te amo

Nel cielo passano le nuvole
che vanno verso il mare
sembrano fazzoletti bianchi
che salutano il nostro amore

Dio, come ti amo
non è possibile
avere tra le braccia
tanta felicità

Baciare le tue labbra
che odorano di vento
noi due innamorati
come nessuno al mondo

Dio, come ti amo
mi vien da piangere
in tutta la mia vita
non ho provato mai

Un bene così caro
un bene così vero
chi può fermare il fiume
che corre verso il mare

Le rondini nel cielo
che vanno verso il sole
chi può cambiar l’amore
l’amore mio per te

Dio, come ti amo

Un bene così caro
un bene così vero
chi può fermare il fiume
che corre verso il mare

Le rondini nel cielo
che vanno verso il sole
chi può cambiar l’amore
l’amore mio per te

Dio, come ti amo
Dio, come ti amo

11 outubro, 2010

1 X 2

Dia 23 de Janeiro de 2011: eleições para a Presidência da República. No imbróglio em que nos encontramos convinha-nos um presidente que visse além de Cacilhas e pensasse além dos númAros. Convinha-nos um presidente culto e generoso. Convinha-nos um presidente aberto e bem preparado. Convinha-nos um presidente sensato e firme. Estarei a pensar mal?

The Beatles, help

Help, I need somebody,
Help, not just anybody,
Help, you know I need someone, help.

When I was younger, so much younger than today,
I never needed anybody's help in any way.
But now these days are gone, I'm not so self assured,
Now I find I've changed my mind and opened up the doors.

Help me if you can, I'm feeling down
And I do appreciate you being round.
Help me, get my feet back on the ground,
Won't you please, please help me.

And now my life has changed in oh so many ways,
My independence seems to vanish in the haze.
But every now and then I feel so insecure,
I know that I just need you like I've never done before.

Help me if you can, I'm feeling down
And I do appreciate you being round.
Help me, get my feet back on the ground,
Won't you please, please help me.

When I was younger, so much younger than today,
I never needed anybody's help in any way.
But now these daya are gone, I'm not so self assured,
Now I find I've changed my mind and opened up the doors.

Help me if you can, I'm feeling down
And I do appreciate you being round.
Help me, get my feet back on the ground,
Won't you please, please help me, help me, help me, oh

manhã de segunda, mas uma boa semana (49)






Graf, Carl C.
early october morning





Boa semana, com a festa possível, pois claro! :)))


Rodrigo Leão, la fête

10 outubro, 2010

há domingos assim (19)





Bardone, Gu
mimosa




MIMOSAS

Todos os anos na mesma altura
a montanha veste o mesmo vestido amarelo
para ver se ainda lhe serve na cintura.

Jorge de Sousa Braga, fogo sobre fogo III
[o poeta nu - poesia reunida, assírio & alvim, 215]


Brad Mehldau trio, still crazy after all these years

Um bom dia do senhor :))

09 outubro, 2010

confesso a minha ignorância

Se houver por aí uma alma caridosa que não se importe de me ajudar a perceber quais os requisitos necessários para ser conselheira do FMI, eu agradeço. Até agora só consegui perceber que deve ajudar bastante ter formação em economia, estar entre os sete especialistas do the quarterly journal of economics  as sete mais elegantes da revista Caras,  participar numa conversa de generalidades na rtp, e fazer declarações à tsf, conseguindo falar sem dizer rigorosamente nada (ouvi ontem quando vinha para casa, daí a minha curiosidade). Já agora, o FMI não é uma entidade muito importante, tanto que até dita muitas das regras com que somos obrigados a viver?

com tradição






Rutstein, Rebecca
as we go up we go down
(2009)











Entre a falha e a superação, cá vamos andando com a cabeça entre as orelhas.
Entre o disparate e a elevação, cá vamos andando com a cabeça entre as orelhas (inspiração aqui).
Entre a realidade e a adivinhação, cá vamos andando com a cabeça entre as orelhas.
Entre a facilidade das medidas rigorosas e o facilitismo, cá vamos andando com a cabeça entre as orelhas.
...

sábado de manhã (129)







Chen Ting, Mimi*
sleeping woman
(1996)







* Mimi Chen Ting nasceu na China, em Xangai

08 outubro, 2010

o prometido é devido, a todo o gás






Miró, Juan 
s/ título
(1965)












Rui Veloso, o prometido é devido

Estava a ler esta curiosidade e lembrei-me da história que o Rui Veloso contou num concerto no Coliseu do Porto, imediatamente antes de cantar "O prometido é devido". Se bem me lembro, a história era mais ou menos assim:  no final de um espectáculo que ele deu numa localidade algures por aí, uma fã já não muito jovem, que o foi cumprimentar, disse-lhe entre parabéns e afins, que tinha gostado muito mas que estava  muito triste porque ele não tinha cantado a do gás. Como? Terá ele perguntado à fã embevecida e cuja idade o obrigava a alguma deferência. Não cantou a do gás! Não estou a perceber, eu não tenho nenhuma canção que fale de gás. Ai não que não tem, então aquela em que a rapariga diz que se ele for ao gás, ela tira o vestido?

Naquele trilho secreto,
Com palavra santo e senha.
Eu fui língua e tu dialecto.
Eu fui lume, tu foste lenha.
Fomos guerras e alianças,
Tratados de paz e passangas.
Fomos sardas, pele e tranças,
Popeline, seda e ganga.
Recordo aquele acordo
Bem claro e assumido
Eu trepava um eucalipto
E tu tiravas o vestido
Dessa vez tu não cumpriste,
E faltaste ao prometido.
Eu fiquei sentido e triste.
Olha que isso não se faz.
Disseste se eu fosse audaz,
Tu tiravas o vestido,
E o prometido é devido.

Rompi eu as minhas calças.
Esfolei mãos e joelhos.
E tu reduziste o acordo,
A um montão de cacos velhos.
Eu que vinha de tão longe,
Do outro lado da rua.
Fazia o que tu quizesses,
Só para te poder ver nua.
Quero já os almanaques.
Do Fantasma e do Patinhas,
Os Falcões e os Mandrakes.
Tão cedo não terás novas minhas.
Dessa vez tu não cumpriste,
E faltaste ao prometido.
Eu fiquei sentido e triste.
Olha que isso não se faz.
Disseste se eu fosse audaz,
Tu tiravas o vestido,
E o prometido é devido.


Letra Carlos T; Música Rui Veloso

des-tino



Pasmore, Victor
the force of destiny
(1992).


Paul Simon, still crazy after all these years

I met my old lover
On the street last night
She seemed so glad to see me
I just smiled
And we talked about some old times
And we drank ourselves some beers
Still crazy after all these years
Oh, still crazy after all these years

I'm not the kind of man
Who tends to socialize
I seem to lean on
Old familiar ways
And I aint no fool for love songs
That whisper in my ears
Still crazy afler all these years
Oh, still crazy after all these years

Four in the morning
Trapped out, yawning
Longing my life a--way
I'll never worry
Why should I?
I know it's all gonna fade

Now I sit by my window
And I watch the cars go by
I fear I'll do some damage
One fine day
But I would not be convicted
By a jury of my peers
Still crazy after all these years
Oh, still crazy
Still crazy
Still crazy after all these years

07 outubro, 2010

ou há moralidade ou comem todos


Brüghel, Peter
children´s game
(1560)


Acho muito bem  esta petição, mas fico à espera que a reivindicação se alargue a todos os temas e não só aos temas económicos. A acção do aparelho ideológico não se realiza só com temas ditos importantes. Este pode ser o próximo tema a não esquecer, na procura de pluralismo e, já agora, de alguma qualidade. Mas isto sou eu a falar...




Vladimir Dubossarsk y Alexandre Vinogradov
untitled  
(2008)

sinfonia do outono




Yanping, Yang
autumn symphony
(2008)






Joseph Marx, eine Herbstsymphonie, 1º andamento
[é clicar pois a incorporação foi desactivada mediante solicitação]

06 outubro, 2010

desanuviando







Ladd, Rosemary
tulip

mimalhos com birra


Um amontoado de mimalhos armados em conservadores modernaços, a ver se arranjavam um 31. Mais apropriada do que invocar as palavras de Martin Niemöller parece-me a invocação da história do Pedro e o lobo. É que, depois, não há manifestação que nos salve a nós, mesmo que nos ataviemos com a gravatucha. O diletantismo de uns é pago muito caro. Mas que mimalhos!
Depois de ler este post.

digestivo






De Kooning, Willem
high school desk
(1970)





Alguns comentários a este post levam-me a dizer que, também eu, acho a iniciativa da remodelação das Escolas altamente meritória e politicamente acertada. O meu reparo vai para o modo como esta medida tem sido posta em prática, em demasiados casos. Dos testemunhos que tenho ouvido, e são bastantes, sobressaem muitos problemas, por exemplo, de funcionalidade e adequação às funções, que resultam em grande parte da falta de diálogo, arrogância e da falta de preparação específica, nomeadamente dos arquitectos: laboratórios sem água, pavilhões sem tomadas, janelas que não permitem salas arejadas, espaços polivalentes com "arejo" a mais, materiais inapropriados, soluções que duram pouco, cores completamente desadequadas até do ponto de vista das boas condições para a aprendizagem, aquecimento mal programado, indiferença pelas especificidades do uso das instalações, espaço das bibliotecas pior ... Alguém, professora, defensora das políticas de educação, nomeadamente do governo anterior, sintetiza: a escola ficou pior, está aparentemente muito lindinha mas em termos funcionais está muito pior. Ora, os problemas da funcionalidade e da adequação das soluções, são da esfera da competência dos profissionais que, no terreno, acompanham os trabalhos de remodelação. Esta desadequação e falta de qualidade não se situa na esfera política, situa-se na esfera ética e na  esfera do exercício da competência profissional (deontológica, para abreviar). Este é o tipo de "problema" que me incomoda particularmente: a falta de rigor e o formalismo com que, muitas vezes, se tenta tapar o falta de empenhamento naquilo que se faz. É por estas e por outras que não vamos lá... Os governos não têm a culpa toda, nem a culpa de tudo. Há uma dose de culpa "profissional" e individual, no fracasso colectivo que paira por aí.

não sei se havia necessidade (9)



Leonardo da Vinci
a última ceia
(1495-98)



Riesebrodt, Brigitte
Leonardo's last supper
(2008)

05 outubro, 2010

"o comer"





Fabre, Jan
the brain as food
(2008)



Tenho quase tudo contra e quase nada a favor. Acredito que, se este tipo de decisão tivesse uma equipa pluridisciplinar a apoiá-la, fosse tomada com base em critérios educativos e formativos e não resultasse de uma leitura fragmentada e modernaça da vida, este tipo de equipamentos não teria futuro nas escolas, quanto mais um futuro risonho. Aliás, pensando melhor, bastaria algum bom senso. Alimentos caros e pouco cuidados é o que, normalmente, estas maquinetas oferecem. Gostava de saber onde ficam as campanhas contra a obesidade e por uma alimentação saudável. Realmente a Parque Escolar está a sair melhor do que a encomenda. Pelas histórias que ouço sobre as obras realizadas nas escolas, e de que dou este exemplo, a incompetência grassa. Agora, até na alimentação metem o bedelho, tal a amplitude da sua (in)competência. E não, não acho que o "contexto político", chamemos-lhe assim, explique tanto disparate. Esperemos que a notícia não seja bem assim.

res publica






Pastine, Ruth
ethics and desire, and strength's vulnerability limitless
(2009)

A Portuguesa

[É para ouvir, tábem?]

[Alguém me explica o que é que o António Costa Pinto está a fazer na sic-n? Aparentemente está a comentar os discursos proferidos na sessão solene das comemorações do centenário da implantação da República mas, não se ouve nada. O senhor tem um registo de voz que só usa frequências e tons que o põem a falar para o boneco. Pois se não se ouve?! E  o mal se pega-se porque o Luís Delgado que normalmente se ouve bem, também já encontrou uma frequência em que pouco se percebe. Não que a perda seja importante, entenda-se!]

Adenda: há um ano o bnb comemorou assim

porque hoje é terça


Pablo Milanês, el amor de mi vida 

Te negaré tres veces
antes de que llegue el alba
Me fundiré en la noche
donde me aguarda la nada.

Me perderé en la angustia
de buscarme y no encontrarme
te encontraré en la luz
que se me esconde tras el alma.

Desangreré caminos,
sin salidas como muros.
Recorreré los cuerpos,
desolados sin futuro.

Destruiré los mitos,
que he formado uno a uno,
y pensaré en tu amor,
este amor nuestro vivo y puro.

Te veo sonreir,
sin lamentarte de una herida.
Cuando me vi partir,
pensé que no tendrías vida.

Que gloria te tocó,
que ángel de amor,
que has renacido.
Qué milagro se dio,
cuando el amor volvió a tu nido

¿Qué puedo hacer?
Quiero saber,
que me atormenta en mi interior.
Si es el dolor,
que empieza a ser,
miedo a perder lo que se amó.

Te veo sonreir,
sin lamentarte de una herida.
Cuando me vi partir,
pensé que no tendrías vida.

Que gloria te tocó,
que ángel de amor,
que has renacido.
Qué milagro se dio,
cuando el amor volvió a tu nido

¿Qué puedo hacer?
Quiero saber,
que me atormenta en mi interior.
Si es el dolor,
que empieza a ser,
miedo a perder lo que se amó.

 Será que eres el amor de mi vida...!!

04 outubro, 2010

sex age ná rio



O Snoopy faz hoje 60 anos. Como o tempo passa!

Adenda, com a ajuda do comentário do JRD:  "Ontem fui um cão. Hoje sou um cão. Amanhã provavelmente vou continuar a ser um cão. Há tão pouca esperança de avanço”.  Snoopy

imitação


Contemporâneos, salvem os ricos

imitação daqui

manhã de segunda, mas uma boa semana (48)






Guenther, Andrew 
another economy
(2010)








E é imbuída (hum... palavra catita) do melhor espírito (e corpo, ora bem) que aqui deixo o link para o manifesto dos economistas aterrorizados. Ânimo novo, minha gente!

Zeca Baleiro, alma nova