28 outubro, 2010

linha de costura, amarela







Mitchel, Joan
a linha da ruptura
(1970 - 1971)




O acordo ortográfico diz que agora é rotura. Prognose de monta a antecipar este momento que não é de mero rompimento, nem de uma interrupção, insuficiente. O corte delineia-se no perfil da necessidade. Preferia a ruptura à rotura, sem este desvario tautológico que é romper o que já está completamente roto.

[Post  a correr (a net melhorou um pouco, mas o tempo continua curto) depois de ter conseguido dar uma vista de olhos à imprensa portuguesa, on-line]

8 comentários:

Rogério Pereira disse...

Ruptura
sem p
é rotura
perde-se o p
de pura
perde-se o u de uivo
ganha-se o ó de ovo
e fica-se mesmo roto...

Pedro Lucas disse...

Também continuo a preferir ruptura. Bela a inspiração de Luciana Souza.
Maria Sol ? Você não andou por acaso em Lisboa no Pedro Nunes em 83-85 ? Se sim, fomos colegas!

intimidades disse...

adoro a musica :9
beijos
Paula

intimidades disse...

eu nunca me vou habituar ao novo acordo, continuo pela ruptura :)

Beijos
Paula

lalage disse...

Li este artigo do Ciberduvidas escrito em 1997 (muuuuiiiiitttooooo antes do Novo Acordo ortográfico) e fiquei a saber algo que não sabia: Rotura é o mesmo que ruptura. Segundo o "Dicionário Etimológico da Língua Portuguesa", ambas as formas provêm do latim ruptura(m), rotura, fractura, quebradura. Tanto o "Grande Dicionário Aurélio" como o "Dicionário" da Porto Editora dão estas palavras como equivalentes. [...] Vejamos até que o "Dicionário Enciclopédico de Medicina" de A. Céu Coutinho nem sequer menciona a forma ruptura, mas apenas rotura. http://216.55.136.163/pergunta.php?id=778

lino disse...

Em rotura estão os rotos que inventaram o (des)acordo :))

Daniel Santos disse...

discordo de qualquer acordo ortográfico.

jrd disse...

Passo (palavras)...
:-)