13 outubro, 2010

recato regato






Aldrich, George Ames
autumn stream










Há um regato
sinuoso,
fio de água
cristalino,
sibilino,
correndo pelo dorso
de prado clandestino.
É segredo que guardo,
cioso,
só para mim.
Quero-o assim,
aos pássaros e aos corços.

Jorge Avidal, instantes lugares evasões, ed. campo das letras, 34


Elsiane, across the stream

4 comentários:

jrd disse...

Da nascente à foz.

Rogério Pereira disse...

Estranha forma
de um poeta
meter um rio
numa gaveta
que é onde se
guardam ciosos
os segredos
de todos
conhecidos
(não gosto de poetas
egoístas
e, por isso,
saiu-me "isto")

Kássia Kiss disse...

Belíssimo quadro e belo poema :)

R. disse...

É mais uma trilogia (per)feita de significados e de sentidos.
Obrigada, mdsol, pela sempre grande generosidade :)