21 julho, 2008

há dias em que....


















Modigliani, A. little girl in blue (la fillete en bleu) 1918
Mª de Lourdes Belchior, gramática do Mundo, 44 (clicar para ler melhor)


Nikolaus Harnoncourt conducting Vienna Philharmonic Orchestra plays Mozart Symphony No.40 1st Movement. Live concert at the Suntory Hall, Tokyo, Japan in November 11th, 2006.

(claro que não é para me "armar", e salvaguardando a "escala", há para aí Antonios Salieris a dar com um pau! e, depois, sinto-me como a menina de azul apesar de já não ter idade para isso. e ...quando fico assim, mais tristita, só me apetece ouvir estas músicas...porque não estão com "rodriguinhos" e atacam-me logo o nó górdio do que sou capaz de sentir)

12 comentários:

poetaeusou . . . disse...

*
que susto . . .
li, antónio sala . . .
,
um abraço sala,
one estão
os meus velhos amigos,
lálálá,
,
amigas conchinhas,
,
*

O natural de Barrô disse...

Aos que pretendem empreender essa viagem, o autor pede que levem consigo, para o caso de se perderem, três distinções básicas: ciúme é querer manter o que se tem; cobiça é querer o que não se tem; inveja é não querer que o outro tenha.
E que prestem atenção: a inveja é um vírus que se caracteriza pela ausência de sintomas aparentes. O ódio espuma. A preguiça se derrama. A gula engorda. A avareza acumula. A luxúria se oferece. O orgulho brilha. Só a inveja se esconde.
E que tomem cuidado: como adverte uma personagem desse livro, a emergente Vera Loyola, « o verdadeiro amigo não é o que é solidário na desgraça, mas o que suporta o seu sucesso ». Ou, como constatou outro personagem, o Padre: « A solidariedade na alegria é muito rara ».
E que não se esqueçam: como dizia Nelson Rodrigues, « há coisas que o sujeito não confessa nem ao padre, nem ao psicanalista, nem ao médium depois de morto ».
Uma delas certamente é a inveja.
Portanto, preparem-se para participar de um jogo em que o importante não é o que se ganha, mas o que o outro perde."

Introdução, com o título de " Aos Navegantes ", do livro " Inveja mal secreto", de Zuenir Ventura, Ed. Palavra, 2005

Duarte disse...

Deixa-te levar pelos sentimentos do momento e vive. Os demais que se incumbem do difícil, do complexo.

Modigliani é um dos elegidos, por mim.

Precisamente mencionas a Mozart y a Salieris, quanto se disse, ambos ocupam o posto que lhes corresponde. O que é bom sempre está aí!

Quanto aos rodriguinhos prefiro os que trazia o amigo Vaz quando ia a casa. Um algarvio com quem fiz boa amizade na FA.

Abraços

Tinta Azul disse...

Pedirá um pouco mais de azul?
:)

[e olha que o Salieri tem coisas bem bonitas.]

Dois Rios disse...

Modigliani, Mozart, azul. Tanta beleza junta que não há tristeza que suporte. Logo vai passar, você vai ver!
Beijo grande,

mdsol disse...

poeta
ehehe embora isto às vezes por aqui seja meio anedótico ainda não cheguei a tanto ehehe
:)

o natural de barrô
Obrigada pelo teu aturado comentário. A inveja é mesmo uma coisinha má para se ter! Mas. às vezes nem chega a ser inveja é só tontice e insegurança e a verem-se ao espelho!
:))

duarte:
Agora aceito a tua sugestão. Mas se me dissesses o mesmo há uns anos atrás...corria-te com um valente sermão. O que a vida nos amansa....balhamedeus!
Quanto aos D. Rodrigos de lagos...estamos conversados. São muiiiiiito bons e não se discute mais!
:)

Tinta:
Mas (pelo menos ficou assim conhecido) era invejoso! E não gosto de "inbejidades" ahahahahah
eheheheheh

dois rios:
Pois passa. E po rfalar em passar.... eu é que passo por aí não tarda muito ehehehe
:))

um Ar de disse...

O problema é essa pergunta final [que também a faço, ainda hoje, não sem algum cinismo... não penses que és só tu...]:
- Quando fores crescida o que pedirás à vida?
.
Saberás responder?
Eu não. Já não.
.
Talvez, porque ao crescermos... perdemos a inocência de "pedir à vida"...
Talvez, porque nos convencemos que não há mais surpresas...
Talvez, porque já fizemos escolhas que parecem irreversíveis...
Talvez, porque já somos demasiado crescidas...
.
[Beijo de entendo!]

prafrente disse...

mdsol

faz muito tempo que não encontrava a expressão "nó górdio".Tenho encontrado alguns na vida...espero que eles não impeçam de chegar aos 120 anos.

Carminda Pinho disse...

Azul, a minha cor preferida.:)
Não estejas triste...:(

Beijos

jasmimdomeuquintal disse...

Todos temos dias assim querida.
Amanhã é outro dia.

WOLKENGEDANKEN disse...

Coitados de todos os Salieris do mundo enquanto existam os Mozarts ! e coitados de nos todos si nao existissem os Mozarts ! Mas por otro lado nao se apreciariam os Mozarts sem conhecer os Salieris .... Enfim, tenho um dia confuso :))

mdsol disse...

um ar de
nem me fales. que por vezes, ás vezes, tanta vezes parece que isto ainda é só um ensaio...
Noutras vezes a consciência de que só há uma...
Baissindo!

beijos de ainda bem que mintendes
:)

prafrente
força nessa pedalada com os anos, mas com qualidade! Muita qualidade

Carminda:
Eu fico triste, e deixo-me ficar...depois passa! Dizem que sou uma coisa "esquisita": muito resiliente rsrsrs
beijos de gosto de te ver por cá!
:)

jasmim
sim, mas enquanto dura...depois, como disse à Carminda passa e não fico a curtir as mágoas.
:)

WOLKENGEDANKEN
Sim, tens razão. Acho que no fundo apelas à tolerância da compreensão. E, cá para mim, o teu dia não é confuso... tu pensas bem ..
:))