12 maio, 2010

joaninha voa voa

.



Calder, A.
composition à spirale sur fond rouge
(1963)





COCCINELA SEPTEMPUNCTATA

Entre cardeal e Pierrot, hesitas na indumentária,
Para a dança, ao som da cantata barroca.
A noite cresce, muito azul em torno de ti.

Abres a capa de pectina,
Ensaias o voo.

E partes,
Ínfima girândola de vermelho e negro.

Mário Cláudio, dois equinócios, ed. campo das letras, 81

6 comentários:

anamar disse...

Então e a joaninha dempre avoa????~
Ninca ninguem tinha descoberto esta forma de ficar em terra... senão haveria alternativos....
Digo eu.... brrrrrrrrrrrrrr
Beijinhos e bê se bais....
:))))

Zélia Guardiano disse...

Encantadores, mdsol, tanto a imagem quanto os versos! E grande sensibilidade a sua, que decidiu reuní-los.
Lindo, lindo!

Um grande abraço.

Moon disse...

Aboa ou não aboa?

intimidades disse...

Lindo, cor escrita

beijos
Paula

R. disse...

A pintura é soberba e a escolha literária acompanha. Estou precisamente a ler (mais) uma obra deste megnífico autor. Parabéns por ambas as escolhas.

Mónica disse...

acho q isto ´é uma mistura de caracol com joaninha