20 maio, 2009

momentos



Lahey, J.
orchid
(2009)





Há vidas que duram um instante:
o nascimento.

Há vidas que duram dois instantes:
o nascimento e a morte.

Há vidas que duram três instantes:
o nascimento, a morte e uma flor.

Roberto Juarroz, poesia vertical, campo das letras, 25


Léo Delibes, the flower duet (sous le dôme épais) da Ópera Lakmé.

9 comentários:

susana disse...

Que lindo!

bettips disse...

Um instante de flor pode ser a única realidade duma vida: essa procura.
Maior, mais longe.
Bj

Carminda Pinho disse...

Momentos belos, os que passo aqui...
:)

Beijos, mdsol.

Carla disse...

lindo...fiquei sem palavras!
beijos e uma flor

virita disse...

Hà vidas que se multiplicam em milhões de instantes quando os partilham com o mundo...

intimidades disse...

quantos instantes ira durar a minha?


Jokas

Paula

Justine disse...

Que bom quando a flor é muito, muito duradoura...

mfc disse...

Há vidas que por isso valem a pena.

Arabica disse...

Lindissimo, Sol!

Ainda que derradeiramente triste.
Porque derradeiramente verdadeiro.


Um beijo de boa noite!