28 dezembro, 2008

é o ser humano ...

trégua natalícia


Collin Raye, It Could Happen Again

(Narration: One frozen night in 1914, at the height of World War I, the unthinkable happened: all along the entire western front, the British and German soldiers lay down their weapons, an unofficial cease fire, to celebrate Christmas Eve together. They exchanged gifts, and saw each other as brothers, and that peace lasted for two more days, when they were ordered back to battle. In those few days, though, men remembered the reason for Christmas amongst the devastation, and it's a story that should never be forgotten.)

Through the smoke filled night silence rose from both sides
Across a bloody battlefield
It was a cold Christmas Eve in 1914
To those who were there, it seemed unreal
As time was still the spirit moved the soldiers
To lay down their arms and raise their voice in song
And pretend for a while the war was over

If it could happened then, it could happen again
A world torn apart could join hands and hearts
To celebrate his birth and peace on this Earth
If for one magic night we could find again a reason not to fight
Maybe there's a chance; This time it might last.

As opposing sides approached through broken words they spoke
It wasn't long before they felt at ease
They shared their cigarettes, what they had they used as gifts
They didn't feel like enemies
With candles lit they stood shoulder to shoulder
And on that field they found true common ground
And as they prayed they dreamed the war was over

If it could happened then, it could happen again
A world torn apart could join hands and hearts
To celebrate his birth and peace on this Earth
If for one magic night we could find again a reason not to fight
Maybe there's a chance; This time it might last.

If it could happened then, it could happen again.

[contra a corrente das notícias que nos chegam de muitos lugares ...]

11 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Amiga(o)

Não te conheço, senão através do blogue da Mariam. Mas, estou tão contente de te dar a conhecer este evento, que te informo do que se segue. Gostaria que comentasses no meu www.aminhatravessadoferreira.blogspot.com. Agradeço-te. E, se quiseres seguir o meu blogue também te deixo o meu muito obrigado. Vou fazer o mesmo com o teu, se tal for possível. Combinado?
Meu imeile ou imilio: hantferreira@gmail.com. Espero por ti num ou noutro lado.
E, já agora, desejo que tivesses tido um Bom Natal e entres em 2009 preparado para a crise…

Olá!

Que desgraça! Cumpro hoje (26/12) 45 anos de prisão – e sempre com a mesma mulher, Raquel!!!!!!!!! Ainda não sei como consegui chegar até aqui... O problema é que não posso divorciar-me, pois perdia os bilhetes grátis da TAP… O facto é que a minha querida esposa é reformada dos Transportes Aéreos Portugueses e é ela que pede os bilhetes para nós dois…

!Hola!!
¡Qué desgracia! ¡Cumplo hoy mismo (26/12) 45 años de cárcel – y siempre con la misma mujer, Raquel!!!!! Todavía no sé como conseguí llegar hasta aquí… El problema es que no puedo divorciarme, pues iba a perder los billetes gratis de TAP… El hecho es que es mi querida esposa es jubilada de los Transportes Aéreos Portugueses y ella es la que pide los billetes para nosotros los dos…

Hello!

What a misfortune! Today (26/12) I fulfil 45 years under arrest – and always with the same wife, Raquel!!!!! Until now I can’t understand how I could arrive here... The trouble is I can’t divorce otherwise I would lost my free tickets in TAP... In fact, my dear spouse is retired from Transportes Aéreos Portugueses and she is who asks free tickets for us... the both.

Henrique, o Penitente
Enrique, el Penitente
Henry, the Penintent

poetaeusou . . . disse...

*
treguas,
sem treguas,
na mártir palestina,
,
maresias de paz,
,
*

António Torres disse...

Infelizmente, estes desejos não podem realizar-se facilmente.
Infelizmente, o hamas tem dito repetidamente que não desistirá até à destruição de Israel.
Infelizmente, tudo indica que o hamas deve ser levado a sério quanto ao que diz.
Infelizmente, a Paz não parece possível em Gaza sem que o hamas seja removido de lá.
Infelizmente, tal não se poderá fazer sem usar a força.
Infelizmente, não é possível usar a força sem que morram civis inocentes.
Infelizmente, o hamas continua a ser um obstáculo à Paz.
Infelizmente, as negociações não parece funcionarem.
Infelizmente.

heretico disse...

contra a corrente. em esperança granítica...

beijo

in_side disse...

restrinjo e reduzo o uso da palavra
ser humano
ao meu very, very small universe. (é pouquinho, é.

então, o que sou, o que faço no meu minúsculo ser para que eu própria e as pessoas - nós aqui, por exemplo, blogáticos peregrinos :)
concretamente, nós um a um,

possamos sentir-nos melhor e recuperar sentidos de vida?

(( ouço?
dou a atenção?
tento entender?
consigo lembrar sempre que atrás de cada palavra que digo, alguém respira e traduz?

nada de importante, talvez, mas acredito que só um a um e cada um pode mudar o todo;
nas mais improvisadas atitudes,
enfrentando medos e riscos,
nas coisas mais ao lado de si;
sim, devagar e sim, persistindo.

e incluo nessa... cadeia :) o que parece mais distante e menos alcançável - como no caso em causa,

porque tenho que acreditar no contágio: que tudo o que fazemos num lugar, se reflecte positiva ou negativamente no espelho do mundo,

(creio nisso, apesar dos constantes retrocessos e da infinita tristeza que por vezes me assola,



*

in_side disse...

parece-me que a única coisa que podemos fazer pelo geral

dos seres humanos é mudar a bondade e a qualidade do que somos, aqui e agora

tudo o que faz alegria tem que contrariar a guerra,

(encarar o medo e arriscar a felicidade, por aí,

às vezes pergunto-me porque estou tão triste e sei que não é bom pra mim nem para o que me rodeia, sei,

há um espelho de todos reflectido no mundo

(ou há o mundo reflectido no espelho de nós

e essa luz e essa sombra são de grande importância em causas como esta

parece-me importante abandonar a abstracção e aplicar a construção interior da paz cada um em si,

creio nessa expansão, nessa cadeia
de bondade que cada um sabe como sentir e dar sentido, persistindo,



*

Blondewithaphd disse...

It happened then, it could happen again. Right, it could but I'm afraid it won't. A shame.

Danke, ebenfalls! E o nome é um óbvio gozo a uma blonde with a phd, muito blonde, muito bimba e depois... tadinha:) Já mdsol me parece Maria do Sol, o que acho uma ideia simpática porque só alguém com sol me deixaria um smiley em comentário. Obrigada!

in_side disse...

obviamente fiz o segundo comentário por achar que o primeiro tinha abortado,

se quiseres apaga um, apaga o que despreferires,

(fico meio envergonhada com dois comentários,

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola in_side !

Envergonhada ? Hmm ! sera por:


"restrinjo e reduzo o uso da palavra
ser humano
ao meu very, very small universe. (é pouquinho, é."


Pois "in-side" ou nao isso nao vai solucionar nada !!!
A verdade tambem acho um pouco forte .....

WOLKENGEDANKEN disse...

Ola Solzinha ! E curioso eu tambem estou actualmente com a primeira guerra mundial (mundial já é relativo porque sem Portugal :)) )

E que estive há uns dias num museu onde vi a declaracao de guerra da Austria a Serbia, o comeco desta guerra sangrenta em que o "nosso" emperador expressou o pensamento perverso que ainda nao passou de moda que diz que " é preciso uma guerra para conservar a paz ".

Deve ser um dos pensamentos mais tragicamente errados da historia da humanidade !!

in_side disse...

Grande parte do caos que existe no mundo deve-se ao facto que as pessoas não se autovalorizam. Como jamais desenvolveram o sentimento de benevolência ou empatia por si mesmas, não conseguem experimentar o sentimento de paz ou harmonia interior, e por isso o que projetam para os demais é igualmente desarmônico e confuso.(...) Temos de aceitar a responsabilidade pessoal pela elevação de nossas vidas. CHÖGYAM TRUNGPA,

,diz WOLKENGEDANKEN, nos cumes do seu blog.
fui lá ver e... espantoso, LI!