22 dezembro, 2008

incha, desincha e passa





Kalman, M.
keep calm and carry on
(2007)



Post com toda a minha amabilidade para todos os que, como eu, não gostam desta época, lhe irritam os dlins dlins dlins omnipresentes, as luzinhas indecisas a piscar, gente desenfreada a comprar o que lhe sai à frente, crianças mimadas a pedir o que os pais inseguros não devem dar mas a publicidade exige, sorrisos porque faz parte, iniciativas cheias de show-off para os "desprotegidos" da vida, as estatísticas dos mortos na estrada, o modo esponjoso como se ouvem votos de boas-festas que, sabemos bem, no mínimo têm por trás um "está bem abelha, quero que vás morrer longe"... para todos os que, como eu, não gostam disto e de outras coisas e não têm hipótese de ir dar uma volta, esperar que passe e voltar depois. Eu confesso que não gosto mesmo nada desta época, mas, ainda assim, admito que há momentos interessantes... quando certas pessoas armadas em duronas se "desmancham" um bocadinho nesta altura... Há cada natalino e cada natalina... pffff
[ ok. já sei que nem tudo é péssimo... ok. eu sei...mas a mim pende-me mais para este lado...]

12 comentários:

salvoconduto disse...

Nada que um bacalhau e um bom tinto não trate...

Fantomas disse...

:)

Osvaldo disse...

Olá Mdsol;
Depois do pequeno problema com o meu anterior blog, aproveito par desejar um Santo e Feliz Natal e que o novo Ano seja portador de muita paz para a Humanidade.
bjs

WOLKENGEDANKEN disse...

Eu costumo "desaparecer" o dia 25 depois da festa familiar obligatoria. Gosto do inverno no campo.

Mas o que chaman a "época das festas" considero um verdadeiro suplicio.E como cada ano comeca mais cedo.... Bom, mas a salvacao está em vista :))

Por outro lado a tua constipacao junto a "Epoca dos suplicios ..eh... festas" é o motivo desta historia do presepio inexistente tao divertida e bem escrita ..

Carla disse...

pois, entendo-te perfeitamente...mas quando temos uma pirralha de 12 anos em casa não conseguimos ficar imunes a toda esta "algazarra"
deixo-te um beijo e votos de BOAS FESTAS

Dois Rios disse...

Sol, minha querida,

Faço eco a sua "indignação" rsrs...

Odeio essa época onde tudo é imposto e nada brota espontâneamente. Mas, vá lá. O meu 24/25 será em casa com marido e filha entre belisquetes e um bom vinho tinto. O resto é conversa fiada.

Beijos natalinos do lado de cá.

Inês

Clarice disse...

Poizé!:)

*obrigada pelos comentários tão enriquecedores! Feliz Natal, posso?:)

Jardineiro de Plantão disse...

O mundo está em suas mãos.
Tenha coragem e determinação
para transformar momentos difíceis
em grandes desafios,
buscando na solidariedade
um passo para dias melhores.
Neste Natal, que o grande potencial
da humanidade revele-se
em cada um de nós
para o início de um novo ano.

Feliz Natal e Próspero Ano Novo!

cristal disse...

Também nunca foi por mim apreciada esta algazarra. Mas as crianças gostam e se é por elas, lá se vai fazendo o frete...

Pulsante disse...

Essa é uma maneira péssima de ver e sentir o Natal. Há muitos natais no Natal e a tua forma de o ver e sentir não é a mais rigorosa sobre o mesmo.
Ver o natal como o vês é assumir a derrota do Natal que é Natal.
E o Natal não é o Pai Natal nem as luzinhas psicadélicas, não é mas também é.
E é também os pais inseguros e as crianças mimadas, as amiguinhas dos pobrezinhos, etc, etc.
É isso tudo sem o ser e sendo muito mais.
Há mais Natal para além do teu. Amen.

alex disse...

pois...também não consigo gostar deste suplício anual.

bettips disse...

Aqui te deixo a solidariedade completa, um presépio com uma criança nas pedras, livros e filmes ansiados ... sorriso de gente que sabemos nos sorri da alma.
Até breve das festas que sejam breves. Que há crianças, nossas, mesmo as grandes: é só isso e "resistir" uma vez mais, à vaga de consumismo.
Abraços