10 agosto, 2008

veranico pouco veraniço

Hoyland, J., secret summer, (2006)

NUANCES

É nas nuances
dos romances
que reside
a pevide
do interesse.
O resto é conversa de quermesse.

Paulo Abrunhosa, diário de um dromedário, ed. quasi, 134



Vitor Espadinha, recordar é viver

[NOTA IMPORTANTE: ai de alguém que se atreva a insinuar seja o que for relativamente a esta escolha musical (?)... ou, sequer, a tentar descortinar critérios que me permitem, no espaço de poucas horas, passar da nostalgia da 4ª sinfonia de A. Bruckner (aí em baixo) para esta master piece portuguesa dos anos 80 do século passado, rsrsrsrs]

7 comentários:

poetaeusou . . . disse...

*
prontes
só comento em setembro . . .
,
não gosto
de me atrever . . .
,
conchinhas, espadinhaouabrunhosas,
,
*

Dois Rios disse...

Nossa! Como dizem os cariocas (nativos do Rio de Janeiro), Paulo Abrunhosa pegou pesado.
Esses cinco versinhos dariam uma boa prosa, mas isso é papo pra uma tarde de chuva e uma taça de vinho.
---
Quanto a mudança radical na escolha musical eu diria que música é estado de espírito. Há dias que pairo entre a músicaclássica e logo e um samba de raiz sem o menor pudor, rss..

Beijos dominicais, minha querida,

Tinta Azul disse...

E sem espadinha como se chegaria à pevide?
:))

jasmimdomeuquintal disse...

pronto, pronto... não comento nada;opçõe smusicais não s ediscutem, são como as opções sexuais.
:) :) :) :)
bjocas

Mr. Lynch disse...

Mdsol;
E é nessas nuances que reside o interesse...
Não penso que seja estranho passares de Bruckner para Vitor Espadinha. Ainda há minutos ouvia Diamanda Galás e agora ouço Schubert pela "nossa" extraordinária) Maria João Pires. O prazer permanece inalterado, apesar dos géneros tão diferentes.

JPD disse...

Olá mdsol

Completamente de acordo.

(Há muita gente com créditos firmados no metier que repete, incansável, que a literatura está num beco, provavelmente a esgotar-se. Quem sou eu para glosar.
A safa seria o pequeno detalhe, um certo golpe de asa... De notar também que apesar de repetirem o fim do romance, da literatura em geral, não conseguem parar de ensaiar a escrita.
Ainda bem, acrescento)
Bjs

mariam disse...

ele há dias assim...

conheço pouco da escrita de Paulo Abrunhosa, não conhecia esse fantástico "nuances"... aguçou-me o "apetite"

pois eu hoje não tive quaisquer nuances...só dor-de-cabeça.. um horror!

boa semana
um sorriso :)