31 agosto, 2008

aí Benjamim! yessssssss & insinuações escusadas





Carmo, A.
namoro
(1988)








Fausto, namoro

"Namoro"
Autor: Viriato da Cruz, Angola

Mandei-lhe uma carta em papel perfumado
e com letra bonita eu disse ela tinha
um sorrir luminoso tão quente e gaiato
como o sol de Novembro brincando
de artista nas acácias floridas
espalhando diamantes na fímbria do mar
e dando calor ao sumo das mangas

Sua pele macia - era sumaúma...
Sua pele macia, da cor do jambo, cheirando a rosas
sua pele macia guardava as doçuras do corpo rijo
tão rijo e tão doce - como o maboque...
Seus seios, laranjas - laranjas do Loje
seus dentes... - marfim...
Mandei-lhe essa carta
e ela disse que não.

Mandei-lhe um cartão
que o amigo Maninho tipografou:
"Por ti sofre o meu coração"
Num canto - SIM, noutro canto – NÃO
E ela o canto do NÃO dobrou

Mandei-lhe um recado pela Zefa do Sete
pedindo, rogando de joelhos no chão
pela Senhora do Cabo, pela Santa Ifigenia,
me desse a ventura do seu namoro...
E ela disse que não.

Levei á Avo Chica, quimbanda de fama
a areia da marca que o seu pé deixou
para que fizesse um feitiço forte e seguro
que nela nascesse um amor como o meu...
E o feitiço falhou.

Esperei-a de tarde, á porta da fabrica,
ofertei-lhe um colar e um anel e um broche,
paguei-lhe doces na calçada da Missão,
ficamos num banco do largo da Estátua,
afaguei-lhe as mãos...
falei-lhe de amor... e ela disse que não.

Andei barbudo, sujo e descalço,
como um mona-ngamba.
Procuraram por mim
"-Não viu...(ai, não viu...?) não viu Benjamim?"
E perdido me deram no morro da Samba.

Para me distrair
levaram-me ao baile do Sô Januário
mas ela lá estava num canto a rir
contando o meu caso
as moças mais lindas do Bairro Operário.

Tocaram uma rumba - dancei com ela
e num passo maluco voamos na sala
qual uma estrela riscando o céu!
E a malta gritou: "Aí Benjamim !"
Olhei-a nos olhos - sorriu para mim
pedi-lhe um beijo - e ela disse que sim.


Sérgio Godinho e D. Kikas, namoro

Namoro (versão do Sérgio Godinho)

Mandei-lhe uma carta em papel perfumado
e com letra bonita disse ela tinha
um sorriso luminoso tão triste e gaiato
como o Sol de Novembro brincando de artistas
nas acácias floridas, na fímbria do mar

Sua pele macia era sumauma
sua pele macia cheirando a rosas
seus seios laranja, laranja do Loje
eu mandei-lhe essa carta e ela disse que não

Mandei-lhe um cartão que o amigo Maninho tipografou
por ti sofre o meu coração
num canto sim noutro canto não
e ela o canto do não dobrou

Mandei-lhe um recado pela Zefa do sete
pedindo e rogando de joelhos no chão
pela Senhora do Cabo, pela Sta. Efigénia
me desse a ventura do seu namoro... e ela disse que não

Mandei a Vó Xica, quimbanda de fama
a areia da marca que o seu pé deixou
para que fizesse um feitiço bem forte e seguro
e dele nascesse um amor como o meu... e o feitiço falhou

Andei barbado, sujo e descalço
como um monangamba procuraram por mim
não viu ai não viu o Benjamim
e perdido me deram no morro da Samba
Para me distrair levaram-me ao baile
do Sr. Januário, mas ela lá estava
num canto a rir, contando o meu caso
às moças mais lindas do bairro operário

Tocaram uma rumba e dancei com ela
e num passo maluco voamos na sala
qual uma estrela riscando o céu
e a malta gritou: "Aí Benjamim"
Olhei-a nos olhos sorriu para mim
pedi-lhe um beijo, la la la la la
e ela disse que sim
e ela disse que sim

[embora eu conhecesse as duas versões, foi a versão do Sérgio Godinho (a solo e que não consegui encontrar no you-tube) que ouvi e cantei à exaustão. este Benjamim sempre me despertou uma ternura muito especial. aí Benjamim! yessssssssssssssssss.]
[é inevitável, decididamente sou pelo happy end ...]









não, não quero que deixem aqui a vossa resposta séria e sincera. não, de modo algum... que não sou de coscuvilhices ... mas ... eles estiveram todos em Veneza ...afinal .... qual é que vos levava mesmo lá... ?









tungas... que hoje é dia do senhor...

12 comentários:

Juani lopes disse...

realmente una bonita cancion Mdsol
saluditos

LuCe disse...

Sempre gostei muito dessa canção :)

observatory disse...

o manuel de oliveira.

há um segredo que nos liga :)

*

Justine disse...

O Namoro é um poema lindo, muito bem "tratado" pelos dois cantores.

E o Johnny Depp, não esteve em Veneza???? :)))

Pulsante disse...

A TAP.

Dois Rios disse...

Oi, minha querida Mdsol,

Confesso que amor sem namoro, pra mim não vale. Sim, porque há gente que ama sem namorar, sem fazer dengo, sem lançar olhar lânguido, sem falar macio, sem fazer beicinhjo, ah, sei lá! Sou velha mas não abro mão do namoro, rsss..
Grata por fazer-me conhecer a canção e o Sérgio Godinho que por aqui não toca.
A bela pintura de Carmo, A expressa a ternura dos toques tão imprescindível no meu "namorar".
Beijos do lado de cá, minha querida,

Inês

um Ar de disse...

Se não me levam...
Fui eu ter com o Manuel de Oliveira, em Serralves. Ainda não tinha tido tempo para lá ir, imagina!...
Gastei os meus últimos cartuchos...

[Beijo grande...]

Fernando Vasconcelos disse...

Linda canção sim sra.

mena m. disse...

Já estava difícil de continuar a dizer que não...

RFF disse...

Gostei do blog...

Saúde

heretico disse...

o Benjamim, sem dúvida!... lá, lá lá...

(sempre se aprenderia alguma coisa... rss)

Duarte disse...

Nostalgia! Aquelas cartas de papel colorido e tinta permanente azul, quando a caneta queria.

Excelente poema e magnífica interpretação.
Bom trabalho

Abraços