06 agosto, 2008

negativos "à la minuta", em tempos digitais [com 1 aditamento]




Barnet, W.
summer idyll
(1976)








VERRRRRRRRRRRRÃO

a modorra e o remanso
enrolados na rede
em retiro
no refúgio
no abrigo
com recurso
à escora
do amparo
da reveladora música ...!

[aditamento/esclarecimento: isto são palavras que saem assim de repente sem pretensões de serem catalogadas como qualquer género literário rsrsr. o processo é simples: olho e vêm-me palavas que digito...desta vez começaram a sair todas com "erres" e, depois, dumas coisas se passa às outras... é assim como as massagens do eloquente e iluminado porteiro das praias algarvias: sabemos como começa, mas nunca sabemos como acaba. versão silly season do antigo... as palavra são como as cerejas...


Idyll, for flute & piano by Yevhen Stankovych

18 comentários:

livia soares disse...

Querida,
grata pelas visitas.
Também gostei imensamente do seu blog.Virei mais vezes,com mais calma.
Um abraço.

Justine disse...

Não é à beira-mar (nem tão bem pintado...) mas tenho cá uma rede, um refúgio e uma aprima com os netos.
Queres aproveitar??

um Ar de disse...

Com quantas escoras se constrói um abrigo?
.
Com quantos amparos se faz o descanso?
.
[Que artifícios? Nem que sejam...]
.
[Beijo, lamentavelmente, intranquilo... como de costume]

Juani lopes disse...

BONITO CUADRO, QUIZAS YO EN SEPTIEMBRE PUEDA TOMAR ESA POSTURA
SALUDITOS

Delfim peixoto disse...

E que descanso descansado esse
jnhs

mariam disse...

de... "flutuar" também!

tenho assim... "a modos que parecido" espreite lá num dos "post"...

boa semana
um grande sorriso :)


ah! aos pouquinhos vou então (e porque pedido) tratando por tu... é que me faz alguma impressão tratar assim não conhecendo "nos olhos"... :)

PS:acerca de "flutuar" e encher a "alma" é o que farei logo à noite no estádio do alvor "Paolo Conte" ...farei uma "carrada" de kms...e amanhã às 9h já estarei no trabalho... mas vou "flutuar" rsrs . bj

poetaeusou . . . disse...

*
como é calmo
o remanso
á sombra do arvoredo
onde tu em segredo,
deslizas na imensidão
dando asas ao sentimento,
com um barnet ... no pensamento,
,
conchinhas,
,
*

Anónimo disse...

Viv'ó remanso...!
:)))
José-Carlos

O Autor, disse...

Aqui na Bahia, rede e verão não combinam muito, pois o calor é de rachar!

Vanda disse...

Uma rede,


um livro,


e uma tarde eterna de preguiça morna :)

Vieira Calado disse...

Quando a música se adequa ao poema!
Beijinhos de Verão

JPD disse...

ivertidas e irónicas.
Gostei, mdsol.

Dois Rios disse...

no remanso das palavras da minha querida Md que sempre me traz o Sol como complemento de um bem querer.

imagem que me fez sonhar com o paraíso...

carinhos sem fim lá pelos meus rios... o Sol sempre brilha por lá... como eu gostaria de ve-lo brilhar em Portugal...

quem sabe um dia?

beijos, minha querida!

Inês

Multiolhares disse...

Uma rede
e todo o tempo do mundo
para plantar felicidade
beijos

Lerivan Ribeiro disse...

As palavras quando são escritas de uma forma livre, podem expressar mais precisamente o que sentimos...
bjus

Leri http://swasthyalerivanribeiro.blogspot.com/

mdsol disse...

Meus caros e minhas caras:

Ontem escrevi uma resposta personalizada para cada um/a. Quando ia publicá-la, o Blogger estava indisponível e perdi tudo. Não sou capz dereescrever, Não gosto de o fazer...o qu eescrevo é o qu eme sai na hora..assim

Bem vindos os que chegam pela primeira vez. Os outros já sabem... A todos, por moticos diferentes é umprazer recebe-los aqui.

:))

WOLKENGEDANKEN disse...

As palavras nunca sao accidentais. E uma pessoa com talento de linguas como tu es ainda por cima as ordena de forma a escrever uma poesia..... E muito interessante porque a pessoa deitada na rede esta de facto num retiro, num refugio, amparada pelas arvores e detras há um horizonte que ameaca. Ou seja este quadro nao expressa o que parece expressar a primeira vista mas no teu poema aparece o verdadeiro significado....

mdsol disse...

WOLKENGEDANKEN : és uma querida!
beijinho
:)