16 julho, 2010

sinais de interrogação






Como uma orelha, abro-me
sobre um silêncio embaraçado...





Não ouvi bem o que disseste...






Alexandre O'Neill, divertimento com sinais ortográficos, abandono vigiado
[poesias completas 1951/1986, biblioteca de autores portugueses, INCM, 135-136].

4 non blonde, what's up?

Em tempo de muitas dúvidas, de muitas perguntas de respostas complexas, de caminhos que é preciso descobrir, questionar com rigor ainda será uma boa metodologia para chegar aonde valha a pena.

11 comentários:

anamar disse...

Pois....
:))
Abracinho

António P. disse...

começo as manhãs com uma visita ao "branco no branco"...a certeza que o dia me vai correr bem :))
E a música até o Alexandre O'Neill a aprovaria.
Bom fim de semana, cara mdsol

Kássia Kiss disse...

Sem dúvida! Questionar, sempre... Ao contrário do que nos disseram em pequeninos (que eu ainda sou do tempo das "línguas de perguntador").

ariel disse...

Antes de me ter posto em bicos dos pés deveria é ter começado por lhe dizer que este post está um must...!
:)))

Zélia Guardiano disse...

Muito bom, mdsol, muito bom!
Aliás, como tudo que sempre encontro aqui...
Enorme abraço, minha amiga!

lino disse...

Eu penso que será a única.

jrd disse...

Mas as respostas, Senhora!...

Rogério Pereira disse...

+1 bom post
Haverá quem não goste?

Há.dias.assim disse...

Gostei de passar por aqui.

heretico disse...

questionar com rigor e ... não recear as respostas, se me permites.

beijos

intimidades disse...

adorei a musica

se nao nos quetionarmos, e ainda mais importante se nao estivermos abertos a resposta, nao saimos do mesmo sitio

Beijos
Paula