20 julho, 2010

reposições de verão







Koch, Paul
Eve and the tree of knowledge












EVA

Quando Eva andava nua pelo paraíso,
disfarçava o tédio à sombra das árvores, colhendo
as flores cheirando o seu perfume,
e pensando como seria bom ter um céu
para espreitar.

Um dia, uma dessas flores transformou-se em
fruto; e Eva levou-o à boca, trincou-o, provou
a sua polpa. Por um estranho efeito
de causa e consequência, o sabor da maçã
obrigou Eva a cobrir a sua nudez
com folhas e flores que passaram
a ser uma metáfora do corpo
que escondem.

Então, o pecado tornou-se uma simples
figura de retórica, e o sexo um exercício
de interpretação.

Nuno Júdice, a matéria do poema, ed, dom quixote, 42


Nina Simone, sinnerman

8 comentários:

Blondewithaphd disse...

Adorei o post, desde o elemento gráfico ao verbal! Muito bom!

Rogério Pereira disse...

Bom!
Boa...
... a maçã...
de Adão
Boa...
... a sua costela
sem a qual, a imagem não seria tão bela!

Hoje assino-me

"O gajo da catequese"

lino disse...

Magníficos, o quadro e o poema.
Beijinho

intimidades disse...

nunca mais como maçã

Adorei o post

Beijos
Paula

jrd disse...

Interpretemos pois!

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Waw! Palavras e imagem que se casam muito bem... ;)

intimidades disse...

olha pois esta na mesma posicao

e um caso da arte a imitar a realidade a imitar a arte.... feiquei confusa

Beijos
Paula

monica disse...

ui isto nem parece teu :DDD onde desencantaste este grafismo tão frio??