04 março, 2010

rebuscado, eu sei ...mas actual



Wayne, L.
breaking & entering: the mouth that roared, IV 
 (2000)





Não gosto de línguas de trapo compridas até ao umbigo onde se atolam em raivas pessoais.

7 comentários:

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Não achei lá rebuscado... interessante... o título explica e permite se compreenda melhor a obra... ;)

Francisco Clamote disse...

Rebuscado, MDSOL ? Nem por isso. Brilhante, sim.

manuel gouveia disse...

Vindo de uma mulher, não é rebuscado... é intrigante!

mdsol disse...

Francisco, (primeiro):

:))


Francisco - segundo

Tanta generosidade! Obrigada.

:)))


Manuel Gouveia

Intrigada, fiquei agora. Pode ajudar-me?

:)))

jrd disse...

As línguas são como as bocas. Só que estas são largas...

GJ disse...

Há línguas que não cabem dentro da boca. O mal está em serem de trapo ;)

susana disse...

Miss solarenga: não vale a pena tentar entender o manel... Eu entendi muito bem;)