03 março, 2010

é a vida

.



Botero, F.
mujer de pié
(2007)
[escultura, bronze]




Confesso: desde os tempos do e que tudo o mais vá para o inferno que eu não costumo ligar ao que o Roberto Carlos canta. Há uns dias reparei na canção aí em baixo. É cantada por ele... Ai a minha vida ...





Roberto Carlos, a mulher que eu amo

A mulher que eu amo
Tem a pele morena
É bonita, é pequena
E me ama também

A mulher que eu amo
Tem tudo que eu quero
E até mais do que espero
Encontrar em alguém

A mulher que eu amo
Tem um lindo sorriso
É tudo que eu preciso
Pra minha alegria

A mulher que eu amo
Tem nos olhos a calma
Ilumina minha alma
É o sol do meu dia

Tem a luz das estrelas
E a beleza da flor
Ela é minha vida
Ela é o meu amor

A mulher que eu amo
É o ar que eu respiro
E nela eu me inspiro
Pra falar de amor

Quando vem pra mim
É suave como a brisa
E o chão que ela pisa
Se enche de flor

A mulher que eu amo
Enfeita a minha vida
Meus sonhos realiza
Me faz tanto bem

Seu amor é pra mim
O que há de mais lindo
Se ela está sorrindo
Eu sorrio também

Tudo nela é bonito
Tudo nela é verdade
E com ela eu acredito
Na felicidade

Tudo nela é bonito
Tudo nela é verdade
E com ela eu acredito
Na felicidade...

[bom, a letra é um tanto discutível, digamos. Eu li-a com olhos benevolentes, foi isso...]

18 comentários:

Maria disse...

ai a vida dela...

:))

jrd disse...

:)

Daniel Santos disse...

Uma letra demasiado puxar ao sentimento... mas está bem.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

O amor está por detrás dos olhos de quem vê...

intimidades disse...

o romantisto e deixarmo-nos levar

Beijos

Paula

Duarte disse...

Beleza no olhar e no dizer...

Abrazos

ariel disse...

ai a minha vida, ai ai, diz ela...
:)))

Rogério Pereira disse...

Acho que, de facto, está a ser benevolente. Eu, mais cerca de 100 milhões de brasileiros cantamos isso a toda a hora, aos não sei quantos milhões de morenas baixinhas, que não gostam que o resto, ou tudo mais, vá pro ínferno.

PS - Desculpe(estraguei o quê?)

mdsol disse...

Rogério

Não entendi a pergunta.

:)

Rogério Pereira disse...

Se lhe quebrei o encanto da canção, ou o romantico momento... é só! E disso peço desculpa.

mdsol disse...

Rogério, que é isso? Não tem de pedir desculpa. Realmente eu não tinha entendido. Só me dá razão para as reservas que eu coloquei a mim mesma por ter reparado na canção... Quando eu digo, "ai a minha vida" estou a auto-questionar-me (para continuar a ser benevolente... comigo).

Rogério Pereira disse...

Ufffa, que alivio. O que eu menos queria era ser inconveniente. O meu primeiro comentário vai ao encontro das suas próprias reservas. Estou certo que há poemas e canções mais belas para si...

Anónimo disse...

eu gosto mais daquela do calhambeque, kéké
:)

manuel gouveia disse...

Momentos de fraqueza lamecha todos temos...

mdsol disse...

Também gostava do "calhambeque". Mas não com a mesma convicção com que gatada do "e que tudo o mais vá para o inferno"

:))))))

vbm disse...

Eu nem desgosto da letra...
mas a música não ajuda nada;

fosse outra a melodia
e nenhuma dúvida haveria!

Ah, se eu fosse compositor :)

WOLKENGEDANKEN disse...

muito benevolente :)) mas, enfim, a primavera e os hormones e isso ...... :))mas a mim que nem sou morena nem baixinha e nao quero saber nada do "amor-dependencia", pois, pois,........ nao gosto nada :)

Mónica disse...

n sei se este acesso é perdoável :DDD


(qdo era miuda cantava "quero buzinar meu calhambeque" e "deixa o meu cabelo em paz" e outras m*** que tais e nem sabia que eram dele!!aprendi uma coisa: a música pimba está no patamar das músicas infantis, simples, repetitivas no som e nas palavras, e a maturidade de quem as ouve também :DDDD, perdoem-me a presunção)