30 junho, 2009

todos iguais todos diferentes



Conceitos por vezes difíceis de definir, do ponto de vista teórico, este exemplo demonstra cabalmente as diferenças entre primeiro mundo e terceiro mundo. Como se vê, não tem nada a ver com estatuto (ambos são presidentes) com cor da pele (ambos são negros), com género (ambos são homens) enfim, essas coisas básicas. Mas, os animais sabem bem a diferença e "actuam" em conformidade:
_ 1º mundo, o animal sucumbe à palmada certeira do presidente.
_ 3º mundo, o animal faz xixi no presidente e vai à sua vida.

fim de mês (2)

Sung, P.P.
passage II
(2005)


Trinta dias tem Novembro,
Abril, Junho e Setembro
Vinte e oito só tem um
E os demais têm trinta e um.

Entretanto, ontem: 150

29 junho, 2009

sistema educativo - novas oportunidades

Domingo:
Dantes era o dia do senhor... professor
Agora é, também, o dia do senhor ... educador (tal como foi adjectivado aqui)


Herman Enciclopédia, Melga & Mike [kit para políticos ...]

manhã de segunda mas uma boa semana (7)






Stamos, T.
blocking out the sun
(1961)






Pode não brilhar estes dias. Mas não desapareceu de vez. :) [o sol, falo do sol]



Rodrigo Leão, imortal

mais parabéns





Mapplethorpe, R.
orchid
(1989)
(fotografia)






Parabéns para um menino que não se chama Pedro, mas faz anos no dia do santo.

Faz hoje um ano que assinalei aqui o aniversário da Rosinha. Parabéns também para ela!

28 junho, 2009

tempo





Pye, H.
every relationship has a clock attached to it
(2008)












FORA DE HORA

Entrega fora de hora
e posse fora de hora.
Quem mandou
você atrasar a hora,
você apressar a hora,
você aceitar a hora
não madurada
ou demasiado madura?

O tempo fora de hora
não é tempo nem é nada.
O amor fora de hora
é como rolar na escada.

Carlos Drummond de Andrade, farewell, 57


Chico Buarque, apesar de você
[é mesmo para ouvir :)) ]

as coisas às vezes parecem simples





Sander, L.
summer
(1960)











Dave Brubeck, blue rondo a la turk

27 junho, 2009

apartes em partes

1) É impressão minha ou o novo porta-voz do Partido Socialista, João Tiago Silveira, tem uma maneira de falar desagradável? E a postura corporal também não ajuda? Da primeira vez que ouvi pensei que poderia ter a ver com o que estava a dizer. Mas, agorinha mesmo, teve só a ver com a forma. Mas, sei lá, não sou toda a gente, não é? Deve haver quem goste, pois se o escolheram... [Adenda: Tem ar de "mesureiro" (não sei se escreve assim)].

2) É impressão minha ou, na questão da marcação da data das eleições legislativas, o PR teve sobretudo em atenção o seu 2º mandato como PR? [Embora a decisão tenha sido no sentido do meu entendimento]

3) É impressão minha ou a drª MFL expressa-se mal em português? A mim parece-me que tem um vocabulário diminuto e as frases não concordam demasiadas vezes.

4) É impressão minha ou SIC Notícias exagerou, exagerou, exagerou, exagerou - e continua a exagerar - a propósito da morte de Michael Jackson?

5) É impressão minha ou a economia pffff ... Duas posições tão (e) tão diferentes. Só podem ser duas concepções de sociedade. [ADENDA: já depois de escrever os meus apartes simplórios, li isto.]

sábado de manhã (62)



Gipstein T.
woman sleeping on the deck of a cruise ship




[não é num cruzeiro mas... 'tá-se bem' :))]

26 junho, 2009

palavras (1)

Vou colocar aqui palavras que caíram em desuso. Algumas serão meros regionalismos, outras poderão até ser corruptelas. Para o caso não me parece importante. E, assim sendo, será um gosto acrescentar à minha lista palavras de outras regiões. Mandem-mas por e-mail, se entenderem, que eu depois publico-as com a devida referência.
A apresentação é feita sob a forma de pergunta. Aguardo impacientemente a resposta na caixa dos comentários. A pergunta não é retórica. É mesmo para responderem.

- Sabe o que significa esterroar ?

[Muito obrigada ao A.M. que me mandou uma lista enorme de que me vou socorrer para alimentar esta rubrica]

lemniscata - 2

Muito obrigada à Ana Paula do blog CATHARSIS que atribuíu ao branco no branco o prémio LEMNISCATA.
Como já respondi aqui a esta cadeia, vou dispensar-me de repetir a lista de sete blogs. Entretanto, não se esqueçam de visitar o CATHARSIS e de ler atentamente as reflexões interessantes e actuais que a Ana Paula tão bem apresenta.

ruminações (ando farta das sagradas)






Toulouse-Lautrec, H.
la vache enragée
(1896)










AS VACAS TRESMALHADAS

As vacas tresmalhadas pelo asfalto
da cidade fazem fugir quem passa.
Amarelo... Vermelho! Uma atravessa.
É apanhada, seco, dá um salto,

desentranha um mugido e, abatida,
põe nos olhos mansíssimos a vida.
Que pascigo escolheste, amável bicho?
Se não fora o olhar, já eras lixo.

Vaca malhada tresmalhada, vaca
de leite em sangue, atormentado nó
pulsando no asfalto, agora saca
dos misérrimos bofes o seu muuuu

derradeiro. Já sem dor ou protesto,
é da ciddade a vaca mais um resto.

Alexandre O' Neill, poesias completas, INCM, 293


Madredeus, vaca de fogo

À porta
daquela igreja
vai um grande corropio
À volta
duma coisa velha
reina grande confusão
Os putos
já fogem dela
deita o fogo a rebentar
soltaram
uma vaca em chamas
com um homem a guiar

São voltas
Ai amor são voltas
sete voltas
são as voltas da maralha
Ai são voltas
Ai amor são voltas
são as voltas
são as voltas da canalha

No largo
daquela igreja
vive o ser tradicional
à volta
duma coisa velha
e não muda a condição

Pedro Ayres de Magalhães

Michael Jackson

Michael Jackson morreu. Pel'amor da santa não me venham agora reabilitar aquela figura sinistra, mesmo que tenha sido um músico e um performer de top. E a imprensa que o vampirizou em vida prepara-se para continuar o grande circo. Como sempre demasiado barulho.
Que esteja em descanso.

25 junho, 2009

e bibó Porto que ontem foi dia de S. João






Casanova, E.
torre dos clérigos
(c.1890)








METAMORFOSE*

Para a minha alma eu queria uma torre como esta,
assim alta,
assim de névoa acompanhando o rio.

Estou tão longe da margem que as pessoas passam
e as luzes se reflectem na água.

E, contudo, a margem não pertence ao rio
nem o rio está em mim como a torre estaria
se eu a soubesse ter...
...................................uma luz desce o rio
...................................gente passa e não sabe
que eu quero uma torre tão alta que as aves não passem
......................................................as nuvens não passem
......................................................tão alta tão alta
que a solidão possa tornar-se humana.

Jorge de Sena, Metamorfose, Coroa da Terra (1946), Poesia I, Moraes, Lisboa, 1977

* Segundo Mécia de Sena, o poema Metamorfose refere-se à Torre dos Clérigos


Frei Fado d' El Rei, deusa de azul
(ora ouçam este grupo do Porto, sem preconceito quanto à cor e à realeza:)))

e, possivelmente, ainda a procissão vai no adro...






Bertoia, H.
a gilt bronze money tree
(1954)








Isto não pára...

e, é assim que:
comungam
todos
os dias
(n)o jardim
(n)o pinhal
onde lhes cheirar, neste caso, o vil metal.
Que (nenhuma) vergonha!

24 junho, 2009

you will see








Louis, M.
hot half
(1962)

Este ano verão que as coisas só vão aquecer verdadeiramente lá para Setembro e Outubro. Entretanto, vai haver um pico de aquecimento no dia em que se souber se o aquecimento ocorrerá em Setembro e Outubro ou só em Setembro ou só em Outubro. Uma coisa é certa, querer saltar duas fogueiras ao mesmo tempo (perdoem-me a imagem sugerida pelo dia de S. João) pode chamuscar partes que não dá mesmo jeito nenhum que se chamusquem.
E não adianta pôr um semblante recto se a decisão for inclinada. A ver se me faço entender!

23 junho, 2009

sem quadras joaninas com joanetes que a imaginação acusou a crise internacional


Vou festejar o S. João.
Pretexto para estar com amigos.
Sintam-se festejados também.


:))))


Oh meu rico S. João
Antigo, das Fontainhas
Zelai bem, com afeição
Pelas visitas, tão minhas.


Entretanto, fui visitar o blog da Tia Zen que pedia quadras de S. João e saíu esta sem eu saber como ehehehe

Oh minha querida ando
Mesmo sem 'maginação
Por isso daqui não mando
A quadra de S. João.

lemniscata


Do "DELITO DE OPINIÃO" chegou ao branco no branco o PRÉMIO LEMNISCATA. Fico sem jeito, porque sei que existem inúmeros blogues muito mais merecedores do prémio do que este canteirinho lúdico e simples.


"O selo deste prémio foi criado a pensar nos blogs que demonstram talento, seja nas artes, nas letras, nas ciências, na poesia ou em qualquer outra área e que, com isso, enriquecem a blogosfera e a vida dos seus leitores."

Agradecida, passo à parte difícil que é nomear sete blogues dando continuidade à cadeia. Custa-me imenso fazer a lista. Vou tentar não nomear blogs que sei que já receberam este prémio.

E, como estamos no S. João, siga a rusga animada:

"Diz que não gosta de música clássica"
"Em pequenas doses"
"Fragmentos de uma vida"
"Mainstreet"
"Mar à vista"
"Passages"
"Wolkengedanken"

Muito obrigada aos "delituosos" do Delito de Opinião

[Do blog Defender o Quadrado retirei mais explicações:


véspera de S. João





Caravaggio
St John the Baptist (youth with ram)
(c.1600)
Musei Capitolini, Roma











É véspera de S. João
Também no branco no branco
E seria um festão
Com quadras de humor franco

É véspera de S. João
Já me cheira a manjerico
E sem imaginação
Olhem, por aqui me fico.

O ano passado assinalei o S. João aqui e aqui. E se os estimados leitores deixassem umas quadras a ver se a veia se me desperta? :)))

22 junho, 2009

tarde em Itapoã


Maria Bethânea, tarde em Itapoã (ao vivo)

Um velho calção de banho
O dia pra vadiar
Um mar que não tem tamanho
Um arco íris no ar
Depois na praça Caymmi
Sentir preguiça no corpo
E numa esteira de vime
Beber uma água de côco

É bom
Passar uma tarde em Itapoã
Ao sol que arde em Itapoã
Ouvir o mar de Itapoã
Falar de amor em Itapoã
Passar uma tarde em Itapoã
Ao sol que arde em Itapoã
Ouvir o mar de Itapoã
Falar de amor em Itapoã

Enquanto o mar inaugura
Um verde novinho em folha
Argumentar com doçura
Com uma cachaça de rolha
E com o olhar esquecido
No encontro do céu e mar
Bem devagar e sentindo
A terra toda rodar

É bom
Passar uma tarde em Itapoã
Ao sol que arde em Itapoã
Ouvir o mar de Itapoã
Falar de amor em Itapoã
Passar uma tarde em Itapoã
Ao sol que arde em Itapoã
Ouvir o mar de Itapoã
Falar de amor em Itapoã

Depois sentir o arrepio
Do vento que a noite traz
E o diz-que diz-que macio
Que brota nos coqueirais
E nos espaços serenos
Sem ontem nem amanhã
Dormir nos braços morenos
Da lua de Itapoã

É bom
Passar uma tarde em Itapoã
Ao sol que arde em Itapoã
Ouvir o mar de Itapoã
Falar de amor em Itapoã
Passar uma tarde em Itapoã
Ao sol que arde em Itapoã
Ouvir o mar de Itapoã
Falar de amor em Itapoã

Passar uma tarde em Itapoã
Ao sol que arde em Itapoã
Ouvir o mar de Itapoã
Falar de amor em Itapoã

Passar uma tarde em Itapoã
Ao sol que arde em Itapoã
Ouvir o mar de Itapoã
Falar de amor em Itapoã

Toquinho e Vinicius (1971)

in satisfações





Bleckner, R.
blue net
(1999)




Estou numa zona em que a rede não funciona muito bem. Dá para espreitar a fugir e pouco mais. Entretanto, nada como um mergulho no país não litoral nem citadino nem... Passar dois ou três dias dentro "deste país" faz perceber muitas coisas, torna outras tantas risíveis e reforça um certos 'nerbos' que me fazem muitos palpites de putos da linha que, se por aqui andassem, nem a linguagem percebiam... Ah! E quando falam de pobreza e fome e falta de liberdade, e que agora não sei quê, deviam ouvir uns testemunhos espontâneos. A alguns empertigados, bastava-lhes ouvir a senhora de 54 anos, que apoia a minha mãe cá em casa. Crise? dizia-me ela ontem: crise era no meu tempo que passei muita fome. E explicou logo a seguir um ror de situações que distinguem a 'vida d'agora'. Sem querer usar o 'fenómeno taxista', que tantas vezes invoca os sedentários motoristas como se fossem a voz de todo o povo, ouvir uma pessoa que ainda passou fome, andou na escola só o tempo mínimo e, neste momento, sem sair do país, tem uma filha que, apesar de ter nascido com sérios problemas de audição, acabou um curso superior (está desempregada) e um filho bom aluno que já vai para o 10º ano, ilustra, pelo menos, algumas coisas.

Entretanto, também, a natureza é linda e está um tempo muito bom.

mais parabéns






Chabrian, D. L.
arrangement in white




Para a M. que faz hoje anos e que eu sei que vem aqui espreitar, embora nunca diga nada.
Parabéns miúda! Parabéns avó babadérrima (e com razão). Beijinhos para todos.
Um beijo especial para ti, M.! PARABÉNS!

21 junho, 2009

bocados de nós e de laços

O R. tem a minha idade. Colegas de escola primária, vizinhos e com um apelido comum embora não sejamos da família. Estudamos em colégios internos na mesma cidade. O R. como sempre me lembro dele, alto moreno com uns olhos verdes profundos e tímidos e o ar sereno de quem não precisa de se queixar de nada. O R. atleta, jogador de Voleibol tal como eu fui (ele muito melhor que eu), um rapaz bonito que se transformou num belo homem. O R. atencioso e muito paciente. O R. de quem me comecei a desencontrar quando fomos para a faculdade. Eu para Lisboa, ele para o Porto. Depois a vida trouxe-me para o Porto e a ele levou-o para África. O R. voltou já há uns anos largos mas, apesar do prazer de nos revermos, a distância e o tempo tinham-nos tornado quase desconhecidos. Não temos, por isso, falado ultimamente. O R., apesar da sua insistência, foi o namorado que eu não quis nos meus 16, 17, 18 anos. Soube hoje que o R. está a morrer. É impossível não chorar.

[Possivelmente não devia ... aqui. Sorry]

antigas imaginações




Petersen, V.
summer solstice
(2004)






Eu, maria do ... me imagino, junto ao Stonehenge, a dar os bons dias ao sol, no solstício de verão.
E se é o dia mais longo que seja também um dia bommmmm


George Harrison, here comes the sun (live)

20 junho, 2009

primeira demão a sério




Fisher, J.
swimmer
(2007)





E foi tanta a brincadeira que ia apanhando um escaldão. E eu não sou nada celta, sou muito mais ibera :))

cá de longe com calor





Keesing, M.
hot
(2005)






verão que parece

sábado de manhã (61)






Young, S. S.
reading Vermeer



[Junto a um paralelipípedo de dimensões razoáveis, com gazão em volta e cheio de um líquido natural, transparente, incolor, insípido e inodoro, porque o tratamento não é à base de cloro, e com uma temperatura boa para lá entrar. :)))]

19 junho, 2009

só burocraticamente é que ainda não é, verão




Bridgland, A.
almost summer
(2009)

paixão assolapada

Faz hoje 65 anos. O Chico Buarque. De quem tanto gosto. Como já assinalei aqui

blogomenagens (2)





Krause, G.
stairs
(1969)
fotografia



A um ar de foi uma das principais responsáveis por eu ter continuado o blog. Amiga de quem me desafiou a começar, foi das primeiras visitantes do branco no branco. Foi a sua enorme capacidade para valorizar o que se diz e traduzir a sua generosidade esclarecida em comentários, que me estimulou, também, a retomar após uma pausa de 6 meses. A um ar de é, também, a responsável pela rubrica das senhoras dorminhocas do sábado de manhã (que já vai em 59).
A um ar de escreve tão bem e sobre modos de sentir tão profundos que os seus textos são sempre um desafio à lucidez e à capacidade de enfrentar as virtualidades da nossa natureza nem sempre acomodada, a maior parte do tempo inquieta. Textos intemporais a partir de momentos da autora, assim os vejo. Sem tibiezas nem rodeios. De frente. Sem concessões à facilidade. Muitas vezes me espantei com textos que, tivesse eu a mesma capacidade, poderia tê-los escrito, tal o grau de identificação que senti.
Habituei-me a gostar da um ar de e tenho saudades do tempo em que tinha mais disponibilidade para escrever e enriquecia a caixa dos comentários do branco no branco diariamente.
Ultimamente a um ar de tem escrito pouco. Mas tudo vale a pena no blog nem tudo o que sobe...

18 junho, 2009

parabéns






Maguire, C.
roses in Bunny's vase






89 anos é obra. E com uma vida completamente autónoma, ainda mais. Vamos festejar agora também com a Francisca. Quatro gerações. Não deixa de ser comovente.


ADENDA MUITO IMPORTANTE
O ano passado foi assim. Este ano deixo um beijo especial para a um ar de do blog nem tudo o que sobe

blogomenagens (1)

.




Malevich, K.
red square (painterly realism of a peasant woman in two dimensions)
(1915)




Não sei quando comecei a visitar este blog. Sei que o procurei por causa dos comentários que o seu autor deixava em blogs que eu visitava. É um blog com textos plenos de uma ironia muito fina. Por vezes cáusticos, sem nunca serem vulgares. Os temas são actuais e diversificados. As ilustrações fazem jus aos textos e, por vezes, também serve muito boa música. Gosto de o ler e de pensar nas suas entrelinhas. Digam lá se poder visitar um blog assim não revela que, apesar de tudo, ainda temos bons tempos, hein?

Tive esta ideia há já bastante tempo: homenagear os autores dos blogs que visito ou que visitam o branco no branco. Imediatamente achei que seria uma pretensão e não dei seguimento à ideia. Mais tarde a ideia voltou para ir embora, quase logo, porque me confrontava com a impossibilidade de arranjar modo de homenagear todos com igual desempenho. Para a minha desistência contribuíam ainda questões pueris como a ordem pela qual o fazer, não ter uma ideia igualmente formada de todos, enfim... O único ponto a favor ainda é o facto de não conhecer pessoalmente os autores, com excepção de cinco ou seis, o que me permite alguma leveza quanto ao propósito.
Pois bem, deixei-me de coisas, de mas e de "poréns" e começo hoje. A ordem é arbitrária e o ritmo vai depender dos elementos que vou arranjando se adequarem ao que pretendo.

17 junho, 2009

16 junho, 2009

lado positivo

.





Crocker, S.
look on the bright side





Depois de percorrer os jornais e, ainda que só por momentos, olhar para um qualquer lado positivo. Com simplicidade.

15 junho, 2009

sem mais palavras


ver o texto e a fotografia aqui

ver um despropósito sem classificação que obriga a isto

por exemplo





Dehai, P.
the role model
(2006)


No passado dia 10 de Junho A.B. acentuou o papel do exemplo. Também me dizem, desde pequenina, que o exemplo vem de cima. Ora, se vem de cima, desce. E não é a descer que todos os santos ajudam? Então porque é que é tão difícil?

que os versos vos façam sorrir e não só*






Wright, S.
feet on an orange towel
(2008)










MAL DE PÉS

Certo patrício nosso brasileiro,
Depois de ter corrido o mundo inteiro
Ao voltar de Paris desenganado
Dos médicos, que tinha consultado,
Achou-se num wagon com um inglês,
O desgraçado tinha mal de pés.
E a última palavra da ciência
Era ir vivendo e tendo paciência.

Mostrou-se o bife incomodado,
fungando para um e outro lado...
Como quem busca o foco de infecção;
Diz-lhe o nosso infeliz compatriota,
A apontar-lhe com o dedo a bota
E exalando um suspiro de paixão:
_ Eis a causa senhor, eis o motivo!...
O que eu não sei é como ainda vivo!
Tenho gasto rios de dinheiro,
E sempre, sempre, sempre o mesmo cheiro!

E isto por ora vá! ... mas alto dia
Quando aperta o calor... Virgem Maria!...
"E diga-me: em lavando os pés refina,
Ou sente algum alívio?"
_"Isso não sei,
Sei que tenho exaurido a medicina;
mas lavar é que nunca experimentei."

Às vezes dá-se ao médico o dinheiro
Que se devia dar ao aguadeiro.

João de Deus

* Não vale fazer leituras subliminares relacionadas com o actual momento político. Ou vale?
:)))

14 junho, 2009

pfffffffffffffffff




Casqueiro, P.
s/ título
(2008)



Já assumi muitas vezes que acho as tardes de domingo um desagrado só. Mas, com o tempo que está hoje, é um abuso.

13 junho, 2009

outras vidas

.




Vieira da Silva, M. H.
the corridor
(1950)







Pela manhã de junho é que eu iria
pela última vez.
Iria sem saber onde a estrada leva.

E a sede.

Eugénio de Andrade, matéria solar, 48

Sto António





Guercino
Saint Anthony of Padua with the Christ Child *
(1630)


Com as festas à medida
Que têm hora marcada
Quase fico deprimida
Quase fico amuada!

Sem bairrismos sufocantes
Nem querer 'star em primeiro
Vou tentar guardar-me antes
Para o S. João tripeiro

Mas desejo aos alfacinhas
Festas boas animadas
E que todas as sardinhas
Estejam muito bem assadas


Amália, Lisboa à noite (ao vivo, 1958)

* Caros alfacinhas e afins (isto é, e dos arredores da capital): esclareço que não fui eu a sugerir o título do quadro. Acho que os lisboetas têm direito ao seu santo. Não tenho culpa que exista esta ambiguidade histórica. Se tem ficado Fernando Martim de Bulhões e Taveira Azevedo, não havia tanta confusão e tanta hipótese de melindre. São dois? Há teses.
:))))

sábado de manhã (60)




Picasso, P.
rest
(1932)

12 junho, 2009

sexta-feira doze




Sato, R.
spring
(2002)


Está quase a terminar. Em breve verão.


Jorge Palma, a canção de Lisboa

10 junho, 2009

de visita








Frankenthaler, Helen
beginnings
(2002)

09 junho, 2009

frescas & frescos (3)

Juro que não é piada. Scolari vai treinar o Bunyodkor do Uzbequistão

frescas & frescos (2)

Há precipitações que não têm desculpa. Como esta. Sintomático.

frescas & frescos

Estou tentada a lançar um amplo movimento de recolha de bens para colmatar isto. Tudo isto me dá pena, é o que é.

08 junho, 2009

bons dias de Junho





Riley, B.
June
(1992)





...
Mas eu aqui completamente envolto neste tempo detergente
é da segunda feira e da semana que preciso pois
posso lutar melhor por uma luz melhor
do que esta luz do mar à hora do entardecer
...
Ruy Belo, odeio este tempo detergente (País possível, todos os poemas, Assírio& Alvim, 386/388)


Miriam Makeba, ask the rising sun (ao vivo)

07 junho, 2009

eleições - notas soltas (3)

20.10 h
A história está feita.
Independentemente de a projecção se confirmar, ou não, ponto por ponto.
Nada será como dantes.
E é bom que todos nós compreendamos o que isto significa. E não significa pouco.
Nada será como dantes. Nada.

[Se o PS tem muito exame de consciência para fazer, os "rivais" internos de MFL no PSD não terão menos]

eleições - notas soltas (2)


_ 2 minutos antes das 20 horas: SIC- Notícias: confirma a abstenção. Hilariante: é através do helicóptero da SIC que confirmamos que não houve muito calor.
_ Projecção diz que ganha o PSD - surprsise?; o BE passa a 3ª força política; o CDS aguenta-se.
_ Aguiar Branco, não só não está lívido como está rosadinho face às projecções.
_ Sede do CDS: entende que o mais importante é mostrar a discrepância entre as sondagens e a projecção. Que ralhe com as empresas de sondagem. Que tenho eu a ver com isso?
_ Vitalino Canas (sempre ela, tadinho): grau de abstenção extremamente elevado. Eleições disputadas (eufemistico o menino). São apenas projecções que, a confirmarem-se os resultados, do PS ficam aquém. Contudo o Ps aguarda. Mais uma comoção por esta fé na esperança.
_ BE. A Marisa vai dar a cara só para dizer que têm de ter cautela e reserva. O governo do PS sai fortemente penalizado e o BE, sustentadinho duplica os votos.
_ CDU, Francisco Lopes: para já são projecções. Progresso nítido da CDU.

Para já só perdeu o PS.

eleições - notas soltas

19.00 h
- Em Portugal a abstenção é muito grande mas parece que vai ficar ligeiramente abaixo do valor de 1994.
- Hoje o tempo atmosférico não é desculpa para ninguém. Nem tempestade, nem dia de praia.
- Não acho que a culpa por tanta abstenção seja só "deles" (whatever).
- Na Eslováquia abstenção à volta de 80%.
- Uns não votam porque estão mal habituados, outros não votam porque estão pouco habituados
- 19.22: O Nuno Melo diz que hoje é um dia como os outros. O maroto está a brincar à política.
- 19.32 O ministro da Cultura José António Pinto Ribeiro discorre acerca da abstenção ali na SIC- notícias. Tem uma marca de batôn na bochecha direita. Alguém lhe pespegou um beijo todo repenicado sem abstenção nenhuma.
_ O Aguiar Branco, em mangas de camisa. Apesar do sobrenome ainda não o acho lívido.
- 19.39 Marques Guedes, breve declaração. 1º O dia decorreu sem problemas: estava à espera de quê? De alguma parada alternativa? 2º A abstenção é preocupante, mas a culpa é dos outros. 3º agradece a quem votou no PSD: mas que boa educação. Não sei se me comova.
_ Acho o máximo chamar quartel general à sede do BE. Eles que são contra o serviço militar e tudo e tudo.
_ 19.43 O F. Rosas já fez umas contas em que, apesar das % há mais gente a votar. E realça que em Portugal o resultado é menos mau do que noutros países da Europa. Agora comovo-me com este patriotismo e optimismo lusitanos.
_ 19.45h Sede do PCP, ... Alves: a abstenção é preocupante. Quanto a resultados só no fim. Gosto desta fé na esperança.
_ O PP tem uma sondagem própria: na volta têm também umas eleições só para eles.

(em actualização)

vamos votar

.



Sung, P. P.
choice of mind II
(2005)



eu vou votar.

06 junho, 2009

03 junho, 2009

motivo de júbilo






Ladd, R.
cyclamen & silver






Interrompo a interrupção por um motivo bem bonito: nasceu a Francisca, a minha primeira sobrinha-neta. Está tudo bem e estamos todos muito felizes!
[Se bem que os meus netos 'adoptados' nunca hão-de perder o seu lugar especial...rsrsr]