28 junho, 2009

tempo





Pye, H.
every relationship has a clock attached to it
(2008)












FORA DE HORA

Entrega fora de hora
e posse fora de hora.
Quem mandou
você atrasar a hora,
você apressar a hora,
você aceitar a hora
não madurada
ou demasiado madura?

O tempo fora de hora
não é tempo nem é nada.
O amor fora de hora
é como rolar na escada.

Carlos Drummond de Andrade, farewell, 57


Chico Buarque, apesar de você
[é mesmo para ouvir :)) ]

17 comentários:

Maria disse...

Provavelmente. Nunca tinha pensado nisso...
O Chico é mesmo para ouvir, sempre!

:))

intimidades disse...

as vezes penso:

Porque e que sera que ando sempre a pensar que nao tenho tempo?

Jokas

Paula

Donnola disse...

quem é o ditador do momento?

anamar disse...

Não há mesmo juros que paguem o sofrimento que nos inflige...
Apesar de tudo há que esperar outros "amanhãs"!
Foi bem rematado esse teu Chico...
beijinhos e boa semana, mdsol

um Ar de disse...

O problema é o tempo, esse a priori!
.
[Beijo...@]

cristal disse...

às vezes consigo pensar que "driblei - não sei se se escreve assim" o tempo até ele me marcar com uma derrota definitiva!

Violeta disse...

Há tempo que não ouvia esta música. Quanto ao poema... ficamos assim.bj

WOLKENGEDANKEN disse...

Pois este post faz que uma atea como eu comece a citar a biblia: há um tempo para nascer e um tempo para morrer, um tempo para amar e um tempo para odiar, um tempo para sembrar e um tempo para a colheita ...... Tenho na orelha uma vocalizacao desta citacoe - em espanhol - mas nao consego lembrar de quem é .

um beijinho

Mar Arável disse...

Para o amor

é sempre hora

apesar de você

e que viva Drumond e o Chico

e você

Bjs

Je Vois la Vie en Vert disse...

Como é engraçado : estava a comentar no blog do Osvaldo pensado que era a primeira, afinal eras tu a começar!
Logo a seguir, estou a entrar no teu Branco, na mesma altura que no meu Verde e afinal descobri que NÃO CHEGUEI À HORA ! ADIANTASTE-TE ! :-)))
Estavamos no mesmo comboio ?????
:-)))

Beijinhos

Verdinha

António Torres disse...

.
O pesar dos relógios

Toda a relação
Tem um relógio que lhe marca o tempo,
E um diapasão,
Que esse tempo mede
Em linhas de poesia e timbres de sentimento.
E há um lugar à mão,
Um “sítio”, como de diz,
Onde um relógio atómico marca a hora de acertar
Aquele momento, feliz
Em que calha, muito bem sincronizar
Um nariz e outro nariz.
:)))

Fernando Vasconcelos disse...

Drummond de Andrade é sempre fabuloso. Do tempo ou da falta dele e se faltou para onde foi ?

Osvaldo disse...

Olá Mdsol;

Só para te dizer que o grande mestre da nossa literatura que foi o escritor, poeta, jornalista, dramaturgo e professor Carlos Drummond de Andrade, foi meu professor no Rio de Janeiro e o Chico conheci-o em 1966/67 no Festival da MPB no Maracanazinho quando ele com "A Banda", a Nara Leão com "Estava à toa na vida" e o Sérgio Sampaio com "Apareceu a Margarida" disputaram a final para representarem o Brasil no Festival da canção do Rio. Bom, tinha eu 16 anos... e como fazia estágio na Globo,...

Por isso, o prazer de ver aqui no teu blog duas pessoas que conheci e em que ambos me mostraram o grande amor e respeito por Portugal e pelo povo português.

bjs, Mdsol.
Osvaldo

Duarte disse...

O tempo...! Pensei que ia ter mais tempo, cada dia estou mais ocupado e saturado, até quando?
Mas para o amor sempre há tempo, e nunca chega a destempo.

Um abraço

Carminda Pinho disse...

A propósito do tempo...isto não tá nada fácil, pois não?

Ah! O Chico é sempre para ouvir até ao fim...
:)))

Beijos

~pi disse...

pode-se cortar a cordinha ao relógio?

eu não sei mesmo ] mas posso pôr a hipótese,




~

Graça Pimentel disse...

...Você que inventou a tristeza
Ora faça a fineza de desinventar...

Palavras lindas do grande Drummomd e a música perfeita do grande Chico.

Adorei tudo e desinventemos a tristeza.

Beijinho