22 dezembro, 2009

rain & tears





Yan, L.
rain
(2008)
[trabalho em papel]









 
Aphrodite Child, rain and tears

Do que eu me fui lembrar, não é? Música de constituir família. A voz cheia de requebros. Tremelicante e falsamente desesperada. Tudo bem. Aceito tudo isso e mais que venha. Mas... Ah! Quem nunca a dançou? Quem não tremelicou ao dançá-la? Quem ... Do que me fui lembrar, não é?

10 comentários:

Maria disse...

É, do que tu te foste lembrar...
... quando dançávamos sem sequer mexer os pés.. :))

é bom ouvir!

:)

jrd disse...

Treme-se com se fôssemos um pudim flan.
O meu comentário anterior não entrou. Será vingançazinha?... :)))

António Abreu disse...

Talvez a dance quando na passagem de ano deglutir as passas

Dois Rios disse...

Minha q. Sol,

Entre idas e vindas com o blog ainda não pus em dia os afetos que me embalaram ao longo da sua duração. Você é um deles.

Rain and Tears é música para sempre. Já dancei, tremiliquei e derreti-me ao som do Aphrodite Child. Confresso que ouvi-la aqui novamente emocionou-me.

Muitos carinhos do lado de cá,
Inês

lino disse...

Demis Roussos da voz melosa mais o Vangelis dos sete instrumentos. Há que tempos que não ouvia isto! :))

Mar Arável disse...

Ainda hoje

tremelica

Boa lembrança

A.S. disse...

Querida Amiga!

Que teu Natal seja repleto de luz... daquela que acendemos por dentro e que a tudo irradia em forma de sentimentos.


Beijos...
AL

susana disse...

Demis Russos! A minha mãe adorava este senhor! Não me lembro de o ter dançado... Isto era piroso, claro! Eu ouvia os Duran Duran! Eheheh!

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

essa seria digna de figurar no meu Rochedo das Memórias Musical. Como me pude esquecer?

~pi disse...

like shadows,,,






~