09 dezembro, 2009

conversas com a Isaura (11)

.




 Nara, Y.
acid rain
(1996)


Querida Isaura
Como vais? Bem, assim espero. Ao tempo que não falamos, não é? Como te tinha dito, pelo menos até ao Natal, ando bastante ocupada. E este tempo também não ajuda nada. Muito feio, acho eu. Só apetece estar enroscada numa mantinha quente e suave, a bebericar uma infusão aromática e sem pensar em nada. Eu passei mais ou menos assim o fim de semana. A ressaca do funeral, a chuva a cair sem parar, demasiado cinzento, literal e metafórico, para ter vontade de coisas mais elevadas. Acresce que tenho a casa de pantanas. Já vociferei o que tinha de vociferar, até ao dia em que ouça mais algum político a falar das piquenas e médias empresas que precisam de apoios. Em altura de crise, começar obras, prolongá-las (o preço está previamente definido, portanto, nem sequer é uma esperteza saloia esticá-las) e, mesmo com o prazo de conclusão esgotado, fazer ponte, pois claro, e eu que me amanhe com quase tudo fora do sítio e algum pó no ar, óptimo para "atenuar" a tosse alérgica com que ando. Claro que, com estas coisas todas nem me lembro do ombro. A tendinite, de que te falei, não passou completamente. Comprometi-me a fazer  fisioterapia e nunca pus os pés na clínica, que, sabes bem, fica a 2 minutos de minha casa. Como me dói menos, abuso do abandono. E isto sabendo que as vou pagar com língua de palmo, mais tarde ou mais cedo. Sabes Isaura, até os prós estão contra. Acreditas que até o tlm anda meio tolo? Pura e simplesmente não toca e cria-me embaraços. Ainda não tive oportunidade de o atirar à parede (tenho de comprar outro antes).
Isaura, não te maço mais. Ah! e não te preocupes comigo. Já me conheces e sabes que, quando se aproxima a "quadra", eu acuso logo um nervoso miudinho, revestido de falta de paciência, com manifestações muito agudas se me chega algum dlindlindlin da época ou me ponho a pensar nos embrulhos vazios, cheios de coisas dentro. Adiante.
Se não falarmos antes, e apesar da minha manifesta não militância da causa natalina e afins, desejo que passes bem as festas e que o ano novo seja muito auspicioso.
:)))

6 comentários:

salvoconduto disse...

A Isaura pode não se preocupar, mas lá que me preocupo garanto que sim. Também eu ando com o raio da tendinite no ombro e também eu "teimo" em não ir à fisioterapia.

O Puma disse...

Dezembro

agrava as tendinites

Digo eu.

susana disse...

Uma carta a Isaura. Muito doce.

intimidades disse...

raios aidna nao comprei prendas

Jokas
Paula

anamar disse...

Abençoada amiga Isaura para saber mais qualquer coisinha de ti, querida mdsol ....:))

Obras...horror...
assim até o natal até te passará mais ao lado.
Quem me dera uma obrita por agora para não pensar nas poucas fitinhas que tenho.
Dores...,olha, a mim estão a chegar ,com força... Só agora dou valor ao joelho da minha bela mãe.
O meu rapaz, diz que não, não pode ser, que não tenho idade, mas isso é ele que diz... "mãe é porreira e tem que ser assim pró resto da vida".
Continua a dar notícias e cuida-te...
Beijinhos ensolarados
:)))))))))))))))))))))

Carminda Pinho disse...

Ui! Que saudades das tuas "conversas" com a Isaura.:)

Beijos daqui, entre a ansiedade e o calor do desejo de felicidade do meu menino jesus que há-de chegar lá para a páscoa, se Deus quizer.
:)