22 março, 2009

género de receitas unisexo

.



Bochner, M.
blah, blah blah (maroon)
(2008)



Se algum dia te enjoares de palavras, como acontece a todos, e estiveres farta de as ouvir, de as dizer... Se uma qualquer que escolhas te parecer gasta, sem brilho, inválida... Se sentires náuseas quando ouvires "horrível" ou "divino" a propósito de qualquer assunto - é evidente que a cura não estará numa sopa de letras.
Deves fazer o seguinte: cozinha al dente um prato de esparguete que vais condimentar com tempero mais simples: alho, azeite e pimento. Por sobre a massa já mexida com a mistura anterior, rala uma camada de queijo parmesão. Do lado direito do prato fundo cheio de esparguete temperado com o que indiquei, coloca um livro aberto. Do lado esquerdo coloca um livro aberto. Em frente, um copo cheio de vinho tinto seco. Não é recomendável qualquer outra companhia. Passa ao acaso as páginas de um livro e outro livro, mas ambos terão de ser de poesia. Só os bons poetas nos curam da fartura de palavras. Só a comida simples e essencial nos cura dos excessos de gula.
Héctor Abad Faciolince, receitas de amor para mulheres tristes, ed. presença, 17


Alan Delon & Dalida, paroles, paroles, paroles.... rsrsrsrs
[assumo que o coraçãozito palpitava pelo AD... mas, depois passou-me, virei-me para outras estéticas ... ] rsrsrsr

17 comentários:

jose albergaria disse...

Poesia al dente...literatura al dente...palavras al dente!
Só mesmo um italiano para abordar deste modo singular as congestões da escrita "ligth".
Deus o abençoe...e a si, também, por continuar a "postar" deste modo tão certeiro e sagaz.
Abraço,
J.A.

lino disse...

Comida simples, nada das modernices dos chefes à procura de estrelas. E um copo de dois litros, um para cada livro. :))

Osvaldo disse...

Olá Mdsol;

Blah,blah,blah com parmeson e sauce chocolate, deverá ser melhor que certos "enchidos". rsrsrs.

E como se fala de blah,blah nada melhor que paroles, paroles mas só com a Dalida, Grande Mulher e Grande Artista.

bjs
Osvaldo

João Carvalho disse...

Hum... E o tinto é mesmo seco?

(Gostei.)

anamar disse...

Obrigada,mdsol!!!
Da canção ,já sabes que gosto!Ah! L ensemble... quel mélange!
Bela receita para alma e para o corpo...
Vou já arrrmar o peixe ...e partir para a massa...contrariando o autor.. a poesia vem depois!
Boa semana
bj

Je Vois la Vie en Vert disse...

Isto é um prato internacional : azeite, alho e pimento, portugueses, suponho eu, parmesão italien, paroles paroles francesas cantadas por uma Egipcia. Os poemas podem ser ingleses e espanhois ?

Beijinhos verdinhos com ligeiro perfume à primavera

Tinta Azul disse...

depois de muito se dar à língua
palavras simples al dente...

:)

cristal disse...

Só para quem não saiba... o Héctor não é italiano... é colombiano. Também adoro estas receitas que fazem parte dos livros de ao pé da almofada :)

intimidades disse...

de volta depois de muitto trabalho

Fantastico texto alias como sempre

Jokas
Paula

Je Vois la Vie en Vert disse...

A menina Mdsol tem que ter muito respeitinho comigo porque sou da colheita de 53, Setembro, i.é. sou mais velha !

Beijocas verdes

intimidades disse...

hhe tambem ja andava com saudades destas coisas da net lol

Jokas

Paula

Arabica disse...

mdsol

:))


Bm inicio de semana.

Com palavras q.b e massa no ponto :)

vbm disse...

:) Porém, eu ainda gosto da Dalida! :)

Et il toujours me semble
qu'elle devrait être
plus attentif et
respectueuse
des paroles!

:)

Et pourtant, elle,
reste toujours belle!

:)

Ana Paula disse...

Uma receita que desperta qualquer ser realmente sensível para a poesia!

Adorei. Não é caso para menos: esparguete al dente... humm... livros de poesia abertos, à esquerda e à direita... vinho tinto seco...humm

tudo isto cura qualquer mal por excesso de más palavras!

:):) Obrigada pela ideia e deixo também um beijinho

em azul disse...

Que bonito... porque me parece tão latino?
Um abraço
em azul

Donnola disse...

volareeeeee ooooo cantareeeee toma lá pra ti :DD

mena m. disse...

Que receita fabulosa!

Abriste-me o apetite...

Beijinhos