05 março, 2009

post scriptum






Andre, Carl
socratic love
(1988)




a (des)propósito do congresso do último fim de semana!

5 comentários:

Maria disse...

:)))
Podia também ser um quadro todo preto. imortalizando o apagão... :)

Violeta disse...

poderia ser uma tela toda branca, escrita abranco, poderia dizer, ams isso é falta de imaginação porque já houve uma peça de teatro com essa tónica "A Arte"...

Carminda Pinho disse...

Lol!!!
Já tinha reparado que ele tinha um ar esquisito.:)))

Beijos

António Torres disse...

Há um certo amor, pagão, que se exprime com obras de arte deste género.
Pega-se nelas pelo cabo e, muito socraticamente, vai-se ao objecto do amor e racha-se-lhe a cabeça ao meio.
Isto, bem entendido, politicamente, pois as violências explícitas não se devem recomendar...
:)))

Donnola disse...

isso é para enfiar nalgum deles?