04 dezembro, 2010

lugar comum






Drew, George W.
grey day, December
(1900)








Dezembro cinzento e gelado, no dia da despedida da mãe de alguém muito chegado. Tinha noventa e um anos, mas nunca se está preparado, disse-me o único filho que, apesar dos seus sessenta anos e do aconchego dos seus próprios filhos, estava tão orfão, como os orfãos conseguem estar. A luz quente? A pequenina Francisca [e os demais que, espera ele, não tardem a chegar] que lhe prolonga a alegria e aponta sentidos maiores para os dias. É mesmo a vida, esse lugar comum.

2 comentários:

Kássia Kiss disse...

Bonita imagem e bonito texto. Espero que o Natal traga alguma alegria às pessoas envolvidas. A julgar pela "luz quente", parece-me que sim :)

lino disse...

É o que nos espera a todos :(