12 dezembro, 2010

avulsos

Nada que me espante, embora me entristeça. É pena que os princípios sejam  colocados no altar da capelinha, esquecendo-se o altar-mor agregador do sentido da função cidadã.

Ando muito perplexa com esta coisa da Wikileaks porque não me é fácil entender tudo o que estará em causa. Ler este texto  deu uma ajuda.

Uma verdadeira surpresa o anúncio da recandidatura deste enfant terrible. E diz o candidato ao que ainda é (e que já foi PM durante dez anos, embora não seja político] que os todos os cargos políticos são temporários. Ele há temporários de cada tamanhão!

Inteligente é este argumento para explicar a ilha formada pelos funcionários públicos dos Açores. Mas se a obra é supérflua, cara e dispensável como se pode sequer pensar em fazê-la?

Cadê as alemãs e as francesas? Estão a ouvir, senhora Merkl e sr. Sarkozy? Qual Rabbit qual carapuça, Jéssica (é) Augusto.

7 comentários:

Rogério Pereira disse...

Está a dar-me muito trabalho... mas sim, está muito bem esgalhado! Está extraordinário...

Francisco Clamote disse...

Avulsos, mas bons.

João Menéres disse...

Não gosto de me pronunciar sobre questões políticas desta natureza.
Um beijo.

ariel disse...

Sou franca, de todas as notícias a que mais me entusiasmou foi o apoio do autarca da CDU de Constância ao candidato Cavaco. Cusca como sou, imagino a cara ainda mais triste, se é que é possivel, do camarada Francisco Lopes....

mdsol disse...

Pois Ariel, imagino. Mas o candidato Cavaco Silva vai buscar os votos a algum lado, não é?. E, depois, perante a impossibilidade do FL ser eleito, não me parece que a tristeza se compare à da Ariel.

:))

jrd disse...

Excelente. A vida está mesmo para "avulsos".
;)

António P. disse...

Avulsos há muitos...:))
Pois é mdsol, hoje parece que não há cidadãos e sim :
- professores,
- juizes, açorianos,
- homosexuais,
etc, etc
cada um que trate de defender a sua capelinha e o cidadão que se lixe.
Boa semana