11 dezembro, 2010

ferrugem e teias de aranha




Magritte, R.
dangerous liaisons
(1926)






É o candidato Cavaco Silva no casino (estas coisas também têm um lado simbólico) a dizer-se envergonhado com a fome e eu aqui no meu canto a sentir-me cada vez mais envergonhada com ele. Se alguém tiver um descaramentómetro submeto-me voluntariamente ao controle anti-descaramento, desde que não seja só eu a ser controlada. Há limites.

Adenda: Eu conheço a história da panela de barro e da panela de ferro, mas também sei que sabem que se deu esta coincidência. Depois de publicar este post dei com este, cuja ideia é exactamente a mesma, só que muito mais bem escrito.

8 comentários:

Ana Paula Fitas disse...

Ora cá está um post surpreendente... bom e belo!
Obrigado, Mdsol :))
Abraço.

Rogério Pereira disse...

A falha é dos consultores
Esqueceram que é necessário indicar
não só as palavras adequadas
mas também o lugar
onde deverão ser proclamadas
Mas a imprensa cobre a "gaffe"
Escondendo o mais possível a cena
e as palavras são em "caixa alta"
enquanto o lugar é em letra pequena

(não percebo a ligação entre o texto e Magritte. Diga-me senão grito...ou então não diga... Explica-me o Ortiga :))

mdsol disse...

Rogério

A ligação para mim não é racional (em sentido restito). Com o Cavaco Silva tudo me parece surrealista, sei lá... Não sou perita. Só sinto as coisas, mainada.

:)))

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Bem dito!
Só se perdem as que caem no chão...
:0)

ariel disse...

Muito bem! É desesperante a ante visão de mais cinco anos com tal vergonha ...

Beijinho

:))

António P. disse...

Pois, mdsol
O Prof. Cavaco e Silva não é surrealista é realista.
Aos sábados vai ao Casino e aos domingos vai à Igreja...é onde estão os votos.
Bom dia do Senhor e uma sugestão :
- aos domingos passemos a postar só posts de reflexão :))

jrd disse...

Ceci n'est pas un president!
;)

lino disse...

Eu não tenho vergonha do cavaco. Tenho é vergonha de ter tantos concidadãos que votaram nele e, pelo vistos, se aprestam para repetir a enormidade :(