13 setembro, 2008

porque sim!


J. Brel, ne me quitte pas (esta versão é...)






Edenmont, N.
september
(2005)







...

18 comentários:

Multiolhares disse...

E porque as folhas ficam suspensas no olhar
beijinhos

mariam disse...

Olá!
e aqui estou... "tarde e a más horas"!
porque sim!

cheguei das abençoadas férias, voltarei aqui de novo para ler os outros posts...

bom fim-de-semana
um sorriso :)

mariam

poetaeusou . . . disse...

*
setembro
o advento do outono,
o outono mártir,
que se despe ante o frio,
facultando o revigorar
da folhada primavera,
,
vagas revivificadas, envio-te
,
*

Juani lopes disse...

las primera caida de las hojas que anuncian la llegada del otoño
saluditos

Véu de Maya disse...

Melancolia...dionisíacas transformações...a natureza em mudanças...e as folhas amarelecidas entregues ao vento e ao solo que as assimila naturalmente...Desta vez maria do sol foi rápida e curta mas intensa...pq a imagem é bem simbólica...Bm domingo

bjinho

WOLKENGEDANKEN disse...

Exactamente ! Apessar de tudo PORQUE SIM !!!

E como sempre uma beleza de pintura que para mim nao tem nada de melancolico ! E luz e espaco ......

instantes e momentos disse...

oi minha linda gata, dando meu passeio de domingo aqui. Gosto do teu blog, gosto de ti.
Tenha um fim de domingo abençoado.
um beijo
Maurizio

mdsol disse...

multiolhares
sim, e ficar suspenso é boooom!
:)

mariam
que bom estares de volta cheiinha de frescura das longas férias
:)

poeta
reviviquemo-nos sim! Estou de acordo rsrsrs

juani
outro modo de olhar o quadro. o teu olhar! que é benvindo!
:)

veu de maya
às vezes consigo não ser prolixa! ainda bem q gostaste!
:)

Wolkengedanken:
lindaaaaaaaa. Na mouche! Como tu me entendes. Chega a ser comovente!
:)

Maurizio
bençãos retribuídas!
:)

Duarte disse...

Caen lentamente, describiendo un vuelo sinuoso, como el piloto más experimentado, o el ave que saborea su libertad tan deseada, hasta dejarse caer sobre la tierra que le dio la vida, suavemente, como se quisiera acariciarla; justo a los pies de quien la mantuvo cautiva, formando un manto de frondoso follaje, un espeso tapiz, el colchón de la naturaleza.

Fragmento de "Notas otoñales"

De mi libro "Para Ti"

Besos

Justine disse...

E acho muito bem! É lindo:))

Violeta disse...

Porque sim!
ainda bem que te apeteceu....

cristal disse...

Andas a acertar em cheio nas "minhas" canções :)))

intimidades disse...

linda foto

existe uma beleza na simplicidade que e inigualavel

JoKas


Paula

mdsol disse...

duarte:
muito bonito
:)

justine
é não é? e agora com a interpretação do Brel...ai balhamedeus!
:)

violeta
estamos então conversadas! rsrs
:)

cristal
ando muito acertadeira rsrsrsr ainda bem que gostaste. O JBrel tira-me do sério... comovo-me hoje com as canções como me comovia há muito tempo atrás.
:)

intimidades
como dizia o outro(?) a prpósito da arquitectura: menos é mais!
:)

intimidades disse...

e verdade

tens la um homem

Jokas
Paula

mdsol disse...

oh intimidades
que me deixa aqui assim meio ancabulada ehehehe
eu limitei-me a aderir a uma sugestão feita por outra blogueira rsrsrs
sim que sou pelo pluralismo
sim que sou pela diversidade
eheheh
balhamedeus!
:)))))

Anónimo disse...

Ode á clareza dos dias e á leveza apenas alcançada pelos bons espíritos.
:)))

Anónimo disse...

Porque não ?

:))) José-Carlos