25 setembro, 2008

para saltar, alto ou longe, é preciso ter chão...







Dill, L.
dress of change
(2006)










PROVÉRBIO

O que vier com alma nova, fique.
Deite a sua raíz,
Cresça, floresça, frutifique,
E morra se outra seiva o contradiz.

Miguel Torga, libertação (Poesia completa I), 199


Janet Baker, when I am laid in earth, (Dido and Aeneas, Purcell)

entretanto curtam este post do forum cidadania
ó ié!

17 comentários:

rosasiventos disse...

[ que em nada baste
que as pa lavras se des tapem
dos seus corações em cio
e mergulhem facilissima mente
no domínio comum das bocas
seta recta a perfurar códigos de esp aço



...

João Videira Santos disse...

O sentido concreto das palavras e nelas a força de quem as fez chegar ao mundo...Lindo!
(Agradeço a simpatia do seu comentário no meu blog. Muito obrigado!)

JPD disse...

Torga é sempre excelente.
Bj

Véu de Maya disse...

Sem chão não se pode ficar...o Outono veio e não pode deixar de ficar e a Maria do Sol está sempre a voar...estou consigo...escutei a música e li a sabedoria do Miguel Torga...

Durma bem.

Justine disse...

Ai balhamedeus!! Então não se está mesmo a ver que para saltar é preciso ter chão?...:))

intimidades disse...

hahaha a katie nao podia ter dito melhor hahahaha

o que me vale sao os meus momentos selvagens

Jokas

Paula

intimidades disse...

adoro a meloa, bom mas tambem adoro tudo o que seja musica, principalmente blues
hehe ficou...

ja agora tu poes sempre uma excelente escolha de musica

Jokas

Paula

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Há quem dê saltos no vazio, lá isso há...

Duarte disse...

Um poema com aplicação aos tempos que correm, pelo menos por aqui. Ainda que começam a mandá-los para casa: não chegaram a fazer raízes.

Boa selecção musical

Obrigado, por tudo...

Um abraço

poetaeusou . . . disse...

*
vou no torga
se não te importas,
,
o dill é demasiado óbvio,
ou
senhor de la palisse,
hehehe
,
conchinhas
,
*

Carminda Pinho disse...

Aqui estou eu...de alma nova, por hoje...:)))

Abençoado Torga.

Obrigada Mdsol, pela referência.:)

Beijos

mariam disse...

e --- depois há o outos "quem muito alto sobe... maior é o trambolhão!" rsrs

M.Torga, único.
J.Baker, este trecho (ária?) não conhecia. gostei. Obrigada.


um sorriso outonal :)

mariam

Anónimo disse...

Há quanto tempo não ouvia Purcell ! Que bem que me soube...

:)) José-Carlos

Henrik disse...

Curioso hoje li isto:
" - Tenho medo do chão.
- Queres dizer alturas.
- Eu sei o que quero dizer! O que nos mata é o chão!"

Juani lopes disse...

nO SIMPRE ES NECESARIO SUELO PARA SALTAR, PERO PARA CAER SEGURO
SALUDITOS

um Ar de disse...

O chão...
Percebi[-te]. acho.
[Beijo]

LuCe disse...

Oh, a "Dido et Aenas" do Purcell :) Ainda por cima "when I'm laid in earth