05 maio, 2008

Nini dos meus quinze anos

ouvir aqui o Paulo de Carvalho (não dá para ver...acho eu)

Chamava-se Nini
Vestia de organdi
E dançava (dançava)
Dançava só pra mim
Uma dança sem fim
E eu olhava (olhava)

E desde então se lembro o seu olhar
É só pra recordar
Que lá no baile não havia outro igual
E eu ia para o bar
Beber e suspirar
Pensar que tanto amor ainda acabava mal

Batia o coração mais forte que a canção
E eu dançava (dançava)
Sentia uma aflição
Dizer que sim, que não
E eu dançava (dançava)

E desde então se lembro o seu olhar
É só pra recordar
Os quinze anos e o meu primeiro amor
Foi tempo de crescer
Foi tempo de aprender
Toda a ternura que tem o primeiro amor
Foi tempo de crescer
Foi tempo de aprender
Que a vida passa
Mas um homem se recorda sempre assim
Nini dançava só pra mim

E desde então se lembro o seu olhar
É só pra recordar
Os quinze anos e o meu primeiro amor
Foi tempo de crescer
Foi tempo de aprender
Toda a ternura que tem o primeiro amor
Foi tempo de crescer
Foi tempo de aprender
Que a vida passa
Mas um homem se recorda, é sempre assim
Nini dançava só pra mim

Fernando Assis Pacheco

8 comentários:

Justine disse...

Também me faz saudades... mas esta gostava eu tanto de dançar!
Nostálgica, amiga??

herético disse...

Fernando Assis Pacheco, o poeta!... e o vestido de organdi!

o resto é um pouco paisagem. confesso que não sou apreciador dos "tr(e)inados" de Paulo de Carvalho.

mariadosol disse...

Justine exactamente... dançar... no meu caso era mais deslizar pelos corredores foraaaaaaaaa numa brincadeira imensa quando andava mais pelas capitais.

Herético
Então, o homem canta bem. Claro que este poema é ele próprio música.
:)

Mustafa Şenalp disse...

çok güzel site. :)

JJ disse...

E que bem deslizavas. Recordo-me bem. Aos corredores pergunto amanhã

Juani lopes disse...

LINDO AMOR EL DE LOS 15 AÑOS, NATURAL, SINCERO Y PURO. RECORDAR, BAILAR, REVIVIR. QUIEN PUDIERA
REVIVIRLO OTRA VEZ

João Videira Santos disse...

Não dá para ver mas sim para ouvir, imaginar...iludir!

Anónimo disse...

Chorando de saudades dos velhos tempos... pelos erros cometidos...
Pedindo desculpa nini...
Estarás sempre em mim... (Néné)