10 fevereiro, 2008

renúncias ganhas

Certas palavras

Certas palavras não podem ser ditas
em qualquer lugar e hora qualquer.
Estritamente reservadas
para companheiros de confiança,
devem ser sacralmente pronunciadas
em tom muito especial
lá onde a polícia dos adultos
não divinha nem alcança.

Entretanto são palavras simples:
definem
partes do corpo, movimentos, atos
do viver que só os grandes se permitem
e a nós é defendido por sentença
dos séculos

E tudo proibido. Então, falamos.

Carlos Drummond de Andrade

imagem Pudor em: bocadeincendio.blogspot.com

5 comentários:

um Ar de disse...

Ou... então, escrevemos.

Assim, sem nos conhecermos, conhecendo o que [nos-nós-de nós] mostramos.

Acho que mostramos... não ostentamos.

E, por isso, nos lemos com prazer, nos vários "textos" que partilhamos.

Nota: a sério que gostei dos "grafismos", não estava a brincar.

...[beijo]...

Anónimo disse...

O problema é q comigo a "palavra" voa...umas vezes acertadamente bem,outras vezes quanto não daria para a "engolir" pois é,defeito de uma emotiva,,,,

Mas na verdade a palavra sussurrada é a eleita....


Um abraço:pandorabox

Mariadosol disse...

um ar de ... pandorabox

Eu tb falo pelos cotovelos eheheh
Acontece que, acho o poema muito libertador...há coisas que nunca podem ser ditas para que TUDO possa ser dito...
Quanto a ser "emotiva" ...antes assim, concerteza!

herético disse...

por vezes murmuradas. melhor ainda se sussurradas...

A.S. disse...

É proibido proibir!... Nem se podem aprisionar as palavras!


Beijos!
AL