25 fevereiro, 2009

quarta-feira de cinzas

R. Neuenschwander, Quarta-Feira de Cinzas (Epilogue) (2006)


Philip Glass, metamorphosis 1 (Branka Parlic ao piano)


by the way
a mudança será uma trabalho de formiga? onde fica a ideia de revolução? em termos individuais parece pacífico que a mudança exige um trabalho aturado, diário e portador de alguma humildade perante o insucesso...

Adenda: Então os Domingos não são incluídos na Quaresma? Alguém esclarecido que partilhe aqui o seu esclarecimento...

16 comentários:

anamar disse...

E a formiguinha lá vai no seu carreiro encantado! Lindo!

vbm disse...

... humildade perante o insucesso...


Concordo. Mas nada de empreender
sobre o facto. Isto é, nada de ficar acabrunhado ad aeternum!

A mais esplêndida absorpção do insucesso que vi demonstrada com arte foi no filme Zorba, o Grego quando a construção engenhada de uma canalização de água, - se bem me lembro, era essa a obra -, é derrubada por um qualquer erro de cálculo ou intempérie dos elementos;

então, Zorba, mais o estrangeiro,
desata a dansar rejubilando
de vida sobre a falha
do seu insucesso.

:)

poetaeusou . . . disse...

*
belo post,
as cinzas da vida,
feita branka partic,
,
cinzas meditativas, deixo,
,
*

Justine disse...

Boa e santa quaresma, balhatedeus!!!
:))

António Torres disse...

Muito bem.

Também concordo. E lembro aqui a famosa frase de W. Churchill - "never, never, never surrender", que neste contexto deve ser lida como "never give up".

bons temposhein disse...

Philip Glass, um génio, cuja música se escuta sempre em extâse e que está muito acima dos dias do tédio, também conhecidos por Domingos, neste caso serão seis, mas podiam ser mais cinquenta e dois, até à próxima quarta-feira de cinzas.

mariab disse...

A mudança é um trabalho que nunca acaba. Talvez seja de formiga, sim. Pela persistente diligência que exige.
Obrigada pela música. beijo

Ana Paula disse...

Foi uma ideia excelente recordar que estivemos em quarta-feira de cinzas :)

É que eu confesso que já quase tinha esquecido o seu significado. Tempos modernos! :)

Mas, anteriormente, vivi todas estas datas a preceito. Mal ou bem, não acho nada despropositado reflectir um pouco na vida :), no que se quer, no que não se quer...

Mudanças fulgurantes, têm que ter lugar, mas também julgo que mudar, mudar mesmo, só a pouco e pouco...

Infelizmente, não sei responder à última pergunta. Mas fiquei curiosa!

Um beijinho :)

WOLKENGEDANKEN disse...

Hm, mudanca e revolucao, digno de ser pensado.

Sempre pensava que primeiro a revolucao e como consequencia a mudanca. Mas chegando a mais velha - quero dizer mais sabia :)) constato que as vezes tambem as mudancas causadas por outros motivos provocam as revolucoes ....

A formiga, nao sei, penso que nao é um agente de mudanca porque um individuo sem inspiracao e vontade propria, que mudanca pode causar..... uma verdadeira mudanca precisa dum cambio de perspectiva interior senao é so cosmetica.....

Mas hoje estou muito seria :))

WOLKENGEDANKEN disse...

E, como hoje estou muito seria, ainda por cima acho muito triste uma mudanca que comeca com eliminar os ultimos restos da alegria ....

WOLKENGEDANKEN disse...

E finalmente concordo com VBM que essa sentencia do sirtaki do Zorba, o Grego é do melhor que conheco no cinema, e mesmo conmovente esta fantastica alegria de viver com sucesso ou insucesso ou até com o sucesso do insucesso ou o insucesso do sucesso a vida é a vida ...

E finalmente despido-me para hoje com um beijinho para a chefa e os visitantes :))

vbm disse...

Ena, Wolkengedanken!

Raro concordam comigo...
Não tenho o habito;
fico contente.


Desgosta-me a psicologia:
— valorizar a mudança
não faz sentido!

Depende de mudar
para melhor ou
para pior...

Como diria Espinosa,
a Tristeza é a passagem
de uma maior a uma menor
perfeição; e a Alegria
é o trânsito inverso.

Logo, mudar, em si e por si,
é um operador de significado
indeterminado.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Para mim, foi novidade absoluta!

WOLKENGEDANKEN disse...

Hm, Spinoza (Espinosa, aha :)). Vou ter que dar uma olhada ......

Sinto, mas concordo outra vez :)) Valorizar a mudanca sem concretiza-la nao faz sentido. Na teoria ....... Só que como eu considero a mudanca permanente como uma caracteristica da vida humana no fundo a valorizacao desta situacao é inteligente senao necesaria porque de tudos as formas nao podemos nao mudar.

Agora a psicologia nao me desgosta nada :))

vbm disse...

Está bem, WOLKENGEDANKEN! :)

Se viver é permanente mudar,
como viver é bom, mudar também é.

Só que... há "(vi)ver+" e "(vi)ver-",
e justamente quando se transita de um para outro estado, assim se ganha ou perde perfeição de viver.

Ora, o meu 'des'gosto da psicologia é limitado à desconsideração habitual dos psicólogos de imaginarem que ganhar ou perder perfeição depende apenas da psicologia do vivente!

Como tal é inverdade, a psicologia desencaminha as pessoas na busca da felicidade. :(

Graça Pimentel disse...

Eu tinha obrigação de responder à questão que colocas mas assumo a minha ignorância... Mais uma trabalho para fazer - estudar este assunto...

Beijinho