29 junho, 2010

rosa albardeira para uma terça-feira


Baile popular, rosa albardeira

vi uma rosa-albardeira
ai se eu pudesse colhia-a
mas disse-me um passarinho
que se a colhesse morria

que se a colhesse morria
pois não se dá prisioneira
meu amor, eu não sabia
que eras a rosa-albardeira

fui-te a ver e não voltei
deixei pai, deixei mãe
e a casa onde nasci
és para mim a primeira
queira deus ou não queira
já não me largo de ti

fui-te a ver ao pé da serra
a tua rosa foi minha
e semeei-te na terra
à noite pela fresquinha

um dia quando eu partir
fica a nossa sementeira
de nós dois há-de florir
mais uma rosa-albardeira

fui-te a ver e não voltei
deixei pai, deixei mãe
e a casa onde nasci
és para mim a primeira
queira deus ou não queira
já não me largo de ti

João Monge

Música João Gil,

3 comentários:

Zélia Guardiano disse...

Linda, delicada, enternecedora...
Adorei, mdsol!
Sabes dividir lindezas...
Enorme abraço, minha amiga!

lino disse...

:))

j. monge disse...

Muito obrigado por divulgar junto dos seus leitores esta modinha.
Mando-lhe uma foto de Ruivo Neca desta belíssima flor que há muito merecia uma canção.
Beijo!

http://www.google.pt/imgres?imgurl=http://i.olhares.com/data/big/280/2805763.jpg&imgrefurl=http://br.olhares.com/paeonia_broteroi_ou_rosa_albardeira_foto2805763.html&h=562&w=750&sz=102&tbnid=a8Y-D1_yi2SAXM:&tbnh=106&tbnw=141&prev=/images%3Fq%3Drosa%2Balbardeira&hl=pt-PT&usg=__hlOGs5tSW0TmHYgdBSOteyG3xoA=&sa=X&ei=XBUqTNSeEYm9jAeXsdDuDA&ved=0CCMQ9QEwBQ