12 fevereiro, 2010

contradições

.
















J. Stark,  black sun (dissolution) (2009)

Sol de manhã, sol à tarde e o país a tiritar. O que, para as minhas perplexidades, tem um significado interessante. Como que me autoriza a dar ouvidos ao que intuo. Também neste momento, não se trata de ser a favor ou contra, não se trata de ser branco ou preto. Trata-se de tentar discorrer o mais racionalmente possível. Trata-se de tentar ver através do nevoeiro que chega de todos os lados. Trata-se de tentar ser isenta a raciocinar, recolher dados de vários saberes e, depois, tentar ser  desprendida a concluir. Trata-se de me situar, de ter posição e não de tomar um partido pré-formatado por quem eu nem sei quem é. Trata-se de tentar ir além da espuma inflamada dos que mais berram. Trata-se de tentar integrar possibilidade e realidade, para não cair na mera fantasia... É um esforço para ser livre. Trata-se de tentar...

Que sei eu, afinal? Muito pouco. Mas não gosto da algazarra feita por quem fica com muito tempo livre, porque tudo sabe de antemão e, no frenesim de se ocupar e quebrar o tédio característico de quem já tudo compreendeu, e tem certezas definitivas, salta para a rua a berrar ou discursa de um modo que não admite hesitações. Sei que estou do lado dos que são normalmente derrotados pelos chalados, pelos levianos, pelos entendidos, pelos utilizadores das circunstâncias em proveito dos seus interesses. Quase sempre a resolução dos verdadeiros problemas é inviabilizada porque os "ociosos" se apressam a mostrar trabalho...

16 comentários:

António P. disse...

Belo post mdsol.
Uma tentativa que também tento fazer para "ter posição" como diz.
Só que a algazarra dificukta essa tentativa. Há que fazer um esforço.
Bom fim de semana carnavalesco e não se mascare de SOL :)))

lino disse...

Excelente posta. Ainda há muita gente que não usa os antolhos do poder ou, neste caso, do contra-poder. Eu fiquei mal disposto logo de manhã com o cheiro a cadáver na baixa pombalina. Logo por azar, mudaram-me para lá há 4 meses.
Beijinho

jrd disse...

Excelente texto.

"Também neste momento, não se trata de ser a favor ou contra..."

Participando sempre, é certo, mas com a 'certeza' de que (ainda) não temos certezas.
Haja bom senso e honestidade intelectual.
:)

jose albergaria disse...

Não sendo um homem de partido, não me incomoda tomar partido.
Gosto até de ir ao arrepio do pensamento dominante.
Dizem que não há liberdade de imprensa...que vivemos numa asfixia democrática.
Mas, quem o diz, domina as redacções do SOL, do Expresso, do Correio da Manhâ, da SIC, da TVI, da RTP1, 2, RTPN, Memória e etc. Ainda a Rádio Renascença, a Antena 1, 2 e 3. O i é assim assim. Sobra, talvez, os sóbrios do regime: DN, JN (tem dias) e a TSF.
Depois, o comentário politico é dominado pela direita e pelo centro direita. Os únicos socialistas que produzem comentário politico são, a saber: António Vitorino, António Costa e Pedro Adão e Silva.
Não publico a lista dos ppdê's por que seria fastidioso.
E mais não digo.
Abraço,
JA

vbm disse...

Justa, a tua reflexão.

Está por provar o de que acusam
o governo, invertendo suspeitas
e factos: foi o governo que proibiu
a PT de comprar a Tvi e expulsar
o j.e. moniz e foi este que passou
a vice-presidente do grupo
que comprou a Tvi.

Política e Moral só parcialmente
se sobrepõem. Uma coisa
é oposição política,
outra, perseguição pessoal.

Ignóbil, apodar o 1º ministro
de «ladrão de feira» como o fez
o desprezível ex-bastonário pires lima.

Que eu saiba, o PM não compra empresas
por milhões para depois as vender
por tostões, nem nunca trabalhou
com nenhum pirata da banca.

Daniel Santos disse...

Estamos de acordo.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Muito boa reflexão que também procuro utilizar no meu quotidiano.Ainda hoje, no RJ o faço. Esta tendência para encontrar culpados ou ver o mundo a preto e branco faz de nós muito pequeninos. E quando isso alastra a quem tem o dever de informar, é muito grave.

ariel disse...

"Sei que estou do lado dos que são normalmente derrotados pelos chalados, pelos levianos, pelos entendidos, pelos utilizadores das circunstâncias em proveito dos seus interesses."

Já somos duas!
Excelente.
:))

Tia_Cunhada disse...

Subscrevo sem tiritar... :-)

intimidades disse...

lados? nao sei se os ha

Beijos
Paula

susana disse...

E eu que não "vejo" nada, cega. não gosto de apeis com quadriculas.

anamar disse...

Belo texto, sentida e coerente reflexão...

Estou muito "juntinha" a ti...
Estamos no lado "lunar" da vida...

Beijinho e descansa.
:))

O meteorologista disse...

Bela dissertação .
Não tomando partido,
acrescento apenas que este sol é mesmo de Inverno. Nem ao meio-dia consegue aquecer...

Carminda Pinho disse...

Excelente o teu texto, Mdsol.
É mesmo assim que sinto. Todo este ruído de jornais, jornalistas, políticos, comentadores, juízes, bastonários e candidatos a presidentes de partidos, que mais parecem incendiários de um País que tirita de frio, fome e incerteza no futuro.

Beijos, amiga.

JB disse...

Belo post.

Abraço

JB

heretico disse...

gostei muito.

(assim, do "lado dos que são normalmente derrotados". que pensam.)

abraço