17 fevereiro, 2010

como a água descansa da água

.
 



Powers, J.
litter and bloom
(2009)










Chega sempre um momento
em que há que descansar dos homens
como a rosa do jardineiro
ou o jardim da rosa.

Como a água descansa da água
ou o céu do céu.

Como um sapato descansa do seu pé
ou um salvador da sua cruz.

Como um criador descansa do sua criação
ou a criação do seu criador.

Roberto Juarroz, poesia vertical, campo das letras, 54


Schubert, piano trio- Op. 100, 2º andamento
[piano: Dmitri Vinnik, violino: Sviatoslav Moroz, Violoncelo: Sviatoslav Moroz] 

Tenham dias bons, intensos e desprendidos, mesmo que lhes chamem quarta-feira de cinzas, como hoje. :)

4 comentários:

intimidades disse...

belissimo

Como sempre

Beijos
Paula

jrd disse...

Só não se deve descnsar do bom cansaço. ;)

susana disse...

Como a água me descansa!

lino disse...

Amén! :))