21 fevereiro, 2010

prevalece o essencial

.





Carnochan, B.
magnolia III






Hoje sou madeirense. Vejo as imagens da destruição e descubro uma afeição por aquela terra, cuja dimensão eu desconhecia. A minha compaixão para quem o temporal devastou muito além dos bens materiais. A minha solidariedade com todos. Todos.

"...

Ah! Foi precisa esta agonia
para afinal apercebermos
que tudo quanto dividia
as nossas vozes poderia
harmonizar-se em litania
aos moribundos e aos enfermos …:
- que só na última agonia
irmãos e unânimes seremos!”

David Mourão-Ferreira  
(copiei a ideia do poema)



Bach, suite para violoncelo nº 5 (bwv 1011 em dó menor)  prelúdio -  Misha Maisky


Max, pomba branca (sugestão da Ariel)

9 comentários:

T.Mike (Miguel Gomes Coelho) disse...

Também estou consigo.

Maria disse...

Porque iguais nascemos todos. E todos morremos iguais.

Um abraço solidário, também.

anamar disse...

Tremendamente desolador...
Fiquei em estado de terror que a Natureza nos provoca...
Ontem , também fui buscar Max para libertar "a pérola" daquele mau olhado...

Beijinho
:))

Mar Arável disse...

Por vezes as pessoas unem-se

na desgraça dos outros

em torno do essencial

Bj

lino disse...

Sem palavras.
Beijinho

Maria disse...

Maria do Sol, sublime a sua homenagem, estou consigo...

ariel disse...

Um beijo Maria.
:)

heretico disse...

beijo.
fico "seco" face às tragédias.

jrd disse...

Um beijo solidário.