23 fevereiro, 2010

... é de ouro






Posoon Park Sung,
silence
2005







Canções (Quíchuas)
19
.
Saber ninguém pode
o que o lago esconde
em seu fundo seio.
Assim guardes tu
o que saibas de outros.
Melhor inda: esquece-o.
.
poemas ameríndios, poemas mudados para português - Herberto Helder, Assírio & Alvim, 60

Keith Jarrett, la scala (fim da 1ª parte)

[mas a música também pode ser muito douradinha...]

14 comentários:

António P. disse...

Parbéns mdsol por um dos mais belos posts que li, vi e ouvi.

lino disse...

:))

jrd disse...

O silêncio.
Abraço

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Perfeita consonância texto, imagem e música... arte em diversos níveis...

JPD disse...

Belíssimo poema adequadamente ilustrado.

Saudações

O Puma disse...

Que não se cale o silêncio

cristal disse...

Lindo mesmo.
E, finalmente, o meu "consultor informático privativo" conseguiu acabar con a "censura" aos meus comentários. Estive mais de uma semana sem conseguir que os meus comentários fossem enviados... Um autêntico atentado à minha liberdade de expressão :)))) Mas, felizmente já está resolvida, embora eu não consiga recuperar os comentarios fantásticos que consegui fazer e perdi, aqui e nos "meus" outros blogues preferidos, durante este período "negro" :)))

intimidades disse...

lindo

beijos
paula

anamar disse...

O tal silêncio doirado...

A música, eu amo-a... mas, não sei qui passa...não deu som.

beijinho "ameríndio"...
:))

Carminda Pinho disse...

Olá linda Sol!
É de ouro sim, mas nem todos o guardam.:)
Excelente a música.
Aqui, é tudo bom.:)

Beijos

susana disse...

Aqui está tudo o que não fazemos.

vbm disse...

São belíssimos os teus quadros.

Daniel Santos disse...

muito bom!

Duarte disse...

Beleza no verso. Gostei.

Besos