26 maio, 2011

ser cereja






Jain, Lalit
cherry mood










Jean Ferrat, l' amour est cerise

MAIS QUE OUTRA FRUTA QUALQUER ... COMO SE PARTE DE TI

Cereja é fruta fugaz
que eu como, como um beijo.
Cereja é fruta que faz
o tempo saber a desejo.

É mais que fruta, é pecado...
um mês, nos dias de um ano.
Comê-la sentado a teu lado
provoca em mim doce engano:

Não sei se trinque a cereja,
se morda teus lábios maduros,
que a fruta que mais se deseja
é antes teus olhos, tão puros.

E junto a ti, encantado
enquanto em sonhos me beijas
sou o fogo libertado
enquanto comemos cerejas.

Eduardo Leal, esse teu corpo, corpos editora, 43

10 comentários:

jrd disse...

Jean Ferrat. Toujours!

jose albergaria disse...

Há também "le temps des cerises".
:)))

mdsol disse...

JRD, sempre :)))

J. Albergaria
Já publiquei duas versões do "le temps des cerises", uma delas do Jean Ferrat. Hoje achei que esta era mesmo a cereja no topo do poema. :))))

lino disse...

É das frutas que mais gosto. Pena que este ano se tenha estragado tanta :((

um Ar de disse...

Claro que gostei!...
... do poema, claro! Mas, do post todo, também!...
Um grande beijo para ti...@
:)

Je Vois la Vie en Vert disse...

Hoje o meu comentário vai ser em francês :
La jolie voix chaude de Jean Ferrat est aussi agréable que le poème d'Eduardo Leal !
Le temps des cerises est aussi des anciennes chansons françaises que j'aime beaucoup, surtout chantée par Nana Mouskouri.
Bisous
Verdinha

ariel disse...

... ma bouche ravie, la la la la la la la ra la la

:))))

João Menéres disse...

Uma graciosa obra de Lalit Jain.
Uma canção muito agradável.
Uma poesia lindíssima (como a descobriste ? ).
Confesso que julgo nunca ter ouvido falar de
Eduardo Leal.

Enfim, uma postagem 5 * !

Um beijo, MARIA.

anamar disse...

Assim fechei o ciclo das cerejas no MàV...
Verdadeira provocação... mas há que ter um fim. Outros frutos nos esperam...~beijos linda Maria

Justine disse...

Ah Jean Ferrat, que doçura e que força e que raiva na tua voz! E como vivemos um tempo de cerejas tão amargo...