11 janeiro, 2010

realidades claras desde há muito tempo p'ra quem quiser ver

.





Picasso, P.
o sonho
(1932)











LEMBRA-ME UM SONHO LINDO

Lembra-me um sonho lindo
quase acabado,
lembra-me um céu aberto
outro fechado
Estala-me a veia em sangue
estrangulada,
estoira num peito um grito,
à desfilada
Canta rouxinol canta
não me dês penas,
cresce girassol cresce
entre açucenas
Afoga-me o corpo todo
se te pertenço,
rasga-me o vento ardendo
em fumos de incenso
Lembra-me um sonho lindo
quase acabado,
lembra-me um céu aberto
outro fechado
Estala-me a veia em sangue
estrangulada,
estoira num peito um grito,
à desfilada
Ai como eu te quero,
ai de madrugada,
ai alma da terra,
ai linda, assim deitada
Ai como eu te amo,
ai tão sossegada,
ai beijo-te o corpo,
ai seara, tão desejada
Fausto


Fausto, lembra-me um sonho lindo

6 comentários:

anamar disse...

Era o que eu precisava mesmo de ouvir, e não sabia...
beijinho

maria do sol :))

Mar Arável disse...

Um Fausto

intimidades disse...

lindo como sempre

Jokas
Paula

vbm disse...

Belíssima, esta canção de Fausto.

Sabes, Sol,
li a Peregrinação
jé em adulto, na vida.

Considero esse livro
a mais respeitável bíblia
que deve abrigar-se
no âmago de todo
e qualquer sistema
de pensamento!

Como dizia Deleuze,
o núcleo da filosofia
é coisa não-filosófica.

Assim a verdade eterna
e humana de Fernão
Mentes? Minto.
...

:)

Só que eu acredito
que Fernão Mendes
não mentiu e é
um hino humano
a sua odisseia.

jrd disse...

Um espanto de canção-poema.

Maria disse...

Este LP é, na minha opinião, o melhor trabalho musical que foi feito em Portugal depois de Abril de 74.
Ficava aqui a ouvir o resto da noite...

:)